quarta-feira, 20 de outubro de 2021

O XII Concurso do Espumante Brasileiro!

 

 

Com número recorde de amostras inscritas, uma das maiores e mais importantes avaliações de espumantes da América do Sul premiou 134 rótulos

 


E mais uma edição do Concurso do Espumante Brasileiro aconteceu e foi nessa nesta última semana em Garibaldi, a terra do espumante. Organizado pela Associação Brasileira de Enologia por lá podemos mais uma vez perceber a diversidade e qualidade do espumante que é produzido em terras tupiniquins, mundialmente reconhecidas. Durante dois dias 45 jurados entre eles enólogos, sommeliers e jornalistas especializados puderam descobrir um pouco mais sobre aquilo que é produzido em termos de espumante em vários estados e dezenas de vinícolas e rótulos. As avaliações são às cegas (não se saber qual o rótulo e nem o produtor) e seguem as regras da OIV – Organização Internacional do Vinho – e logo no primeiro dia já houve quatro Grande Ouro (acima de 92 pontos) - a premiação máxima do concurso. O concurso avaliou espumantes naturais, provenientes de uvas vitis viníferas, obtidos a partir dos diferentes métodos, que estejam sendo comercializados normalmente pelas empresas nas categorias: espumantes de segunda fermentação (Charmat e Tradicional) e espumantes de primeira fermentação (Moscatéis). Foram premiados os espumantes melhores classificados por categoria, respeitando o limite de 30% dos inscritos (Foram 134 espumantes premiados – 8 Grande Medalha de Ouro e 126 Ouro, de 62 vinícolas). Ao total foram avaliados 424 espumantes de 93 vinícolas de Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo, além do Distrito Federal.

Ao final mais uma vez quem ganhou foi o consumidor afinal de contas já encontra nas gôndolas dos melhores supermercados e lojas de vinhos estes espumantes avaliados. Um brinde e viva o vinho brasileiro!

 

PRÊMIO DESTAQUE SABRE DE OURO

 


O 12º Concurso do Espumante Brasileiro seguiu o formato da edição anterior, prevendo uma distinção especial concedida a espumantes que se sobressaíram em suas categorias. O objetivo é exaltar ainda mais a produção nacional. O Sabre de Ouro foi entregue a seis espumantes, um em cada categoria. Para isso, ao final do concurso, foi realizada uma degustação de preferência entre os produtos que conquistaram Medalha de Ouro e melhores medianas, a fim de destacar a preferência dos jurados.

 


“A qualidade dos nossos espumantes é inerente a nossa história de muito trabalho, estudo e tecnologia. Hoje, vendemos um conceito, uma história construída ao logo do tempo. É história engarrafada, o que nos orgulha, ainda mais com o reconhecimento técnico”. Enólogo André Gasperin, presidente da ABE 




Confira os principais rótulos premiados:

 

DESTAQUES SABRE DE OURO:

Categoria Espumante Branco Charmat

Salton Espumante Brut – Vinícola Salton (Bento Gonçalves – RS)

 

Categoria Espumante Branco Tradicional

Cave de Pedra Espumante Brut D.O. – Vinícola Cave de Pedra (Bento Gonçalves – RS)

 

Categoria Espumante Rosé Charmat

Salton Espumante Brut Rosé – Vinícola Salton (Bento Gonçalves – RS)

 

Categoria Espumante Rosé Tradicional

Casa Valduga Espumante Premium Brut Rosé – Casa Valduga (Bento Gonçalves – RS)

 

Espumante Moscatel

Casacorba Espumante Moscatel – Vinícola Casacorba (Nova Roma do Sul – RS)

 

Categoria Espumante Nature

Don Guerino Espumante Blanc de Blanc Nature – Vinícola Don Guerino (Alto Feliz – RS)

 

GRANDE MEDALHA DE OURO:

 

Aracuri Collector Espumante Blanc de Noir Sur Lie Nature 2017 - Aracuri Vinhos Finos - Aliprandini e Meyer Vinhos (Vacaria – RS)

 

Casa Valduga 130 Espumante Brut Rosé – Casa Valduga Vinhos Finos (Bento Gonçalves – RS)

 

Casa Valduga Espumante Arte Brut Rosé – Casa Valduga Vinhos Finos (Bento Gonçalves – RS)

 

Oremus Espumante Moscatel Rosé – Fante Indústria de Bebidas (Flores da Cunha – RS)

Varanda Espumante Brut 2019 – Indústria Vinícola São Luiz (Garibaldi – RS)

 

Ponto Nero Cult Espumante Brut Rosé – Ponto Nero Indústria de Bebidas (Garibaldi – RS)

Casacorba Espumante Brut Rosé – Vinhos Casacorba (Nova Roma do Sul – RS)

 

Salton Gerações Azir Antonio Salton Espumante Nature – Vinícola Salton (Bento Gonçalves – RS)

 

O JÚRI

1.               Adalberto Bortolini

Degustador

2.               Alejandro Cardozo

Degustador

3.               Alexandra Aranovich

Degustador

4.               Andre Donatti

Degustador

5.               Andreia Debon

Degustador

6.               Artur Tremper Farias

Degustador

7.               Bruna Cristófoli

Presidente de Júri

8.               Carlos Abazúa

Degustador

9.               Carlos Zanus

Degustador

10.            Cedenir Fortunatti

Degustador

11.            Cláudia A. Stefenon

Degustador

12.            Daniel Dalla Valle

Degustador

13.            Dirceu Scottá

Degustador

14.            Edegar Scortegagna

Presidente de Júri

15.            Emerson Haas

Degustador

16.            Fábio Greghy

Degustador

17.            Flavio Zílio

Degustador

18.            Gilberto Pedrucci

Presidente de Júri

19.            Gilberto Simonaggio

Presidente de Júri

20.            Irineo Dall’Agnol

Degustador

21.            João Valduga

Degustador

22.            Jorge Cattani

Degustador

23.            Juciane Casagrande Doro

Degustador

24.            Júlio César Kunz

Degustador

25.            Leandro Santini

Degustador

26.            Luciana T. Marques

Degustador

27.            Luiz Milani

Degustador

28.            Magnos Basso

Degustador

29.            Maicol Zanella

Degustador

30.            Marcel Miwa

Degustador

31.            Marco A. Salton

Degustador

32.            Marcos Gabbardo

Presidente de Júri

33.            Marcos Vian

Degustador

34.            Maria Amélia Flores

Degustador

35.            Nara Caviquioli

Degustador

36.            Natália Cavagnoli

Degustador

37.            Nelson Rotta Randon

Degustador

38.            Ricardo Morari

Presidente de Júri

39.            Rodrigo Ferraz

Degustador

40.            Samuel Cervi

Degustador

41.            Séfora Kniphoff

Degustador

42.            Sérgio Chesini

Degustador

43.            Silvia Mascella Rosa

Degustador

44.            Vanderlei Gazzi

Degustador

45.            William Vaccaro

Degustador

 


* Emerson Haas foi um dos jurados a convite da Associação Brasileira de Enologia.

** Fotos: Jeferson Soldi  e Emerson Haas

sexta-feira, 8 de outubro de 2021

Santa Rita 3 Medallas Chardonnay 2018

 


Os vinhos elaborados pela uva Chardonnay se deram muito bem no Chile. Pela condição de geolocalização e clima influenciado pela proximidade com o Oceano Pacífico e pela Cordilheira dos Andes os rótulos desta casta mesmo sendo de linha de entrada ficam acima da expectativa. Um destes vinhos é o Santa Rita 3 Medallas Chardonnay 2018 elaborado pela gigante chilena Viña Santa Rita.  É um vinho de linda coloração amarelo palha com nuances esverdeadas, muito brilhante e límpido.

O nariz abre com a mineralidade e logo depois entrega aromas cítricos de abacaxi maduro, pêssego, maçã, mel e banana. Também baunilha e leve amanteigado envolvem a citricidade. Ótimo em boca, redondo, cômodo, equilibrado, fresco e com boa acidez com delicioso e persistente final.

Repousa cerca de 6 meses em barricas de carvalho americano e francês.

Faz bela companhia na harmonização com frutos do mar, carnes brancas, saladas estruturadas e queijos massa mole.

Possui 13% de graduação alcoólica e o ideal é degustá-lo na temperatura de 8 a 10oC.

E lembre-se: se beber, NÃO DIRIJA! 

quinta-feira, 7 de outubro de 2021

O rosbife!

 

Nascido na Inglaterra e popular na América, o rosbife é um prato versátil e sugestivo!

O rosbife – “roast beef” ou carne assada em seu nome original - é um prato de origem inglesa possivelmente do final do século XIX e que consiste como a tradução fala, em uma carne bovina magra bem temperada e assada. Mesmo sendo uma receita fácil e descolada, requer alguns cuidados. Na Europa é preparado com filé mignon e no Brasil se utiliza o lagarto, a fraldinha ou mesmo cortes sem gordura. O ideal é deixar o rosbife absorver o tempero por pelo menos 24 horas deixando-o descansar na geladeira pelo período. Confira o preparo desta iguaria!  

 


Ingredientes:
(para 4 pessoas)
 
1 kg de fraldinha
100 ml de vinagre de vinho tinto seco
3 colheres de sopa de óleo de girassol
2 colheres de sopa de molho inglês
2 colheres de sopa de mostarda dijon
2 colheres de sopa de sal
1 colher de sopa de açúcar mascavo
4 dentes de alho ralados
Pimenta preta à gosto
Ramos de alecrim e tomilho frescos

 

Preparo:

Coloque a carne em uma assadeira. Combine o vinagre, 2 colheres de sopa de óleo, molho inglês, mostarda, sal, açúcar mascavo, alho e pimenta em uma tigela e bata até que o sal e o açúcar se dissolvam. Despeje a marinada sobre o bife, distribuindo-a uniformemente. Cobrir com filmito plástico e levar a geladeira por cerca de 24 horas. Retire a carne da geladeira e deixe repousar em temperatura ambiente por 15 minutos. Descarte a marinada e leve a carne uma assadeira com metade das ervas e coloque no forno aquecido a 200oC por cerca de 10 minutos, saque do forno, vire a carne e deixe por mais 7 a 10 minutos. Retire a carne da assadeira e deixe descansar por 10 minutos. Transfira a carne para uma tábua de cortar e corte em fatias finas arrumando estas fatias sobre os temperos frescos numa bandeja e sirva imediatamente acompanhado de torradas e salada verde.

 

  

quarta-feira, 6 de outubro de 2021

12º Concurso do Espumante Brasileiro bate recorde de amostras inscritas

 

Desde 2001, quando foi realizada a primeira edição do Concurso do Espumante Brasileiro, o número de amostras inscritas não parou de crescer, assim como as vinícolas. Num aumento contínuo, o evento acaba de bater novo recorde confirmando a inscrição de 425 amostras de 93 vinícolas de seis estados (Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo), além do Distrito Federal. O concurso será realizado de 13 a 15 de outubro na Capital do Espumante Brasileiro, em Garibaldi (RS), numa realização da Associação Brasileira de Enologia.

 


O incremento no número de espumantes foi de 13%, mostrando a representatividade e a aposta do setor vitivinícola brasileiro no produto. Com expectativa superada, agora a ABE intensifica os trabalhos para a degustação, que seguirá normas internacionais estabelecidas pela Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV). As sessões serão realizadas às cegas no Centro de Eventos do Hotel Dall’Onder SKI com a participação de mais de 45 técnicos, entre eles enólogos, sommeliers e jornalistas especializados, divididos em seis júris.

Para o presidente da ABE, enólogo André Gasperin, depois de ter superado os números de 2019, agora a expectativa se volta para a qualidade dos espumantes. “A evolução do espumante brasileiro vem surpreendendo os jurados a cada edição. Esperamos que este ano esta constatação se repita ao final do evento”, destaca. Na edição passada, 125 espumantes foram premiados com notas superiores a 88 pontos. Destes, 14 conquistaram Grande Medalha de Ouro superando os 92 pontos. “O Concurso do Espumante Brasileiro é uma janela para o mundo, expõe nossos melhores espumantes tanto no mercado interno, quanto externo, sendo referência de pesquisa para quem busca apreciar rótulos diferenciados”, complementa o presidente.

O concurso avalia espumantes naturais, provenientes de uvas vitis viníferas, obtidos a partir dos diferentes métodos, que estejam sendo comercializados normalmente pelas empresas nas categorias: espumantes de segunda fermentação (charmat e tradicional) e espumantes de primeira fermentação (moscatéis). Serão premiados os espumantes melhores classificados por categoria, respeitando o limite de 30% dos inscritos conforme normas internacionais.

 

 

quinta-feira, 30 de setembro de 2021

Cogumelos no shoyu com pão sírio!

 

Dizem que todos os cogumelos são comestíveis, porém alguns apenas por uma vez! Confira uma receita desta iguaria

O tema “cogumelos” já foi tratado diversas vezes aqui neste espaço, com receitas, origem, as variedades e os cuidados na hora do consumo. Hoje resgato uma receita de como preparar um bom mix de cogumelos. Recomendam-se alguns cuidados no preparo, como ao lava-los ter o cuidado para não deixar de molho e secar muito bem antes de usa-los, pois o cogumelo absorve muita água e pode ficar prejudicado no ponto do cozimento. Outra dica é deixar pouco tempo no fogo para que não fiquem excessivamente murchos. O sabor da receita é inigualável! A seguir o mix de cogumelos no shoyu com pão sírio.

 


Ingredientes:
 
200g de cogumelos variados (salmão,shimeji, paris, shitake)
Meio dente de alho picado
Meia cebola pequena picada
Duas colheres de sopa de manteiga
Duas colheres de sopa de molho de soja (shoyu)
Sal
Pimenta do reino
Cebolinha verde picada
Dois pães sírios

 

Preparo:

 

Cortar os cogumelos em pedaços maiores e reservar. Aquecer em uma frigideira a manteiga e somar o alho e a cebola e refogar por alguns minutos até a cebola murchar. Em seguida adicionar os cogumelos e em fogo baixo passar rapidamente na manteiga. Temperar com sal, pimenta e com o shoyu. Mexer por 2 ou três minutos e tirar do fogo. Em um prato usar como fundo o pão sírio e por cima adicionar os cogumelos e sobre estes a cebolinha verde picada. Servir.