quarta-feira, 22 de maio de 2019

APAE promove terceira edição do Vinho & Arte em Santa Cruz do Sul




A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais – APAE em parceria com a enóloga Maria Amélia Duarte Flores, realiza no dia 24 de maio - sexta-feira, no Villa Martin, a 3ª edição do Vinho & Arte. 


O evento, que já está consolidado, irá proporcionar uma noite especial com degustação de vinhos e espumantes das vinícolas e importadoras parceiras, além de oferecer uma deliciosa mesa de pães, pastas e frios produzida pela equipe do Hilda G. O Jef’s Studio de Dança também reserva surpresas para essa noite especial. A música estará em evidência com o violinista Luiz Kaufmann e também com o cantor Marcel Knak.  Os convites, ao valor de R$ 120,00 (incluída uma taça de cristal), estão disponíveis com a Diretoria Social e na APAE. Toda a renda obtida com o evento é destinada à manutenção das atividades da Entidade, que atende atualmente 380 pessoas com deficiência intelectual e/ou múltipla. Mais informações pelo fone (51) 3711 3098 ou e-mail comunicacao@apaescs.com.br.

Confirmadas as importadoras Carpe Vinum, Cantu, Porto a Porto e InfoCWB e as vinícolas Webber, Dunamis, Gran Legado, Leone di Venezia, Fabian, Família Bebber, Salvattore e também vinhos do La Campana Wine Bar e Empório.

* Foto: Lucas Martin


terça-feira, 21 de maio de 2019

Marquês de Cáceres Rioja Crianza 2014 - um espanhol de ótima "criação"


Os vinhos tintos espanhóis recebem 4 principais classificações: jovens, crianza, reserva e gran reserva. Os “jovens” pelo pouco tempo de armazenamento os deixa com leveza, frescor e tipicidade da casta sem passar por barrica de carvalho. Já os “crianza” refere-se a “criação” e está relacionada com o tempo de maturação desse vinho e sua disciplina nos processos de produção, com pelo menos dois anos de envelhecimento, dos quais seis meses deverão ser em barris de carvalho (com exceção da Rioja, que exige um ano), e o restante do tempo em garrafas. Os vinhos “reserva” envelhecem por no mínimo três anos, sendo o primeiro deles em barris de carvalho e o restante em garrafas. Estes vinhos são elaborados com safras de qualidade acima da média e, por isso, têm as melhores uvas na sua composição.  Por fim os vinhos espanhóis “gran reserva” tem produção somente em safras de excepcional qualidade. Devem amadurecer por cinco anos, dos quais 18 meses são em barris de carvalho e o restante na própria garrafa que será comercializada.

Um bom exemplar é o Marquês de Cáceres Rioja Crianza 2014 elaborado com 85% Tempranillo, 10% Garnacha e 5% Graciano.

De cor rubi profundo e aromas sedutores carregados de frutas maceradas – cerejas, amoras e framboesas – compota, alcaçuz e baunilha. No paladar uma delícia de vinho, madeira bem assentada na fruta, boca redonda, expressiva, taninos doces e macios, leve tostado e amplo final.

Excelente na companhia de charcutaria com queijos médios e fortes, carnes assadas, carnes de caça com molhos condimentados e paella valenciana.

Possui 13,5% de graduação alcoólica e o ideal é ser consumido na temperatura de 16 a 18oC.

Você encontra os vinhos Marques e Cáceres na Wein Haus, loja especializada em vinhos, localizada na Rua João Pessoa 895, Santa Cruz do Sul, fone (51) 3711.3665 e site www.weinhaus.com.br

E lembre-se: se beber, NÃO DIRIJA!     

quinta-feira, 16 de maio de 2019

O rústico de mandioquinha com frango na páprica!



Juntar aroma e sabor ímpares num único prato é o desafio da receita de hoje!

Um dos aromas que mais perfumam a cozinha é o da mandioquinha sendo cozida! Aquele cheiro suave e pleno inebria as narinas e desperta uma ótima sensação prazerosa. A mandioquinha – este tubérculo, também conhecido como batata baroa, batata salsa ou cenoura amarela – é rica em carboidratos e nutrientes e amplamente utilizada na culinária de diversos países. Sua origem remota aos países andinos e atualmente também é produzida nos estados do Sudeste, Centro Oeste e Sul do Brasil. Já a páprica traz um sabor todo especial aos preparos, num misto de picância, defumado, doçura e amargor. Ela é uma especiaria proveniente do pimentão vermelho e há dois tipos, a doce e a picante dependendo do tipo de pimentão que lhe dá vida. A Hungria é o país que mais a consome e o que mais a produz.  Para a saúde é um excelente estimulante para a circulação, reduz e traz benefícios cardiovasculares, possui ação anti-inflamatória e digestiva. Ambos ingredientes são responsáveis pela receita abaixo, que utiliza a denominação “rústico” pelo preparo rápido, básico e direto com que é feito, sendo a mandioquinha servida com casca e o frango preparado na chapa. Confira o rústico de mandioquinha com frango na páprica!


Ingredientes:
(para 4 pessoas)

1kg de sobrecoxas desossadas
600g de mandioquinha
Suco de 1 limão
Adobo desidratado
1 colher de sopa de manteiga
1 colher de sopa de azeite de oliva
Páprica picante em pó
Sal e pimenta moída na hora a gosto

Preparo:


Lave bem as mandioquinhas e leve ara cozinhar com casca numa panela com um pouco de sal e uma folha de louro até ficarem macias (cerca de 20 minutos). Enquanto isso prepare as sobrecoxas desossadas. Num recipiente tempere-as com o suco do limão, sal, pimenta, páprica picante e pitadas de adobo. Aqueça uma frigideira com uma colher de sopa de manteiga e uma colher de sopa de azeite de oliva. Disponha de duas em duas unidades as sobrecoxas para fritar por cerca de 3 a 4 minutos cada lado ou até que estejam cozidas. Retire as mandioquinhas, pique-as grosseiramente e dê uma pequena amassada nelas, tempere com sal, azeite de oliva e pimenta preta moída na hora. Disponha nos pratos e sobre cada porção acomode uma sobrecoxa decorando com algum raminho verde. Sirva em seguida!





terça-feira, 14 de maio de 2019

Quinta dos Bons Ventos 2017 Vinho Verde DOC - leve como uma brisa primaveril!


Você já deve ter ouvido falar em vinho verde, quase uma instituição cultural em Portugal! Agora possivelmente você não saiba é que o vinho verde de verde não tem nada! Pode ser branco, rosé ou tinto inclusive. Tal denominação não está ligada a sua cor, mas sim ao local onde o vinho é produzido - região localizada no noroeste de Portugal, situada ao norte entre as margens do Rio Minho indo até o Rio Douro, ao sul. Tal expressão “verde” é apontada por muitos conhecedores do mundo do vinho devido a alta acidez deste vinho. O verde é jovem e está pronto para ser consumido sem ter passado por períodos de maturação nas barricas ou em caves aguardando amadurecer. 

Um exemplar vindo d’além mar é o Quinta dos Bons Ventos 2017 Vinho Verde DOC elaborado com as castas Arinto, Avesso, Loureiro e Trajadura. De coloração amarelo palha quase transparente na taça, traz ao nariz uma boa carga cítrica – abacaxi, pêssego, lima e pera -  também toque floral e mineral. Em boca a citricidade e a mineralidade se repetem somada a acidez média presente. Muito fresco de beber, redondo, fácil de harmonizar ou mesmo para ser bebido sem companhia.  Um vinho simples, direto e como diria um enólogo português amigo meu, “sem frescura”!

Os vinhos verdes harmonizam com frutos do mar, bacalhoadas, risotos de frutos do mar, saladas com folhas verdes e leguminosas, sushi e sashimi.  

Possui 8,5% de graduação alcoólica e o ideal é ser consumido na temperatura de 9 a 11oC.

Você encontra os vinhos Quinta dos Bons Ventos na Wein Haus, loja especializada em vinhos, localizada na Rua João Pessoa 895, Santa Cruz do Sul, fone (51) 3711.3665 e site www.weinhaus.com.br

E lembre-se: se beber, NÃO DIRIJA!     

domingo, 12 de maio de 2019

Produza seu próprio vinho, seja um Winemaker Miolo!


A Vinícola Miolo, com sede no Vale dos Vinhedos em Bento Gonçalves, abriu as inscrições para participar do Winemaker Miolo – Vinho Tinto VI, única experiência da América Latina que permite fazer seu próprio vinho com DOVV (Denominação de Origem do Vale dos Vinhedos). 


De agosto de 2019 a junho de 2020 serão quatro encontros com uma programação que inclui teoria e prática, além de almoços e jantares temáticos e harmonizados. O resultado da experiência são 60 garrafas para cada participante com rótulo personalizado, desenvolvido a partir do briefing de cada ‘enólogo amador’. O vinho, da emblemática variedade Merlot, carrega a distinção da Denominação de Origem Vale dos Vinhedos (DOVV). Adriano Miolo conduz todas as etapas com o suporte de uma equipe técnica formada por engenheiros agrônomos e enólogos da marca. 


Em 10 anos, o Winemaker Miolo formou 112 apreciadores – cinco turmas de Vinho Tinto e duas de Espumante. Informações e inscrições podem ser feitas pelo e-mail winemakers@miolo.com.br ou pelos telefones (54) 2102.1500 e (54) 98133.0032, com Thaís Somensi.

sexta-feira, 10 de maio de 2019

O assado da mamãe!



Neste próximo Dia das Mães que tal preparar aquela receita para ela?

Neste domingo das mães poderia eu estar debruçado sobre as letras comentando sobre as delícias gastronômicas que minha a mãe Amanda preparava na minha infância e juventude e resgatando uma de suas receitas que mais me marcaram. Mas a minha mãe nunca foi uma excepcional cozinheira – para doces, sim, afinal, suas origens portuguesas herdadas de sua mãe e avó deram a ela uma bela base - quando o assunto era comida salgada. Até hoje relembramos do seu cachorro quente rio Gangis, um caldo ralo com colorau com algumas fatias de cebola e salsichas picadas boiando. Esta predileção pelos salgados era tarefa do meu pai, simples e sábio no uso dos temperos e pontos de cozimento.

Mas voltando a minha mãe, ela é uma apreciadora de carnes grelhadas, o churrasco está entre seus pratos preferidos, e por isso a receita de hoje é dedicada a esta mulher e por extensão a todas as mães no seu dia, o Vazio Recheado! Confira  



Ingredientes:
(para 2 pessoas, você e sua mãe!)

1 peça de vazio de 1 kg
1 cebola bem picada
Fatias de bacon bem finas
Fatias de queijo
Folhas de espinafre
Pimenta do reino
Sal
Cordão para amarrar

Preparo:

Limpe toda a peça, retirando as gorduras e membranas existentes. Com um batedor de bifes, amacie e estique a peça. Tempere com sal dos dois lados. Espalhe a cebola picada por todo o vazio, e salpique um pouco de pimenta sobre elas. Coloque as fatias de bacon, depois as folhas de espinafre e, por último, o queijo. Comece a enrolar, deixando as pontas sem o recheio, ou a cada volta, empurre o recheio para dentro. Amarre bem e enrole em papel alumínio. Leve a churrasqueira a média altura por cerca de 30 minutos cada lado. Após esse tempo, remova o papel alumínio e volte a churrasqueira cerca de 10 minutos cada lado. Retire o cordão, corte em rodelas e sirva. Aí é só correr para o abraço da mamãe!!!

quinta-feira, 9 de maio de 2019

Robert Mondavi Woodbridge Zinfandel 2014


Outro dia provei o tinto californiano Woodbridge Zinfandel 2014 produzido pela Robert Robert Mondavi Winery, excelente vinícola americana estabelecida no Napa Valley e que carrega consigo os preceitos produtivos do Velho Mundo. Este bom tinto é elaborado com 78% Zinfandel, 11% Petite Sirah, 3,5% Tannat, 3,5% Alicante Bouschet, 2,5% Carignan e 1,5% Barbera, uma verdadeira Torre de Babel vinífera.

Apresenta um lindo visual rubi com reflexos violáceos, denso na taça, com uma explosão de aromas trazendo frutas negras com ameixa e mirtilo em destaque, pimenta, alcaçuz, chá preto e especiarias. Em boca é muito equilibrado, com bastante fruta no paladar, leve tostado e com ótima acidez o que destaca seu potencial gastronômico. Taninos suaves e amplo final de boca.

Estagia por cerca de 6 meses em barricas de carvalho francês.

É um vinho bem versátil na harmonização, indo muito bem com massas de molhos mais potentes, carnes vermelhas preparadas na brasa, forno ou panela,  legumes e queijos médios.

Possui 13,5% de graduação alcoólica e o ideal é ser consumido na temperatura de 16 a 18oC.

Você encontra os vinhos Robert Mondavi na Wein Haus, loja especializada em vinhos, localizada na Rua João Pessoa 895, Santa Cruz do Sul, fone (51) 3711.3665 e site www.weinhaus.com.br

E lembre-se: se beber, NÃO DIRIJA!