sexta-feira, 3 de fevereiro de 2023

A caipirinha de pitaya!

 

A pitaya é uma fruta exótica que pertence à família cactaceae e tem sua origem no México. O nome "pitaia" significa "fruta escamosa". Existem três espécies da fruta: a pitaya-branca (rosa por fora e branca por dentro), a pitaya-amarela (amarela por fora e branca por dentro) e pitaya-vermelha (avermelhada por dentro e por fora). E se tem um alimento que está na moda atualmente, é a pitaya. A fruta se tornou uma constante em receitas e dietas de quem busca ter uma alimentação mais saudável. 

Também conhecida como fruta do dragão —porque tem a forma do olho desse animal imaginário —, ela já é cultivada em todos os cantos do mundo, inclusive no Brasil, está cada vez mais na mesa dos brasileiros. Todo esse interesse decorre do fato de que dela se aproveita até o caule. Além disso, seus nutrientes têm feito da pitaya uma potencial aliada na prevenção e no combate de doenças. Versátil, ela pode ser consumida fresca ou seca, funcionando perfeitamente para aromatizar e compor sucos, drinks, vitaminas e até pode ser usada como corante e espessante naturais. Nos últimos anos, vários estudos científicos têm mostrado que ela parece ter efeitos benéficos nas seguintes situações: redução do colesterol; controle glicêmico no diabetes tipo 2; prevenção do câncer colorretal Fortalecimento das funções dos rins e ossos Melhora das funções cerebrais e da saúde ocular...

Provei uma deliciosa caipirinha de pitaya no restaurante Praia da Crena, em Ilha Grande no Rio de Janeiro e reproduzi em casa variando alguns ingredientes. A coloração deste drink é linda e o sabor espetacular, acompanhe.



Ingredientes:

Meia pitaya vermelha descascada e cortada em cubos

Suco de meia laranja de umbigo

Suco de um limão taiti

3 colheres de sopa de açúcar cristal

150 ml de cachaça preferencialmente envelhecida

Preparo:

Coloque a pitaya num recipiente e junte todos os ingredientes menos a cachaça e o açúcar. Esmague bem e em seguida junte o açúcar e com uma colher misture. Some a cachaça e novamente misture. Disponha bastante gelo numa taça e derrame a caipira por cima. Mexa e sirva!


Azul com novo serviço de bordo nos vôos internacionais!

 Azul anuncia novo serviço de bordo em voos internacionais com sabores da culinária brasileira



A Azul revelou hoje que o seu novo conceito para refeições a bordo de voos internacionais para as classes Business e econômica, em viagens com saídas do Brasil, trará o sabor da culinária brasileira como principal ingrediente. A novidade já está disponível nos voos que partem do aeroporto de Viracopos, em Campinas, principal hub de conectividade da empresa aérea, com destino a Fort Lauderdale e Orlando, nos Estados Unidos, e Lisboa, em Portugal. Nos voos que partem destas cidades com destino ao Brasil, o novo serviço estará disponível nos próximos meses.

 

Ao embarcar em um dos voos internacionais da companhia com duração superior a sete horas, os Clientes da classe Business receberão um menu com quatro opções para almoço ou jantar, incluindo opções de pratos quentes com carne, frango, peixe e, ainda, uma opção vegetariana. Já na classe econômica, os clientes poderão escolher entre duas opções. Em todos eles, a culinária brasileira será representada por ingredientes típicos do Brasil, bem como serão acompanhados de bebidas alcóolicas e não alcóolicas, além de queijos, pães e sobremesas que também destacará o País em seus sabores.

 

O novo serviço de bordo em voos internacionais da Azul está dividido em quatro ciclos, sendo que cada um se repete três vezes ao ano, proporcionando maior variedade de cardápio e reduzindo a chance de o Cliente encontrar o mesmo menu em uma próxima viagem internacional.

 

No ciclo de lançamento, por exemplo, os Clientes da classe Business poderão degustar de uma salada de abóbora torrada ou acompanhada de tomate, como opção de salada, carne seca desfiada com purê de abóbora assada e farofa ou lombo de pirarucu marinado grelhado com creme de castanha de caju, como prato principal, e uma deliciosa torta de açaí e maracujá com camadas de chocolate. Já na classe econômica as opções de prato principal são: salada de grão de bico a campanha sem cebola, picadinho de frango com canjiquinha cremosa ou massa penne ao dente com molho de requeijão com ervas e tomate concassé.

 

“Um dos compromissos da Azul é oferecer a melhor experiência de viagem aérea do País, e nós entendemos que o serviço de bordo é um fator importante para alcançar este objetivo. A Azul é a empresa que voa para mais destinos no Brasil, e a celebração e conexão do País estão no nosso DNA. Por isso, nada mais justo reforçar essa brasilidade nos pratos que servimos aos Clientes em nossos voos internacionais”, destaca Felipe Masson, gerente geral de Experiência ao Cliente da Azul. “O desenho do novo menu foi um trabalho longo e minucioso, que envolveu diversas áreas da companhia. Para chegarmos ao serviço escolhido, analisamos dados de satisfação dos nossos clientes e fizemos diversas reuniões com um time de chefs para chegar à um menu que celebrasse a brasilidade da Azul e atendesse às expectativas dos nossos clientes.” completou o executivo.

 

Para definição dos pratos que saem de Campinas, Estados Unidos e Lisboa foram experimentados mais de 72 pratos para o serviço da Business e outros 36 pratos para a econômica, além das diversas opções de sobremesas, lanches do café da manhã, frutas, queijos e frios.

 

Atualmente, na Azul, são servidas aproximadamente 5.200 refeições na Business e 50.000 na econômica por mês, com um feedback bastante positivo por parte dos Clientes. Vale destacar que, assim como em voos domésticos, o serviço de bordo nas operações internacionais não possui nenhum custo adicional.

 


Ovo e sua contribuição de vitamina D para a saúde

 

 

O papel da vitamina D na prevenção de doenças ósseas como osteopenia, osteoporose e o raquitismo na infância está muito bem estabelecido e reconhecido pela comunidade científica. Além das alterações musculoesqueléticas, evidências sugerem que a vitamina D facilita a regulação da pressão arterial e função cardíaca, estejam relacionadas ao sistema imune, câncer, diabetes.
 


O consumo de alimentos, principalmente os de origem animal como ovos e peixes de águas profundas, são importantes para fornecer vitamina D ao organismo. Quando o assunto é a alimentação, o ovo é um aliado importante, pois contém cerca de 82 UI de vitamina D e representa cerca de 6,5% das necessidades diárias de acordo com a Dietary Reference Intakes for Vitamin D (DRI).
 

Além disso, o consumo do ovo, associado a uma alimentação equilibrada, contribui para a manutenção da saúde, pois, é uma fonte proteica importante, contém vitaminas do complexo B, entre elas a colina, vitaminas lipossolúveis nas quais a vitamina D está inserida, minerais e carotenoides.
 

Além do ovo, o que temos de concreto é que o sol é a principal fonte de vitamina D, por conta da produção da vitamina pela pele através da absorção dos raios solares. Contudo, fatores como idade, pigmentação da pele, proteção contra a luz solar, obesidade e utilização de algumas classes de medicamentos podem interferir na produção da vitamina.
 

Apesar do Brasil ser um país ensolarado, a deficiência desta vitamina é elevada. Um antigo estudo com dados do inquérito Nacional de Alimentação (2008-2009) concluiu que a grande maioria das regiões do país apresentam déficit de vitamina D. O que se observa é que a deficiência é bem elevada em idosos, onde 64% de pessoas com insuficiência de vitamina D tinham 60 anos ou mais.
 

Em suma, o ovo por ser um alimento acessível, prático, saboroso, de fácil digestão, importante para todas as pessoas, sobretudo aos idosos, e contribuir com a vitamina D de forma natural na alimentação é um dos grande aliados para nossa saúde e o funcionamento do organismo. Portanto, além da alimentação equilibrada, é fundamental que as pessoas realizem atividade física e se exponham, com cuidado, ao sol para ter mais saúde e qualidade de vida.

*Artigo de Lúcia Endriukaite, nutricionista do Instituto Ovos Brasil, formada pela Faculdade de Nutrição-Universidade de Mogi das Cruzes, especialista em Fitoterapia pela ASBRAN com Pós-graduação em Fitoterapia Clínica (Faculdade do Litoral Paranaense), Bases Nutricionais para Atividade física (FMU), em Administração de Serviço de Nutrição e Dietética (São Camilo).


sábado, 21 de janeiro de 2023

Excelsior lança hambúrguer 100% vegetal

  

Produto desenvolvido pelo Food Lab da empresa com a participação de pesquisadores da Unisc conta com ingredientes de fornecedores locais e regionais.

 


Tem novidade chegando aos supermercados. A Excelsior Alimentos, empresa gaúcha com sede em Santa Cruz do Sul, está lançando o Burguer 100% vegetal. Desenvolvido pelos pesquisadores do Food Lab Excelsior, o produto é rico em proteínas, fonte de fibras e não contém colesterol, glúten, conservantes e nem derivados de ovo ou leite. Os principais ingredientes são proteína de soja, cebola, alho, beterraba, pimenta e alecrim. O hambúrguer vegetal virá em embalagens com duas unidades de 110 gramas cada e é o mais novo item da linha Cozinha Verde, composta também por vegetais (ervilha, couve-flor, brócolis e seleta de legumes) que utilizam a tecnologia de ultracongelamento para preservação das características nutricionais dos alimentos.

Para a produção do hambúrguer vegetal, a planta industrial da Excelsior Alimentos recebeu reformulações na infraestrutura, com a implantação de uma célula produtiva exclusiva totalmente voltada para produtos plant based (baseados em plantas). Conforme o presidente da empresa, Luiz Carlos Motta Nunes, houve também investimentos em equipamentos para produzir, moldar e embalar o hambúrguer, pois se trata de um novo contexto para a Excelsior, empresa que está indo para 130 anos de atuação no mercado cárneo. “Neste ano histórico para a marca Excelsior, estamos também lançando produtos para novos nichos de consumidores”, comenta. “Dentro da indústria, foi criado um espaço totalmente exclusivo e separado das demais plantas, pensado para, no futuro, receber novos produtos para a sua linha”, conta o executivo.

E a pesquisadora da Excelsior, nutricionista Paula Fengler, explica que o Food Lab é um laboratório de inovação criado há dois anos e meio e articulado ao Parque Científico e Tecnológico Regional da Universidade de Santa Cruz do Sul (TecnoUnisc). Os estudos e experimentos incluem profissionais e estudantes de diversas áreas, como Nutrição, Química, Engenharia de Alimentos, Engenharia Química, Gastronomia, Administração e Marketing. “O hambúrguer vegetal é o primeiro produto do portfólio elaborado no Food Lab. E o segundo na pauta de pesquisa e inovação deverá ser lançado ainda em 2023”, anuncia.

Para o desenvolvimento do hambúrguer, a estratégia incluiu atuação em quatro frentes: pesquisa, nutrição, estudo de consumo e ciência e tecnologia de alimentos. “Inicialmente, investigamos o mercado regional de alimentos plant based visando compreender o comportamento de consumo no Sul do país, a caracterização dos constituintes alimentares vegetais, os efeitos dos ingredientes funcionais à base de plantas sobre a composição da dieta, bem como seu posicionamento de mercado”, revela Paula Fengler.

Outra fase da pesquisa foi a busca por ingredientes à base de plantas com produtores locais e fornecedores regionais. “Diversos testes foram realizados até a obtenção de um produto considerado ideal”, explica a pesquisadora. O primeiro protótipo foi levado para análise sensorial do produto com os funcionários da empresa. “O cenário para consolidação do desenvolvimento foi desafiador, havia a percepção sensorial de uma nova categoria e de um público novo dentro do nosso segmento de atuação, a dificuldade no desenvolvimento de ingredientes regionais com as funcionalidades tecnológicas e nutricionais desejadas, o custo elevado de tecnologia para a extração de proteínas das plantas e a pandemia que estava em uma fase crítica”, relata. A demanda era por um produto à base de plantas que recriasse a experiência sensorial de um produto cárneo, imitando o sabor, textura e a aparência e a suculência da carne.

PÚBLICO-ALVO - O hambúrguer vegetal se destina a pessoas que buscam por alternativas à carne animal. Podem ser vegetarianos, flexitarianos (procuram redução no consumo de proteínas animais dando preferência para alimentos à base de plantas) ou aqueles que têm a curiosidade de experimentar novas opções de sabores e ingredientes. Os flexitarianos constituem um segmento no qual os Millennials (1980-1995) e a Geração Z (1995-2010) são os principais influenciadores das tendências deste mercado. E o público formado pelos curiosos, é constituído por entusiastas da comida, sem barreiras na hora de comer e que gostam de experimentar novidades.

 


sábado, 14 de janeiro de 2023

A sakerinha de limão com manjericão!

 

 
Sake, limão e manjericão é uma mistura perfeita para quem busca se refrescar em dias de temperaturas alta. 

Dias ensolarados, com termômetros lá no alto, pedem uma bebida refrescante e, claro, fácil de ser preparada. Se essa é a proposta, consultar os drinks da séria Drink Strategy, da Azuma, é o ideal! Entre diversas receitas, está a Sakerinha de Limão Siciliano com Manjericão. Adocicada com melado de cana, a bebida é uma versão da tradicional caipirinha, mas com um toque diferenciado ao paladar. Confira abaixo a receita!



Ingredientes:

  • 5ml sake Azuma
  • 6 fatias de Limão Siciliano
  • 4 folhas de Manjericão 25ml
  • Melado de Cana
  • Ramo de Manjericão
  • Copo longo


Preparo: 

  • Em um copo, macere as frutas com o Melado de Cana e as folhas de Manjericão;
  • Complete com gelo e coloque o sake Azuma;
  • Finalize misturando bem com uma colher longa e decore com folhas de Manjericão.

terça-feira, 13 de dezembro de 2022

Programação do Natal nos Vinhedos iniciou

 

Primeira apresentação ocorreu na noite dessa sexta-feira, 09, com show da Orquestra de Teutônia

 


A programação da primeira edição do 'Natal nos Vinhedos' iniciou nesta sexta-feira (09), convidando o público a brindar a magia dos festejos natalinos com o melhor da produção vinícola da microrregião.
 

Tendo como cenário as encantadoras paisagens do Vale dos Vinhedos (na RS 444, KM 21, em frente à vinícola Miolo), o circuito de apresentações começou com o show da Orquestra de Teutônia -- e outras atrações -- a partir das 18h30, quando ocorreu a solenidade de abertura do projeto. Entre elas, vinhos, espumantes, sucos e gastronomia oferecidos por mais de 15 estabelecimentos que comercializaram seus produtos no local.
 

Também é possível aproveitar o mote para turistar pela região durante todo o mês de dezembro, conhecendo ou revisitando os atrativos que evidenciam o legado cultural e o potencial empreendedor de Bento Gonçalves e municípios vizinhos. Isso porque a agenda de atrações do 'Natal nos Vinhedos' segue no sábado (10), com a apresentação do Grupo Circense Tholl. No próximo fim semana, é a vez de subirem ao palco o Coral Vale dos Vinhedos, com Dirceu Pastori, Caroline Gobbato e Paulo Johann (dia 16); e de rever o talento dos músicos da Orquestra de Teutônia (17). A programação finaliza com o Coral Vale dos Vinhedos, no dia 22, e com a peça "Um Encanto de Natal", da Cia Circense Sorriso com Arte, no dia 23.
 

A programação inicia sempre às 18h30. Todos os espetáculos são abertos à população, com entrada franca.

 

Opções para degustar no local
 


As vinícolas patrocinadoras do 'Natal nos Vinhedos' -- Casa Valduga, Cooperativa Vinícola Aurora, Miolo, Vinícola Ales Victória e Salton -- comercializam vinhos e espumantes para o público, no local dos espetáculos.

Ali também será possível conhecer as produções das vinícolas Adega e Vinhedos Dom Eliziário, Audace Wine, Bodega Czarnobay, Chamon Garbin Vinhos Clássicos e Peculiare Vinhos Únicos, Pizzatto, Terragnolo Vinhos Finos, Tenuta Foppa & Ambrosi, Vinícola Boutique Lidio Carraro, Vinícola Dom Cândido e Vinícola Videiras Carraro, bem como as bebidas produzidas pelas Adega Giovanni Tasca, Alba Destilaria, Faccin Vinhos Artesanais, Seis Mãos, Vinhos Casa Fantin e Vinum Terra Vinhos Naturais. Completam a lista de opções os rótulos das Vitivinícola Renascer, Vinícola Dalpubel, Agroindústria Vinícola CasaMia e Vinhos Favero.
 

A gastronomia fica por conta dos menus da Giordani Gastronomia, que servirá choripan e massas artesanais; do Di Bartolomeu, que oferecerá hambúrgueres; do Cuca e Marmellata, que terá cucas e geleias; da Queijaria Valbrenta, que comercializará queijos, doce de leite, embutidos e da Czarnobay, trazendo macarons.

Durante todo o período, vinícolas e restaurantes da microrregião operam com horários e atrações especiais para receber o público antes e depois dos shows do 'Natal nos Vinhedos'.

 

Facilidades de aceso até o local das apresentações
 

Para assistir às atrações do 'Natal nos Vinhedos', o público pode usufruir de um serviço que garante comodidade e praticidade no acesso ao local do evento. Diversos transfers, com itinerários especialmente programados pela Transporte Santo Antônio, facilitam o deslocamento (veja a seguir as opções). Também há vários pontos de estacionamento, devidamente sinalizados, para acomodar os automóveis dos espectadores no Vale dos Vinhedos.

 

Itinerários dos transfers nos dias de apresentação
 

1- Bento Gonçalves até o Vale Dos Vinhedos

Trajeto: saída no Hotel Vinocap, passando pelo Hotel Dall'Onder, Viverone Planalto, Dall'Onder Vitória e Hotel Viverone Estação. O retorno faz as mesmas paradas.

Horários de ida: 17h e 18h

Horários de retorno: 20h45 e 21h

 

2- Vale dos Vinhedos até o local do evento

Trajeto: Saída da Vinícola Aurora, passando pelos estacionamentos do 15 da Graciema, Escola Lóris Reali, Vinícola Cave do Sol, Vinícola Lídio Carraro e Espaço de eventos Villa Vitória. O retorno faz as mesmas paradas.

Horários de ida: 17h30, 18h e 18h30

Horários de retorno: 20h45 e 21h45

 

3- Vale dos Vinhedos (via bairro Glória) até o local do evento

Trajeto: saída da Vinícola Peculiare, passando pelas demais vinícolas do trajeto. O retorno faz as mesmas paradas.

Horários de ida: 17h, 18h e 19h

Horários de retorno: 20h45 e 21h45

 

O serviço tem custo de R10 (valor para ida e volta, pagamento apenas em dinheiro), nos deslocamentos entre Bento Gonçalves e o Vale dos Vinhedos. O transfer que circula no Vale dos Vinhedos é gratuito. Os micro e ônibus utilizados para essas rotas estarão identificados com a marca do 'Natal nos Vinhedos'.

 

Serviço do Natal nos Vinhedos

O quê: Natal nos Vinhedos

Quando: dias 9, 10, 16, 17, 22 e 23 de dezembro, sempre às 18h30min

Onde: RS 444, KM 21 (ponto de referência: em frente a Miolo)

Quanto: entrada franca

 

Atrações

Dia 9/12 - Orquestra de Teutônia

Dia 10/12 - Grupo Circense Tholl

Dia 16/12 - Coral Vale dos Vinhedos, com Dirceu Pastori, Caroline Gobbato e Paulo Johann

Dia 17/12 - Orquestra de Teutônia

Dia 22/12 - Coral Vale dos Vinhedos e Camila e irmãos Farina

Dia 23/12 - Cia Circense Sorriso com Arte, com a peça "Um Encanto de Natal"

 

Atrações extras para embalar o pôr do sol:

Dia 09: apresentação do DJ Gustavo MK

Dias 10, 17 e 22: apresentação do DJ Fabiano Oliveira, coordenador da Rede Atlântida

Dia 16: apresentação do DJ Edu Bianchi

Dia 23: apresentação do DJ Cabeção

 

O Natal nos Vinhedos é uma realização da DWR Produções Culturais e tem recursos financiados via Lei de Incentivo à Cultura da Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo, Governo Federal, Pátria Amada Brasil, com patrocínio da Vinícola Miolo, Cooperativa Vinícola Aurora, Vinícola Casa Valduga, Vinhos Salton e Vinícola Ales Victória, além de Banrisul Consorcio e Pagamentos, Giordani Turismo, Gota Limpa, LNF, Madem, MCN Logistik, Multinova, Orquidea, Sicredi, SPA do Vinho, Supermercados Andreazza e Zegla. O Natal nos Vinhedos tem apoio das Prefeituras de Bento Gonçalves, Santa Tereza e Monte Belo do Sul, além de Aprovale e Paróquia Cristo Rei. A promoção é do CIC-BG e do Grupo RBS.

quarta-feira, 30 de novembro de 2022

Altos de Pinto Bandeira obtém 1ª DO exclusiva de espumantes do Novo Mundo

  

Reconhecimento publicado nesta terça-feira (29) na Revista da Propriedade Industrial foi festejado pelas vinícolas Aurora, Don Giovanni, Geisse e Valmarino, que passam a exibir nos rótulos de seus espumantes únicos a distinção que eleva e consolida a posição da região e do Brasil no universo da bebida

 


Foram 10 anos de maturação. Desde que a Associação dos Produtores de Vinho de Pinto Bandeira (Asprovinho) deu o primeiro passo na busca da obtenção da Denominação de Origem (DO) Altos de Pinto Bandeira, ainda em 2012, o trabalho nunca mais parou. Esta década serviu para consolidar processos já adotados pelos produtores, conscientes de suas condições privilegiadas de terroir - solo, clima e homem -, ideais para a elaboração de espumantes naturais de excelência. Daqui para a frente, toda garrafa de espumante natural que nasce nesta região delimitada e exibe o Selo da DO estará entregando a garantia da procedência e qualidade das uvas, assim como de cada etapa do caminho, do vinhedo à taça.

 

Para ter direito ao uso do Selo da DO em seus espumantes naturais, as vinícolas Aurora, Don Giovanni, Geisse e Valmarino têm que cumprir regras rigorosas de controle, desde o cultivo das uvas até o engarrafamento. O saber fazer agrícola, vitícola e vinícola deve estar em perfeito equilíbrio durante todo o processo. Tudo começa com as variedades autorizadas - Chardonnay, Pinot Noir e Riesling Itálico – que, além de serem cultivadas na área geográfica delimitada, também precisam ser conduzidas pelo método espaldeira. A interação clima-solo-videira é o que confere as características particulares necessárias para a elaboração do vinho base que vai originar o espumante natural dos Altos de Pinto Bandeira. O resultado são uvas com maturação moderada e composição equilibrada entre acidez e açúcar, com precursores aromáticos que resultam em qualidades e características de cor, aroma, paladar e estrutura determinadas pelo meio geográfico. Para completar, destaque para a atividade do homem que revela e evidencia, através de sua sensibilidade e conhecimento, a identidade do local.

 

Mesmo seguindo todo este protocolo, é preciso submeter os produtos a análises laboratoriais e sensoriais, com gestão do Conselho Regulador da DO. Somente depois é que o produto está apto a receber o rótulo com o Selo e seguir para a mesa do consumidor. Os primeiros espumantes com a DO Altos de Pinto Bandeira devem chegar ao mercado a partir do ano que vem.

 

Para o presidente da Asprovinho, Daniel Geisse, a notícia foi recebida com muita comemoração. “Formalizar o que já estamos desenvolvendo há muitas safras é brindar a persistência de todos os envolvidos, unidos num único propósito. Agora podemos trabalhar na consolidação do posicionamento da marca no cenário nacional e no mundo do vinho. Isso porque a DO dos Altos de Pinto Bandeira é a única DO exclusiva de espumantes do Novo Mundo”, destaca. Esta conquista somente foi possível graças a expertise e trabalho especializado de parceiros como a Embrapa Uva e Vinho, Universidade de Caxias do Sul (UCS), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), Sebrae Nacional, Sicredi Serrana e Poder Público Municipal de Pinto Bandeira.

 

Para Jorge Tonietto, pesquisador da Embrapa Uva e Vinho que coordenou o projeto de estruturação da DO Altos de Pinto Bandeira, esta é uma conquista dos produtores da região, sob a gestão da Asprovinho, numa parceria com a ciência, envolvendo um conjunto de cientistas da Embrapa, bem como da parceria da Ufrgs e UCS. “Esta Denominação de Origem possui equivalência estrutural e apropria um alto nível qualitativo, como o existente nas prestigiosas Denominações de Origem de espumantes do Champagne da França ou Franciacorta da Itália”, ressalta. Tonietto, complementa, afirmando que o espumante é o produto ícone da Serra Gaúcha e a Denominação de Origem garante a alta qualidade e originalidade do que há de melhor para este produto. Segundo ele, representa um nível organizacional ímpar para o Brasil, um avanço, uma inovação, que vai continuar inspirando novas iniciativas, colocando o Brasil no lugar que merece pela qualidade do que faz. “O trabalho da Embrapa e parceiros foi decisivo para esta conquista, seja na definição do Caderno de Especificações Técnicas que contempla o conjunto de requisitos de produção que garantem a qualidade dentro da tradição da região, seja na delimitação da área de produção, na caracterização do meio físico, do sistema produtivo vitícola e enológico, bem como na caracterização analítica e sensorial dos espumantes, bem como de todos os estudos que possibilitaram este reconhecimento com base nas exigências da legislação do Brasil na matéria”, conclui.

 

Características da região

A DO dos Altos de Pinto Bandeira abrange 65 km² de área contínua, sendo 76,6% localizada no município de Pinto Bandeira, 19% em Farroupilha e 4,4% em Bento Gonçalves. A altitude média da região é de 632 metros, com terrenos de relevo ondulado até montanhoso. As temperaturas são mais amenas, enquanto a exposição solar é favorecida pela localização na margem esquerda do Vale do Rio das Antas e pela boa circulação horizontal do ar no alto de um dos patamares do Planalto Basáltico da Serra Gaúcha. Este conjunto de características influencia na escolha de técnicas de cultivo e manejo dos vinhedos, interferindo diretamente na qualidade do vinho elaborado.

 

Principais regras para o uso da DO Altos de Pinto Bandeira

1 – Cultivares autorizadas: Chardonnay, Pinot Noir e Riesling Itálico, sendo que os vinhedos devem ser cultivados, exclusivamente, na área geográfica delimitada e estarem declarados no Cadastro Vitícola.

2 – Origem das uvas: As uvas devem ser cultivadas 100% na área geográfica delimitada da DO Altos de Pinto Bandeira.

3 – Sistemas de Condução: espaldeira.

4 – Produtividade: limite máximo por hectare de 12t/ha. A colheita mecânica é proibida para as uvas destinadas à DO, que também devem apresentar mais que 14º graus babo.

5 – Elaboração: Os espumantes com DO somente podem ser elaborados pelo Método Tradicional com tempo superior a 12 meses de guarda. Quanto ao açúcar residual estão autorizadas as classes Nature, Extra-Brut, Brut, Sec e Demi-Sec.

6 – Processos Enológicos:

- É permitido o uso de barricas de carvalho, tanto na primeira fermentação quanto no vinho base para espumante, sendo que para ter a DO é necessário ter a segunda fermentação na garrafa.

- Os vinhos base para espumante devem ter no máximo cinco anos, contados a partir da data de término da respectiva safra de uva.

- É permitido o uso de diferentes safras de vinhos base para espumante nos cortes, desde que das variedades autorizadas. Nos cortes, o vinho base de Riesling Itálico terá um percentual máximo de 25% sobre o volume do produto final.

- O vasilhame autorizado é, exclusivamente, o de garrafas de vidro nos volumes 375mL, 750mL, 1500mL e 3000mL.

- Padrões de Identidade e Qualidade Organoléptica do Produto: espumantes da DO devem ser aprovados em avaliação sensorial realizada pela Comissão de Degustação, gerida pelo Conselho Regulador da DO.

- Espumantes Safrados: Os espumantes da DO Altos de Pinto Bandeira podem ser safrados, devendo conter, no mínimo, 85% de vinho base da safra mencionada.

- Rotulagem: O rótulo principal deverá conter a identificação do nome geográfico da DO, seguido da expressão Denominação de Origem. A rotulagem também deverá incluir o Selo de Controle numerado, especificando o número do lote e da respectiva garrafa do lote.

 

CONSELHO REGULADOR DO ALTOS DE PINTO BANDEIRA 2022-2024

Presidente: Maciel Ampese

Vice-presidente: Carlos Abarzúa

Demais Membros: Mauro Celso Zanus (Embrapa Uva e Vinho) e Ivanira Falcade (UCS), como representes de Instituição Técnico/ Científica com conhecimento em Cultura e Enologia; Jurandir Nosini (ABE); Flávio Zílio e Vanessa Stefani (representantes das empresas associadas).