terça-feira, 26 de janeiro de 2016

O Concurso Internacional de Vinhos do Brasil muda de nome em prol de maior visibilidade internacional


Maior visibilidade internacional. Em resumo esta é a principal razão para a mudança do nome do então Concurso Internacional de Vinhos do Brasil para Brazil Wine Challenge.


Único no Brasil com chancela da Organização Internacional da Uva e do Vinho (OIV) e da União Internacional de Enólogos (UIOE), o Concurso Internacional de Vinhos do Brasil passa a se chamar Brazil Wine Challenge, numa estratégia que busca ampliar a participação de rótulos de todos os continentes, além de aperfeiçoar a comunicação com o mercado externo. Em sua 8ª edição, o concurso será realizado de 7 a 11 de junho, em Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha, numa realização conjunta entre a Associação Brasileira de Enologia (ABE) e a Revista Adega.

Vinícolas e importadoras poderão acessar o regulamento no site www.enologia.org.br, que estará disponível a partir do mês de fevereiro, quando as inscrições estarão abertas com prazo até 20 de abril.

A última edição, realizada em 2014, reuniu 709 amostras de 18 países do mundo todo (África do Sul, Alemanha, Argentina, Austrália, Bolívia, Brasil, Chile, Espanha, Estados Unidos, França, Grécia, Hungria, Israel, Itália, México, Nova Zelândia, Portugal e Uruguai), consolidando o evento como o maior do gênero na América Latina. Além do número recorde de amostras e maior júri de sua história – 66 degustadores de 11 países -, a 7ª edição também se destacou pela representatividade global e excelência na organização.

Um dos destaques foi o sistema de avaliação totalmente informatizado, que garantiu maior agilidade e segurança na captação e tabulação dos dados. Implantado ainda na edição de 2010, o sistema apresentou excelente desempenho, colocando o concurso entre os mais organizados do mundo. “O concurso é uma oportunidade única para diagnosticar a evolução dos vinhos e espumantes do mundo inteiro, respeitando suas particularidades. Além disso, é uma vitrine de promoção global”, destaca o presidente da ABE, enólogo Juliano Perin.


Nenhum comentário:

Postar um comentário