quarta-feira, 30 de setembro de 2020

Carlota Joaquina - vinho português ara brindar a Megera de Queluz

 

O vinho é pura história e como tanto se confunde com ela, seja no enredo ou na alegoria! E o vinho comentado desta semana é um bom exemplo pois leva o nome de uma das mais contestadas figuras históricas do Brasil e Portugal, Carlota Joaquina, a espanhola que foi princesa do Brasil e rainha lusa. Contam os relatos históricos que Carlota Joaquina além de ser uma rainha ninfomaníaca detestada pela corte portuguesa pela sua volúpia e temperamento também era odiada pelo povo daqui e de lá, a mulher que ficaria conhecida como A Megera de Queluz, chegava a consumir vários litros por dia de uma bebida semelhante a caipirinha (levava cachaça, limão ou lima e açúcar) além de muito vinho. 

E é em além mar que o tinto português Carlota Joaquina é elaborado a partir de Castelão, Aragonez e Trincadeira cultivadas nas regiões do Douro, Alentejo e arredores de Lisboa. Mas diferentemente do perfil da espevitada regente este blend é fresco, jovem e frutado. Sua rica coloração rubi puxa as frutas vermelhas maduras da Castelão, com o equilíbrio, estrutura e taninos suaves da Aragonez além do suplemento de fruta e cor da Trincadeira. 

Em resumo um vinho fácil de beber, saboroso e fácil na harmonização com carnes na brasa, carnes na panela e massas com molhos escuros.

Possui 12,5% de graduação alcoólica e o ideal é ser degustado na temperatura de 15 a 17oC.

Você encontra vinhos portugueses na Wein Haus, loja especializada em vinhos, localizada na Rua João Pessoa 895, Santa Cruz do Sul, fone (51) 3711.3665, tele entrega pelo (51) 98416.6407 e site www.weinhaus.com.br

E lembre-se: se beber, NÃO DIRIJA!     

terça-feira, 29 de setembro de 2020

Yayoi Kusama ilustra Champagne Veuve Clicquot La Grande Dame


Para celebrar o novo vintage da Maison Veuve Clicquot, o champagne La Grande Dame 2012, a marca francesa uniu-se à icônica artista japonesa Yayoi Kusama. Uma criação única, alegre e colorida, feita especialmente para a Clicquot. Conhecida pelo mundo todo por suas bolinhas infinitas, método conhecido como "Polka Dots", Yayoi Kusama ilustra a caixa e a garrafa de La Grande Dame. A flor opulenta, criação original da artista, simboliza a vida, o amor e a paz. As bolinhas, sua marca registrada, são retrabalhadas como pequenas bolhas de champanhe.

La Grande Dame 2012: a glória da Pinot Noir



Madame Clicquot acreditava que a casta Pinot Noir tinha a mais ampla gama de expressão e potencial para criar o melhor champanhe: "Nossas uvas pretas fornecem os melhores vinhos brancos." La Grande Dame é uma vitrine da excelência da Maison, é uma homenagem à Madame Clicquot e aos espíritos criativos e elegantes que seguiram os seus passos. Expressa perfeitamente seu amor pelo Pinot Noir, que desde a safra de 2008 representou mais de 90% do blend. O champanhe é vintage, isto é, conta com uvas exclusivas de uma única safra.

terça-feira, 22 de setembro de 2020

Amanhã inicia a venda do Kit de degustação da Avaliação Nacional de Vinhos

 

Todo mundo poderá assistir a transmissão ao vivo da Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2020 pelo Facebook, Instagram e Youtube da Associação Brasileira de Enologia (ABE), no dia 7 de novembro, a partir das 17h, direto do SPA do Vinho, no Vale dos Vinhedos, única região do Brasil com Denominação de Origem de vinhos. Agora, quem quiser também receber em casa o kit com as 16 amostras representativas da Safra 2020, degustando e acompanhando o evento no aconchego do lar deverá ficar atento e adquirir o kit pelo www.enologia.org.br a partir das 8h30min do dia 23 de setembro, próxima quarta-feira. Serão oferecidos 700 kits, cada um podendo ser degustado por até três pessoas. O valor para associado é R$ 450 e não associado R$ 580.


Cada kit conterá 16 garrafas baby (187 ml), o que permitirá que a amostra seja degustada por duas ou até três pessoas. O conjunto inclui, ainda, duas taças personalizadas de cristal para vinho, além das Fichas de Degustação e da Revista Brasileira de Viticultura e Enologia. O envio será feito pela ABE por transporte privado. Todo material será embalado numa caixa personalizada de papelão com isopor para melhor acondicionar as garrafas, todas com rótulo do evento e devidamente identificadas. O envio será feito pela ABE através de transporte privado.

“Quando 2020 começou, não imaginávamos que atravessaríamos uma pandemia global. Vivemos a ‘Safra das Safras’ com tanto entusiasmo que nós, enólogos do Brasil, fomos desafiados a fazer o melhor vinho de nossas vidas. A expectativa é imensa, mas os cuidados diante de um vírus mortal, nos obrigou a reinventar a nossa ‘menina dos olhos’”, destaca o presidente da ABE, enólogo Daniel Salvador. Grupos em diversos estados brasileiros já estão se mobilizando para viver a maior degustação de vinhos de uma safra do mundo. Confrarias, amigos, colegas de trabalho, enfim, todos que compartilham do gosto pelo vinho. Até vinícolas estão se preparando para instalar telões e transmitir o evento, oferecendo assim mais uma experiência única aos seus clientes. “A ideia do kit em garrafas de 187 ml permite que até três pessoas degustem a mesma amostra. Assim, além de facilitar a aquisição, também estamos ampliando o número de pessoas que serão impactadas e que terão o privilégio de degustar as 16 amostras representativas da Safra 2020”, comemora. Com este formato, mais de 1,4 mil pessoas poderão degustar as amostras, mas a estimativa é de que muito mais pessoas acompanhem o evento, inclusive de outros países.



A maior de todas agora para o mundo

Numa edição histórica, a Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2020 poderá ser assistida ao vivo por qualquer pessoa em qualquer lugar do mundo. Histórica por três motivos. O primeiro, por ser a ‘Safra das Safras’, ou seja, a melhor safra que o Brasil já registrou. O segundo, motivado pelo primeiro, por bater recorde no número de amostras com a inscrição de 395 vinhos de 56 vinícolas. E por fim, certamente o mais impactante, é a mudança de formato que sai do presencial e vai para o on-line, em razão da pandemia da Covid-19. A emoção do encontro será substituída por um espetáculo que poderá ser assistido no mundo todo via Facebook, Instagram e Youtube da ABE. No local do evento, somente a presença de comentaristas convidados e equipe de organização e transmissão, seguindo um amplo e rigoroso protocolo de segurança conforme regras do Ministério da Saúde. Não haverá espaço para participação presencial.

Imagens: Eduardo Serpa / Conceitocom Brasil

quarta-feira, 16 de setembro de 2020

A vaca atolada!



Neste domingo se celebrará os 185 anos da Revolução Farroupilha e um prato típico daquela época é a receita desta semana!

Neste dia 20 de setembro comemora-se o aniversário de 185 anos da Revolução Farroupilha - o mais longo conflito armado deflagrado dentro do território brasileiro (durou de 1835 a 1845) – onde o general Bento Gonçalves comandou as tropas farroupilhas que “tomaram” Porto Alegre, capital da província do Rio Grande do Sul e onde em 1836 foi proclamada a República de Piratini (ou República Rio-Grandense) que separou o Rio Grande do Sul do resto do país. Naquela época diversas receitas surgiram, seja pelo exército farrapo, e que iam além do tradicional churrasco. Uma destas receitas é a chamada Vaca Atolada, um prato simples mas repleto de sabor, que utilizava e ainda utiliza ingredientes fáceis de serem encontrados, a carne de costela e o aipim. A costela não servia para fazer o charque e sobrava nos abates, sendo consumida principalmente no espeto ou na panela. Confira esta receita a seguir!



Ingredientes:
(para 4 pessoas)

1 kg de costela bovina com pouca gordura
1 kg de aipim descascado
1 cebola em cubos
4 tomates sem sementes em cubos
1 pimentão vermelho em cubos
2 dentes de alho picadinhos
1 maço de salsinha e cebolinha verde picados
2 colheres de sopa de óleo de soja
1 folha de louro
Sal e pimenta à gosto

Preparo:

Em uma panela cozinhe o aipim e assim que estiver pronto, escorra, amasse levemente e reserve. Cortar a costela em pedaços, aquecer o óleo e fritar até dourar. Retirar e reservar. Nesta mesma panela refogar a cebola, o tomate, o pimentão e o alho. Juntar a costela, cobrir com água e pouco sal. Cozinhar por cerca de 1 hora ou até a carne da costela desgrudar do osso. Adicionar o aipim, temperar com sal, pimenta e o cheiro verde e deixar o molho engrossar. Servir bem quente.


Pensador:


“Sirvam nossas façanhas de modelo a toda terra”. Francisco Pinto da Fontoura 

terça-feira, 15 de setembro de 2020

Casa Valduga Terroir Cabernet Franc 2015 - um digno representante farroupilha!


E na semana do aniversário de 185 anos da Revolução Farroupilha – uma data histórica no calendário dos gaúchos - nada melhor que a dica de vinho ser desta terra querida. 

O Casa Valduga Terroir Cabernet Franc 2015 é um belo representante da região da Campanha Gaúcha com todo o seu terroir de expressão. Possui cor rubi magenta quase turva e ao desarolharmos a garrafa os aromas explodem ao nariz antes mesmo de ir a taça, sortindo muita fruta vermelha e negra em compota – ameixas e cerejas em destaque – melaço, toque floral, especiarias e ainda leve mentol. Em boca é seco, estruturado, possui taninos maduros e presentes, equilibrado, com álcool inicialmente presente, fruta negra macerada destacada e amplo final. Uma delicia de vinho, fino e correto!

Estagia por 8 meses em barricas de carvalho francês.

Faz par gastronômico com aves de caça com molho na panela, carnes assadas, molho calabresa, carne de porco assada com mandioca e queijos média cura.

Possui 13% de graduação alcoólica e o ideal é ser degustado na temperatura de 16 a 18oC.

Você encontra os vinhos e espumantes da Casa Valduga na Wein Haus, loja especializada em vinhos, localizada na Rua João Pessoa 895, Santa Cruz do Sul, fone (51) 3711.3665, tele entrega pelo (51) 98416.6407 e site www.weinhaus.com.br

E lembre-se: se beber, NÃO DIRIJA!     

quinta-feira, 10 de setembro de 2020

Pela primeira vez em sua história a Avaliação Nacional de Vinhos será on-line neste ano


Pela primeira vez na história, a maior degustação de vinhos de uma safra não será presencial, com transmissão nos canais da ABE, podendo ser acompanhada no mundo inteiro. Apreciadores poderão adquirir kits para degustar as 16 amostras



“A Safra das Safras não poderia passar em branco. Assim como o mercado de vinhos precisou se reinventar, a Avaliação Nacional de Vinhos Safra 2020 seguirá outro modelo em razão da pandemia. O processo técnico é o mesmo, mas a experiência final será totalmente diferente. Não teremos a confraternização presencial, mas apostamos num grande movimento de promoção do vinho brasileiro e num programa que deverá surpreender o público. Vamos fazer um espetáculo digital e todos poderão assistir”, destaca o presidente da Associação Brasileira de Enologia (ABE), enólogo Daniel Salvador.

Além de poder acompanhar a transmissão ao vivo pelo Facebook, Instagram e Youtube da ABE, no dia 7 de novembro, a partir das 17h, os que desejarem também poderão adquirir o kit com as 16 amostras representativas da Safra 2020. Assim, será possível, além de assistir, degustar em casa, no aconchego do lar e em companhia, os vinhos classificados entre os 30% da safra. Os 700 kits estarão à venda a partir do dia 23 de setembro pelo site www.enologia.org.br.

Cada kit conterá 16 garrafas baby (187 ml), o que permitirá que a amostra seja degustada por duas pessoas. O conjunto inclui, ainda, duas taças personalizadas de cristal para vinho, além das Fichas de Degustação e da Revista Brasileira de Viticultura e Enologia. O envio será feito pela ABE por transporte privado. Todo material será embalado numa caixa personalizada de papelão com isopor para melhor acondicionar as garrafas, todas com rótulo do evento e devidamente identificadas.

Entre as mudanças desta edição também está o local e o horário. Todo cenário será montado no SPA do Vinho, no Vale dos Vinhedos, única região do Brasil com Denominação de Origem de vinhos. Para explorar a beleza do lugar e também oportunizar maior comodidade em relação a participação das pessoas em suas casas, o evento deixa de ser de manhã e passa a acontecer a partir das 17h, excepcionalmente este ano.

A Avaliação

A 28ª Avaliação Nacional de Vinhos iniciou com a inscrição das amostras pelas vinícolas brasileiras. Este processo começou em julho e encerrou em agosto batendo recorde com 396 amostras de 56 vinícolas. A fase seguinte foi a coleta dessas amostras, realizada no período de 24 de agosto a 4 de setembro. Técnicos da Embrapa Uva e Vinho e da ABE rodaram o Brasil recolhendo os vinhos diretamente dos tanques de aço inox ou das barricas de carvalho. Teve amostra que percorreu mais de 3 mil km até chegar em Bento Gonçalves.

O próximo passo será a Degustação de Seleção, sob a Coordenação Técnica da Embrapa Uva e Vinho, programada entre os dias 15 e 18 de setembro. O número de dias diminuiu, mas as degustações acontecerão em dois turnos: manhã e tarde. Em razão do Coronavírus, ao invés de 120 serão 64 enólogos. Além disso, todos os protocolos de segurança serão seguidos, inclusive com o devido distanciamento. Em razão do formato digital e da mega operação que será montada para que as amostras cheguem em tempo na casa das pessoas, a coleta e a Degustação de Seleção foram antecipadas.

O stinco de cordeiro!



Tido como uma iguaria, esta canela de cordeiro retrata uma receita com sabor todo especial!

“Stinco” significa canela em italiano e para muitos entrega o melhor sabor do cordeiro. Este corte tem aproximadamente 10 a 12 cm e é feito da ponta da paleta ou pernil do cordeiro e é preparado com o osso. A carne deste entorno é firme, magra e com sabor concentrado e o método mais comum de cocção usado é cozido na panela com molho ou assado no forno. É um prato muito tradicional em praticamente toda a Europa e no Brasil ainda não tão difundido. Tal corte deve ser cozido lentamente e por um bom tempo para que fique macio mas sem desfiar do osso. E o stinco é o ingrediente principal da receita desta semana, confira!



Ingredientes:
(para 4 pessoas)

4 stincos de cordeiro
1 cebola picada
4 tomates sem pele e sementes picados
1 alho poró picado
1 cenoura picada
1 pimentão vermelho picado
2 dentes de alho picados
2 cálices de vinho tinto seco
Alecrim, tomilho e louro frescos amarrados
Salsinha picada
50 ml de azeite de oliva
Sal e pimenta do reino a gosto

Preparo:

Adicione um pouco azeite de oliva e doure os stincos numa panela de ferro. Retire-os e reserve. Acrescente nesta mesma panela os vegetais todos e refogue-os. Acrescente o vinho e deixe ferver. Junte água fervente e some o bouquet de ervas aromáticas. Tempere com sal e pimenta do reino e cozinhe uns 20 minutos. Junte os stinco a panela e cozinhe por cerca de uma hora e meia repondo a água quando preciso. Retire os stincos e use um processador para bater o molho. Devolva os stincos e cozinhe mais uns 30 minutos. Sirva com purê de mandioquinha e batata ou massa.