quinta-feira, 26 de dezembro de 2019

Os Melhores do Ano 2019


Confira a relação das melhores opções de Santa Cruz do Sul nesta gastro-retrospectiva!


E chegamos mais a um final de ano e como sempre a rememoração de tudo o que vivemos nele vêm à tona, guardamos as coisas boas e filtramos as coisas indesejadas. Em comida e bebida também é o momento de elencarmos aquilo que mais se destacou. Neste 2019 sob a minha particular perspectiva elegi o que mais gostei de ver, provar e beber em Santa Cruz do Sul com o uso de apenas um critério, o prazer. Segue uma pequena amostragem daquilo que o Eu, Gourmet considera os melhores do ano.



Restaurante revelação: Kinkao Cozinha Tailandesa
Restaurante japonês: Octo Sushi
Carnes assadas: Parilla La Campana
Pizza: Basca, pizzaria Fornalha
Pizzaria Delivery: Dodo’s
Lanche: Convés
Padaria: Cucas da Rosana
Cafeteria: Sorella
Food Truck: Food Park Pasqualini
Prato bem servido: Filé à Parmigianna (restaurante Águas Claras)
Cervejaria: Heilige
Cerveja: H Bier Crocodale e Heilige German IPA
Sobremesa: Brownie de chocolate com calda de caramelo e gelato (Octo Sushi)
Fruto do mar: Bacalhau as natas (Brasserie Chef Davi)
Carne: Polpetone (Pizzaria La Fiamma)
Galeteria: Casa Gaspar
Massa: Talharim a carbonara (Galeteria Brolese Solo)
Hamburgueria: Red Container
Petisco de boteco: Cesto com bolinhos de carne (Heilige Brew Pub)
Happy hour: Cervejaria Heilige
Comida caseira: restaurante Domi Casa das Cucas
Buffet por quilo: Restaurante Gellada
Canapés: Mariana Almeida Eventos
Passeio para ir comer: Restaurante Verde Vale, em Rio Pardinho
Supermercado com melhor oferta de produtos gourmet: Zaffari
Loja de utensílios para cozinha: Afubra
Loja de vinhos: Wein Haus
Carta de vinhos: Parilla La Campana
Chef Revelação: Fabiane Grudzinski
Vinho tinto brasileiro: Almaúnica Cabernet Franc 2018
Vinho branco brasileiro: Pizzato Sauvignon Blanc 2019
Vinho best buy (custo-benefício) brasileiro: Guatambu Rastros do Pampa Tannat 2018
Espumante brasileiro: Miolo Íride 2009

Que Deus ilumine a todos e um próspero 2020 cheio de paz, saúde, felicidade e de pratos e cálices sempre cheios!      


quarta-feira, 25 de dezembro de 2019

Cave Amadeu Nature Rústico - um delicioso sur lie!


Muito em voga nestes últimos anos no Brasil os espumantes elaborados pelo método “sur lie” vêm conquistando os paladares dos enófilos e consumidores país afora! Sur lie é um termo francês que significa “sobre as borras” e trata-se de uma técnica de amadurecimento de vinhos que permanecem em contato com as células mortas de leveduras, após a fermentação.  É comumente utilizada em espumantes e vinhos brancos mas também não é proibida nos tintos. Este descanso sobre as borras de leveduras influencia a estrutura tânica do vinho, o corpo e o aroma. As garrafas de espumante elaboradas assim não levam a rolha de cortiça, mas sim uma tampa de garrafa metálica (iguais as de cerveja) pois o espumante não é sangrado no degórgement - resfriado para expulsão das leveduras e posterior colocação da rolha.

Um dos bons rótulos produzidos por aqui é o Cave Amadeu Nature Rústico  envasado pela Cave Geisse de Pinto Bandeira, na Serra Gaúcha. Utiliza 80% de uvas Chardonnay e 20% de Pinot Noir na sua composição. Possui bela cor amarelo dourada com intenso perlage subindo na taça. Aromas que remetem às leveduras e frutas cítricas. Esplêndida boca, fresca, volumosa, marcante e persistência. Vale muito a pena degustar!

Recebeu honrarias sendo o Vinho Revelação - Descorchados 2019 com 93 pontos e ainda o Melhor Espumante de Pinto Bandeira pelo mesmo guia.

É um espumante que harmoniza com uma infinidade de tipos de comida, pois sua acidez promove um ótimo equilíbrio na acomodação dos sabores. Portanto, use sua curiosidade para harmonizar esta Sur Lie!

Possui 12% de graduação alcoólica e o ideal é ser consumido na temperatura entre 4 e 6oC.

Você encontra os espumantes da Cave Geisse na Wein Haus, loja especializada em vinhos, localizada na Rua João Pessoa 895, Santa Cruz do Sul, fone (51) 3711.3665 e site www.weinhaus.com.br.

E lembre-se: se beber, NÃO DIRIJA!     

segunda-feira, 23 de dezembro de 2019

2019 encerra com 259 premiações em 14 países para o vinho brasileiro!




Desde que o Brasil começou a enviar amostras de vinhos e espumantes para concursos internacionais sistematicamente, já foram alcançadas 4.535 premiações. Este número reflete a realidade de prêmios computados pela Associação Brasileira de Enologia (ABE) desde 1995. Somente em 2019, foram 259 medalhas, sendo 18 Grandes Medalhas de Ouro. O reconhecimento veio da Argentina, Brasil, Chile, Espanha, EUA, França, Grécia, Hungria, Inglaterra, Itália, México, Portugal, Suíça e Uruguai. A maior quantidade veio da Inglaterra com 101 medalhas, seguida pela França com 44, o que demonstra que estes países estão sendo visados pelas vinícolas brasileiras como importantes mercados.

Para o presidente da ABE, enólogo Daniel Salvador, conquistar este reconhecimento internacional em degustações às cegas com especialistas mundiais é sim motivo de comemoração. “Uma medalha é sempre brindada com muita alegria, pois é a aclamação de um júri qualificado. Se o mundo aprova, o Brasil reconhece”, comemora. Mesmo não tendo superado o número do ano passado, o desempenho está um pouco acima da média dos últimos 10 anos, só ficando atrás de 2014, 2016 e 2018. Salvador acredita que em razão do momento econômico tenha influenciado na diminuição do envio de rótulos uma vez que o valor é pago por amostra.

O espumante brasileiro já é uma sumidade mundial e segue arrematando prêmios importantes, inclusive no país do champagne. Mas o grande destaque a ser feito é para os vinhos tranquilos que somente este ano alcançaram 94 premiações, sendo 60 para variedades tintas. “O Brasil é um produtor do Novo Mundo que elabora vinhos de alta qualidade, comparados com os de tradicionais regiões do mundo. Evoluímos e evoluímos muito rápido. A prova está na taça. É só deixar de lado o preconceito e tirar a prova em degustações às cegas”, destaca o presidente da ABE.

Fora do circuito dos concursos internacionais, mas não menos importante, 2019 também foi marcado pela realização da 11ª edição do Concurso do Espumante Brasileiro, promovido pela ABE. Com a melhor performance da história, o espumante brasileiro conquistou 14 Grandes Medalhas de Ouro e 111 de Ouro. É a ‘explosão’ do espumante brasileiro, no melhor sentido da palavra. A sumidade da bebida é incontestável no mundo inteiro. A produção nacional, hoje em 18 milhões de litros por ano, conforme dados da Uvibra, vem crescendo cerca de 10% a cada safra e o reconhecimento faz parte de uma rotina diária. O 11º Concurso do Espumante Brasileiro, reflete esta realidade, num desempenho recorde de pontuação avalizado por 52 jurados entre enólogos, sommeliers, médico, jornalistas e wine influencers.

O Concurso – o maior de todos - não apenas cresceu no número de amostras, que nesta edição foi 20% maior que a de 2017, chegando a 376 espumantes de 89 vinícolas, como também evoluiu na qualidade. Prova disso, é que todos os 125 espumantes premiados atingiram notas superiores a 88. Os 14 espumantes que conquistaram Grande Medalha de Ouro superaram os 92 pontos. “Não precisamos mais provar nada a ninguém. O espumante brasileiro é reverenciado no mundo todo pela sua qualidade e diversidade, fruto de muito trabalho do enólogo, dos viticultores, dos vinicultores. Em dois dias, degustamos quase 400 amostras que expressam os diferentes terroirs brasileiros. E para nossa felicidade, comprovamos que a qualidade está presente em cada um desses estados que estiveram representados com amostras. O Brasil dos espumantes é um continente de terroirs e o prazer e orgulho é todo nosso”, festeja Daniel Salvador.

De forma inédita, o resultado premia amostras de todos os estados participantes: Bahia, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo, o que demonstra o alto padrão do espumante nacional. Além disso, entre os premiados estão espumantes de pequenas, médias e grandes vinícolas, numa representatividade de dar inveja. “Foi emocionante ver e ouvir os jurados batendo palmas em cada Grande Medalha de Ouro alcançada. O brasileiro, definitivamente, precisa reconhecer o seu espumante, que é do Brasil. Valorizar o que é nosso com orgulho”, destaca Salvador.

quinta-feira, 19 de dezembro de 2019

A berinjela gratinada!


Quando desembarcou no ocidente foi acusada de planta venenosa (mala insana em latim, que deu origem a palabra melanzana ou berinjela em italiano) mas trata-se de um excepcional legume!

A berinjela tem diversas propriedades e por muitos é conhecida como substituta da carne devido as suas características vitamínicas, proteicas e minerais.  É bastante versátil no preparo – tente preparar na chapa, somente cortada em fatias, regada com bastante azeite de oliva – podendo ser feita no forno, fogão ou brasa. Confesso que cozida não é das melhores, pois os seu amargor destaca-se no palato. A receita de hoje leva guisado e queijo, uma mistura espetacular para a berinjela, gratinada ao forno. Confira!  



Ingredientes:
(para 4 pessoas)

4 berinjelas
300g carne moída
200g de queijo muçarela
1 cebola
2 tomates picados em cubinhos
50g de queijo ralado
Sal, pimenta e orégano à gosto
Azeite de oliva
Óleo para fritar a carne

Preparo:

Lave bem as berinjelas e parta-as ao meio, regue com um fio de azeite de oliva, polvilhe com sal e leve ao forno pré-aquecido a 200oC por cerca de 15 minutos. Retire do forno e cuidadosamente retire a polpa com uma colher. Coloque o óleo numa frigideira e frite a cebola, a polpa da berinjela, a carne, o tomate e o orégano. Quando a carne estiver cozida e dourada, retire do fogo. Acrescente o tomate, o queijo e recheie as berinjelas. Cubra-as com a muçarela e o queijo ralado. Leve ao forno novamente a 200°C para gratinar e sirva em seguida.

Você sabia?

A berinjela é o fruto da planta Solanum melongena, originária da Índia. De acordo com alguns historiadores, seu cultivo teve início há cerca de quatro mil anos, como planta ornamental. Chegou à Europa no século XIII, através dos árabes da Península Ibérica. Em regiões de clima quente, a época de plantio dura o ano todo. A berinjela é rica em proteínas, vitaminas A, B1, B2, B5, C, e minerais como cálcio, fósforo, ferro, potássio e magnésio. É muito digestiva, nutritiva e laxante. Ajuda a diminuir o colesterol no sangue e a baixar os níveis de triglicérides. Pode ser consumida cozida, frita, assada ou grelhada. Utilizada na preparação de pratos como o cuscuz, suflê, torta, salada.


terça-feira, 17 de dezembro de 2019

Penfolds Rawson’s Retreat Shiraz-Cabernet Sauvignon 2012


A Penfolds é uma das grandes vinícolas da Austrália! Dos vinhedos cravados no sul daquele país saem dezenas de rótulos os quais tem nas uvas Syrah, Cabernet Sauvignon e Pinot Noir suas parcelas mais significativas. Uma de suas linhas de entrada produz o tinto Penfolds Rawson’s Retreat Shiraz-Cabernet Sauvignon 2012, um vinho de excelente custo-benefício diga-se de passagem.

Elaborado com um corte de Shiraz (65%) e Cabernet Sauvignon (35%).

Apresenta à taça coloração rubi profundo, quase turvo. Brinda o olfato com aromas pronunciados de frutas vermelhas e negras (cereja, ameixa e groselha) e toques de pimenta preta, chá preto, leve mentol, hibiscos e final mineral. Possui corpo médio, acidez média com fruta igualmente destacada, chocolate, final um pouco rápido e com média persistência, taninos suaves e delicados, ótimo retrogosto!

Repousa por cerca de 6 meses em barricas de carvalho francês.

Harmoniza com carnes vermelhas condimentadas com molhos de vinho ou frutas, massas com molhos condimentados, risoto de cogumelos, peru, pato e marreco assado.

Possui 13,5% de graduação alcoólica e o ideal é ser consumido na temperatura entre 15 e 17oC.

Você encontra dezenas de vinhos australianos na Wein Haus, loja especializada em vinhos, localizada na Rua João Pessoa 895, Santa Cruz do Sul, fone (51) 3711.3665 e site www.weinhaus.com.br.

E lembre-se: se beber, NÃO DIRIJA!     

quinta-feira, 12 de dezembro de 2019

O tira-gosto de cogumelo!


Não se precisa muito para cozinhar, apenas um pouco de interesse e uma dose de criatividade!

O cogumelo Portobello lembra o tradicional Paris, só que é bem maior, de cor castanha, ideal para fazer recheado ao forno ou preparado em fatias seja num risoto, numa massa ou simplesmente com pão de forma, como esta receita sugere! Acompanhe este fácil e delicioso preparo do tira-gosto de cogumelo!  


Ingredientes:
(para 2 pessoas)

150g de cogumelo Portobello fresco
4 fatias de pão de forma
1 dente de alho picadinho
1 colher de sopa de manteiga sem sal
1 colher de sopa de azeite de oliva
3 colheres de sopa de molho de soja shoyu
Pimenta preta moída à gosto
Cebolinha verde picadinha  

Preparo:

Coloque um fio de oliva sobre as fatias de pão, unte uma assadeira e leve este pão de forma para o forno pré-aquecido a 200oC por cerca de 5 minutos para dar uma leve bronzeada. Enquanto isso prepare o cogumelo, fatiando-o em fatias de cerca de meio centímetro. Aqueça uma frigideira e coloque nela a manteiga, o azeite de oliva e o molho de soja e assim que aquecer junte o alho, logo em seguida o cogumelo fatiado. Em fogo alto salteie até murchar, tempere com a pimenta e reserve. Monte o tira gosto colocando sobre cada fatia de pão um pouco do cogumelo salteado e salpicando com a cebolinha picada! Sirva a seguir acompanhado de um bom espumante brut champenoise!

quarta-feira, 11 de dezembro de 2019

Confeiteira Najara Knabach


Uma ótima dica de doces, salgados e panetones para este final de ano são os produzidos pela confeiteira Najara Knabach, com entrega própria das encomendas para Santa Cruz, Vera Cruz, Venâncio Aires e redondeza. Toda a linha denominada “comfort food” ou seja, comida bem feita, a preço justo, bons ingredientes e fácil de consumir é possível de ser encomendada: comidinhas congeladas, panquecas, lasanhas, nhoques, molhos para massas, dadinhos de tapioca, doces, salgados e panetones, tudo mediante encomenda. A novidade são os mini-panetones recheadíssimos!  As encomendas e contato podem ser feitas pelo fone 51.99701-9218.