quarta-feira, 19 de setembro de 2018

O matambre farroupilha!



Nada melhor que uma boa receita gaúcha na Semana Farroupilha!

O 20 de setembro é a data mais importante da história gaúcha! Festeja-se no Rio Grande do Sul a Revolução Farroupilha, eclodida na noite de 19 de setembro de 1835, quando Bento Gonçalves da Silva avançou com cerca de 200 "farrapos" (ala dos exaltados, que queriam províncias mais autônomas, unidas por uma república mais flexível) sobre a capital Porto Alegre, na época com cerca de 14 mil habitantes. Nenhum outro estado brasileiro se orgulha tanto de seu passado como o Rio Grande do Sul. 


A Revolução Farroupilha foi a mais longa guerra civil da história brasileira (1835 até 1845) com dez anos de batalhas entre Imperialistas e Republicanos, os primeiros defendendo a manutenção do império e os segundos lutando pela proclamação da república brasileira. A revolta deveu-se em função dos elevados impostos cobrados no local de venda (normalmente outros Estados) sobre itens (animais, couro, charque e trigo) produzidos nas estâncias do Estado. Charqueadores e estancieiros reclamavam, ainda, de outros impostos: sobre o sal importado e sobre a propriedade da terra. Fora da capital, os farroupilhas passaram a ter expressivos êxitos. Na batalha do Seival (que fica no atual município de Candiota), o general Antônio de Souza Netto impôs fragorosa derrota ao legalista João da Silva Tavares. No dia seguinte, em 11/09/1836, Netto proclamou a República Rio-grandense, com sede em Piratini. A revolução durou quase 10 anos, sem vencedor e vencido. O tratado de paz foi assinado em Ponche Verde, pelo barão Duque de Caxias e o general Davi Canabarro, em 28/02/1845. Desde aqueles tempos onde o vento minuano atravessava o Rio Grande do Sul no inverno, tão forte capaz de congelar os pampas castigando os gaúchos, somente uma alimentação rica em calorias, repletas de carnes gordas, carreteiros bem fortes e sopas quentes, davam ânimo para enfrentar um frio tão intenso. Neste rol – naquela época e até hoje - o líder na preferência é o churrasco, seguido do arroz de carreteiro, do feijão mexido, do quibebe, do espinhaço de ovelha, do charque com mandioca, da couve refogada, do arroz com galinha, do puchero e do matambre aberto ou recheado. E sendo assim, segue abaixo a receita tradicional trazida para os dias atuais do Matambre recheado farroupilha.



Ingredientes:
(para 4 pessoas)

1 peça de matambre com cerca de 1kg
2 tomates médios
1 cebola
1/2 pimentão
1 dente de alho
2 ovos cozidos picados
1 maço salsinha picada
120 ml de vinho branco seco
1 ramo de alecrim
100g de bacon picadinho
Sal e pimenta do reino moída à gosto

Preparo:

Limpe o matambre deixando em formato retangular e retire parte da gordura. Deixe marinar por cerca de 6 horas em uma mistura de vinho, meia cebola cortada em pedaços grandes e alecrim. Pique a outra metade da cebola, o alho e o pimentão. Misture ao ovo e bacon.  Abra o matambre e acrescente o recheio. Enrole como um rocambole, apertando o recheio. Amarre com um cordão. Coloque em uma forma com o caldo em que a carne foi marinada. Leve ao forno a 180°C por 2 horas. Vire ao completar metade do tempo. Sirva com arroz branco e salada verde.



segunda-feira, 17 de setembro de 2018

Circus Pinot Noir 2016


A fresca e frutada uva Pinot Noir saiu da Borgonha francesa e espalhou-se mundo afora dando filhotes com características peculiares de acordo com o terroir em que foram inseridos mas mantendo a essência, produzindo vinhos singulares. Na América do Sul a bodega argentina Escorihuela Gascón – uma das mais antigas da argentina e de propriedade do grupo Catena Zapata se valeu do solo e clima mendocino para elaborar o seu Circus Pinot Noir 2016, vinho desta nova linha da vinícola. 

A coloração rubi brilhante e límpido desperta atenção na taça. Traz consigo aromas de frutas vermelhas com framboesa, morango e cereja em destaque, notas minerais e terrosos. Em boca leve tostado, frutas e equilíbrio com a acidez e o álcool. Fresco, taninos redondos e firmes e final de boca herbáceo, uma característica denotada nos PN argentinos. Este vinho não passa em barrica.

Faz par com risotos de cogumelos frescos ou aspargos, lasanhas de frango ou vegetais, frango e queijos suaves.

Possui 12,8% de graduação alcoólica e o ideal é ser consumido na temperatura entre 14 a 16oC.

Você encontra o vinho Circus na Wein Haus, loja especializada em vinhos, localizada na Rua João Pessoa 895, Santa Cruz do Sul, fone (51) 3711.3665 e site www.weinhaus.com.br

E lembre-se: se beber, NÃO DIRIJA!     

quinta-feira, 13 de setembro de 2018

A costela caipirinha!



Em homenagem ao Dia da Cachaça comemorado hoje uma receita com esta bebida genuinamente brasileira!   

Hoje comemora-se o Dia da Cachaça, data que celebra esta que é uma das bebidas alcoólicas mais consumidas no Brasil e que somente este país tem o direito de usar tal nome. E não é só para fazer caipirinha que a cachaça serve! A bebida pode ser utilizada no preparo de inúmeros pratos, doces ou salgados, de bombons a carnes assadas, tornando o preparo ainda mais saboroso. Entre as várias beneficies desta bebida tupiniquim, a cachaça: deixa as suas massas mais crocantes pois no preparo de pastéis e pizzas, na hora de fritar, ela impede que a massa absorva muita gordura, ficando crocante; nos molhos reduzidos quando feito com cachaça, o molho fica com um toque adocicado; a cachaça também é ótima para flambar alimentos acentuando o sabor dos ingredientes; e no preparo de carnes marinadas usando a bebida e deixando descansar a mesma ficará mais macia. E pensando nestas possibilidades a receita de hoje utiliza a costelinha de porco, sempre deliciosa, limão e cachaça no preparo! Acompanhe a costela caipirinha!


Ingredientes:
(para 4 pessoas)

2kg de costelinha de porco
25 ml de cachaça
Suco de 2 limões
4 colheres de sopa de açúcar mascavo
3 colheres de sopa de óleo
1 colher de sopa de manteiga
3 ramos de alecrim
Sal e pimenta preta moída à gosto

Preparo:

Tempere a costela usando sal, pimenta, açúcar mascavo e suco de um limão. Aqueça o óleo e a manteiga em uma caçarola e leve a costelinha para fritar em fogo médio. Vá virando a cada tempo para ir dourando. Depois junte a cachaça e flambe com cuidado. Mexa delicadamente para espalhar o fogo proveniente da flambada e aguarde até este apagar. Acrescente o restante do açúcar, o suco do outro limão, o alecrim e cerca de duas xícaras de chá de água fervente. Tampe a panela e deixe cozinhar. Deixe cozinhar por cerca de 1 hora e, de tempos em tempos, vire as costelinhas e cheque o caldo colocando água fervente aos poucos se necessário. Corrija o sal e a pimenta, desligue e sirva acompanhado de batata doce cozida.


quarta-feira, 12 de setembro de 2018

Elegido Selección Especial Tempranillo Syrah 2016 - você votaria nele?


“Elegido” em espanhol significa “eleito”, ou seja, tudo a ver com o atual momento em que o Brasil está vivendo com talvez uma das mais inquisidoras eleições presidenciais dos últimos anos. E o vinho espanhol da região da Catalunha Elegido Selección Especial Tempranillo Syrah 2016 pede o seu voto! Será que ele tem características que você votaria para ser o seu representante? Vejamos:

Coloração escura, forte e profunda, rubi violáceo brilhante. Aromas pronunciados e que demonstram personalidade, trazem frutas vermelhas e negras maduras – amora, framboesa e groselha – também transita com facilidade pelo terroso e herbáceo com um toque mentolado e vai lá na direita com floral trazendo hibiscos e violetas.

Boca que não engasga no discurso, firme e com língua afiada, paladar com fruta vermelha macerada que puxa groselha e tutti frutti. Taninos polidos, acidez presente e final de boca adocicado e tostado.

Possui álcool contido mas não pode sair por aí dirigindo - 13% de graduação. Fez rápido estágio antes de se candidatar em barricas novas de carvalho americano e francês por 4 meses.

Pede uma equipe de governo que acompanhe carnes vermelhas grelhadas, massas com molhos encorpados, algumas caças e queijos semiduros.

Ideal é ser consumido na temperatura entre 15 a 17oC por isso talvez fará mais votos nas regiões de clima mais ameno.

Você pode votar e encontrar o vinho Elegido na Wein Haus, loja especializada em vinhos, localizada na Rua João Pessoa 895, Santa Cruz do Sul, fone (51) 3711.3665 e site www.weinhaus.com.br

E lembre-se: se beber, NÃO DIRIJA!     

segunda-feira, 10 de setembro de 2018

Avaliação Nacional de Vinhos terá renomado corpo de comentaristas



Todos os anos a rotina se repete. Sempre no último sábado do mês de setembro, a Associação Brasileira de Enologia (ABE) reúne cerca de mil apreciadores de vinhos para apresentar o desempenho da safra. É a Avaliação Nacional de Vinhos, maior degustação de vinhos de uma safra do mundo. As 16 amostras mais representativas são degustadas simultaneamente pelo público e cada um dos 16 convidados especiais compartilha comentários sobre um dos vinhos. O painel de comentaristas já começou a ser formado. A brasileira que acabou de assumir a Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV), Regina Vanderlinde, está entre os confirmados.

Regina representa a mais importante instituição do setor no mundo, que pela primeira vez na história é presidida por um brasileiro. As primeiras impressões sobre os vinhos brasileiros da Safra 2018 serão dadas por ela e por outros 15 comentaristas, entre enólogos, jornalistas, sommeliers, médicos e enófilos. O 16º será sorteado entre o público. O Enólogo do Ano 2017, Carlos Abarzúa, também fará parte deste seleto grupo, que conta ainda com o Master of Wine, Dirceu Vianna Jr. e com o consultor de vinhos do Pão de Açúcar, Carlos Cabral.

O público, formado por pessoas de diferentes estilos, idades e profissões, de distintos lugares do mundo, tem em comum o gosto pelo vinho. Todos estarão reunidos em Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha, no dia 29 de setembro. Juntos – público e comentaristas – participarão do maior momento do vinho brasileiro. Serão mais de 8 horas de evento, entre abertura, degustação e comentários, homenagens, prova de espumantes e almoço. Um encontro também de aprendizado e confraternização.

O evento mais concorrido do Brasil pelos apreciadores de vinhos começou ainda em junho, com a inscrição das amostras pelas vinícolas. No mês seguinte, técnicos da ABE e da Embrapa Uva e Vinho, percorreram o Brasil para coletar os vinhos diretamente dos tanques de aço inox. Teve amostra que chegou a percorrer 3 mil quilômetros para chegar na Capital Brasileira do Vinho. Amostras recolhidas, a terceira etapa foi degustar e avaliar cada vinho. Este trabalho foi realizado de 14 a 23 de agosto por 120 enólogos.

O resultado será divulgado no dia 29 de setembro, quando será anunciada a relação dos 30% mais representativos, ou seja, 106 amostras, diante das 344 inscritas por 49 vinícolas de seis estados brasileiros. O público poderá, ainda, degustar 16 amostras selecionadas entre os 30%, provando na taça a representatividade da Safra 2018. O investimento para associado é de R$ 275. Não associados pagam R$ 350. As inscrições abriram às 9h20min do dia 4 de setembro, encerrando 1hora e 30 minutos depois.

COMENTARISTAS CONFIRMADOS

Carlos Abarzúa – Enólogo do Ano 2017 - Brasil
Carlos Cabral – Consultor de Vinhos - Brasil
Carolina Bahia – Jornalista - Brasil
Celso Masson – Jornalista - Brasil
Cristiano Melles – Presidente da ANR Brasil – Brasil
Dirceu Vianna Jr. – Master of Wine - Londres
Edsandro Arruda – Sommelier – Brasil
Francine Dion – Diretora Técnica do Séléctions Mondiales - Canadá
Johnny Mazzilli – Jornalista - Brasil
Lúcia Bailetti – Enóloga - Itália
Otávio Berwanger – Médico Cardiologista - Brasil
Pablo Ugarte – Diretor do Catador Awards - Chile
Regina Vanderlinde – Presidente da OIV – Brasil

*foto Gilmar Gomes

quinta-feira, 6 de setembro de 2018

A torta de abacaxi!



Pense numa sobremesa rápida, fácil e saborosa... Agora abra os olhos e acompanhe a receita!   

Sobremesas que possuem algum ingrediente cítrico são as que mais me surpreendem o paladar, pois tal componente meio que “limpa” a boca tirando dela os sabores residuais do jantar. E nesta perspectiva o abacaxi é um dos ingredientes ideias par o preparo desta rápida e fácil torta cremosa e que leva pouco tempo para ser feita, necessitando de poucos ingredientes. Pode ser servida como sobremesa a qualquer almoço ou jantar. Confira a receita da torta de abacaxi!


Ingredientes:
(para 8 pessoas)

Massa:
150g de manteiga 
2 xícaras de chá de farinha de trigo
1 gema de ovo
1 pitada de sal
1 e meia colher de sopa de açúcar

Recheio:
1 lata de leite condensado
2 latas de leite
2 gemas
2 colheres de sopa de maisena
1 lata de abacaxi picado
1 lata de creme de leite

Cobertura:
3 claras
6 colheres de sopa de açúcar

Preparo:

Massa: Em uma tigela misture a farinha de trigo com a manteiga, a gema, o sal e o açúcar. Misture bem com a mão ate obter uma massa lisa e homogênea. Deixe descansar por 30 min na geladeira coberta por filme plástico. Abra a massa em uma forma de fundo removível. Tente fazer com aproximadamente 1 cm de espessura. Fure a massa com o garfo e leve ao forno ate dourar. Esse processo dura aproximadamente 20 minutos com o forno a 180 graus. Recheio: Misture todos os ingredientes. Cobertura: Bata as claras em neve. Assim que areadas, acrescente o açúcar pouco a pouco. Montagem: Adicione o recheio na massa e cubra com a cobertura de forma irregular.



quarta-feira, 5 de setembro de 2018

Masi Tupungato Malbec 2013 - um Malbec feito por italianos na Argentina!


Abri um Malbec no último final de semana sem muita pretensão, afinal, um vinho de entrada, de uma das uvas que gosto e de uma vinícola pequena para os portes argentinos. Mas me surpreendi positivamente, pois o vinho mostrou-se fácil de beber e sem aquela doçura pesada no final de taça! A Agricola Masi, vinícola com tradição na Itália, no Vêneto - Masi tem larga experiência na técnica de passificação de uvas, usado nos - também elabora vinhos na região de Tupungato no Vale do Uco, em Mendoza, na Argentina. 

E por lá é produzido o Masi Tupungato Malbec 2013, tinto degustado que trouxe muita fruta, especiarias e aquele chocolate tradicional oriundo pela passagem de 6 meses em barrica de carvalho. Aroma com amora, ameixa, mirtilo, violetas e toque balsâmico. Médio corpo, taninos redondos, suculentos e aveludados, boca com leve tostado e fruta negra macerada. Ótimo retrogosto!

Pede como quase todo Malbec carnes na brasa mas faz ótimo par também com risotos, massas, pizzas e até galeto.

Possui 13% de graduação alcoólica e o ideal é ser consumido na temperatura entre 16 a 18oC.

Você encontra o vinho Masi na Wein Haus, loja especializada em vinhos, localizada na Rua João Pessoa 895, Santa Cruz do Sul, fone (51) 3711.3665 e site www.weinhaus.com.br

E lembre-se: se beber, NÃO DIRIJA!