terça-feira, 26 de maio de 2020

Ventisquero Queulat Gran Reserva Pinot Noir 2013


Dizem que se adquire a maturidade necessária no mundo do vinho quando se aprende a apreciar aqueles elaborados com a uva Pinot Noir.  Esta “princesa das tintas” tem nascimento datado há mais de 20 séculos. Seu local de origem é incerto podendo ser norte da França, Egito ou Lombardia. E duas variantes para a origem do nome Pinot: uma referência ao cacho em formato de pinha ou pelo nome da cidade de Pignols em Puy-de-Dôme, na França. A Pinot Noir dá vida aos lendários Romanée-Conti, ícone vínico. Seu berço esplêndido é a região de Côte de Nuits, Borgonha, França. Mas Nova Zelândia, EUA (Oregon), Chile, África do Sul, Austrália e Argentina, Norte da Itália, Alemanha e Brasil o produzem, cada clima com características diferentes, mas todos com a tradicional elegância, complexidade, sutileza e carga aromática. A fama da Pinot Noir não vem apenas da produção de vinhos. Esta uva também serve de base para champagnes e espumantes, sendo plantada na região de Champagne desde o século XV. É considerada uma das uvas mais difíceis de ser cultivada por ser propensa a diversas doenças, ela matura cedo e sofre em climas mais quentes. O charme de um bom vinho Pinot Noir está no bouquet repleto de aromas e nas diversas sutilezas e nuances que o vinho é capaz de oferecer. Por não ser tão óbvio, é tido por muitos apreciadores como um vinho para especialistas. 

E o exemplar desta casta é o vinho comentado desta semana, vem do Chile, do Vale de Casablanca, o Ventisquero Queulat Gran Reserva Pinot Noir 2013. De cor rubi brilhante seus aromas pronunciam o frutado convidativo da casta com morango, cereja e framboesas além de goiaba, floral com rosas e baunilha pelo estágio em barrica. Seu paladar tem acidez na medida, fruta e ampla persistência, com taninos redondos e excelente retrogosto. Estagiou 12 meses em barricas de carvalho francês, sendo 10% novos, 20% de segundo uso e o restante de terceiro e quarto uso.

Este PN faz um belo par gastronômico com um assado de cordeiro, peru, frango, alguns risotos de tempero médio e pratos com pouca gordura.  

Possui 13,5% de graduação alcoólica e o ideal é ser degustado na temperatura de 14 a 16oC.

Você encontra os vinhos Pinot Noir na Wein Haus, loja especializada em vinhos, localizada na Rua João Pessoa 895, Santa Cruz do Sul, fone (51) 3711.3665, e tele-entrega pelo whatsapp (51) 98416.6407 e site www.weinhaus.com.br

E lembre-se: se beber, NÃO DIRIJA!     

quinta-feira, 21 de maio de 2020

O linguado no envelope!


Quem diria que um peixe preparado dentro de um envelope de papel ficaria tão delicioso...

A cocção no “papillote” é uma técnica que envolve vários métodos como assar e cozinhar no vapor simultaneamente ou cozinhar em baixa temperatura. Este papelote ou envelope pode ser feito com diversos materiais sendo os mais comuns o papel manteiga e o papel alumínio devido a facilidade e manuseio. Mas também usa-se como invólucro para o cozimento dos ingredientes bexiga de boi (Volaille de Bresse en vessie avec truffes do chef Paul Bocuse) estômago como a buchada cearense, em panelas de barro como o barreado paranaense, peixes assados em folha de bananeira, peixes assados na crosta de sal e até preparações onde o alimento é envolto em barro, enterrado e sobre o buraco fechado acesa uma fogueira para assar lentamente. Dizem a origem da técnica do “papillote” foi no começo do século, no Restaurante Antoine em Nova Orleans, onde o brasileiro Alberto Santos Dumont, foi homenageado com um prato preparado dentro de um estômago bovino. Depois deste introito vamos as panelas preparar o linguado no envelope!



Ingredientes:
(para 4 pessoas)

1kg de filé de linguado
100g de manteiga à temperatura ambiente
1 abobrinha fatiada com 1cm de espessura
2 limões sicilianos fatiados com 2cm de espessura
Tomates cerejas cortados ao meio
Ramos de salsinha
Papel manteiga ou papel laminado

Preparo:

Pré-aqueça o forno a 180oC. Abra uma folha de papel manteiga e coloque em camadas pedaços de limão e abobrinha e sobre estes os filés de peixe mantendo muito papel manteiga livre para embrulhar. 

Coloque sobre o filé pedaços finos de manteiga e some os tomates cerejas. Dobre as bordas sobre o peixe e torça bem as pontas. 

Disponha na assadeira e leve ao forno por cerca de 20 minutos. Retire do forno, abra o envelope com cuidado por conta do vapor, decore com a salsinha e sirva. Você também pode preparar porções e servir individualmente.  



Você sabia?

O linguado é um peixe marinho ou de águas doces, com um corpo oval e achatado, habitualmente de cor branca na parte inferior e castanha escura na parte superior, onde se encontram ambos os olhos. 

É encontrado no Atlântico Nordeste e Mar Mediterrâneo. Ao longo das primeiras etapas de vida do linguado o olho esquerdo migra para o lado direito do corpo, permitindo-lhe viver semienterrado mas com ambos os olhos de fora. O linguado é peixe que tem os dois olhos de um lado só.

quarta-feira, 20 de maio de 2020

Nicosia Nero d'Avola DOC 2017


O nome Nero d’Avola, inclusive, refere-se à “uva negra proveniente da cidade de Avola”, na costa sudeste da Sicília na Itália. Além deste país Austrália e EUA (na Califórnia) produzem esta casta em larga escala. Os vinhos produzidos à base de Nero d’Avola possuem muitas semelhanças com aqueles produzidos com Syrah, são geralmente encorpados, intensos e de coloração escura. 

O Nicosia Nero d'Avola DOC 2017 é proveniente de videiras localizadas nas regiões vizinhas ao vulcão Etna lá na Sicília e datadas do fim do século XIX, seu berço esplêndido. Entrega aromas de grande relevância frutada com frutas vermelhas (ameixa e framboesa), especiarias (pimenta e cravo), café e leve herbáceo. Quente em boca com álcool pronunciado, requer uns 30 minutos de decantador para arejar e equilibrar, taninos redondos e acidez que pede companhia de comida.

Neste quesito vai muito bem acompanhando pratos com molhos ou preparos com o uso de temperos e especiarias, como alecrim, louro, sálvia, noz-moscada e canela e também com carnes assadas e carnes ao molho.   

Possui 12,5% de graduação alcoólica e o ideal é ser degustado na temperatura de 16 a 18oC.

Você encontra os vinhos Nero d’Avola na Wein Haus, loja especializada em vinhos, localizada na Rua João Pessoa 895, Santa Cruz do Sul, fone (51) 3711.3665, e tele-entrega pelo whatsapp (51) 98416.6407 e site www.weinhaus.com.br

E lembre-se: se beber, NÃO DIRIJA!     

quinta-feira, 14 de maio de 2020

O vazio marinado com batatas!


Este é o legítimo prato 2 em 1! .

A mistura de carne preparada com temperos frescos e depois acompanhada de batatas assadas torna-se uma ótima pedida para uma refeição completa, sem a necessidade de acompanhamentos e outros ingredientes. Esta é mais uma daquelas receitas que se pode envolver as crianças no preparo de alguns procedimentos, sempre com cuidado e observância de um adulto. Confira o vazio marinado com batatas!


Ingredientes:
(para 4 pessoas)

1 kg de vazio sem gordura cortado em retângulos com 5 por 3cm mais ou menos
500g de batatas inglesas brancas pequenas
1 colher de sopa de azeite de oliva
2 colheres de sopa de manteiga
4 dentes de alho picadinhos
1 colher de chá de tomilho fresco
1 colher de chá de alecrim fresco
1 colher de chá de orégano fresco
Sal e pimenta do reino moída à gosto
Para a marinada:
1/3 xícara de molho de soja
1 colher de sopa de azeite de oliva
1 colher de sopa de molho de pimenta

Preparo:

Em uma tigela grande, misture os retângulos de vazio com molho de soja, azeite e o molho de pimenta. Deixe marinar por cerca de 30 minutos. Corte as batatas no sentido do comprimento em 4 partes. Em uma frigideira grande, em fogo médio-alto, misture 1 colher de sopa de azeite e 1 colher de sopa de manteiga. Quando a manteiga derreter, adicione as batatas. Tempere com sal e pimenta. Cozinhe por cerca de 3 minutos, mexendo. Leve a uma assadeira e coloque no forno a 200oC por cerca de 20 minutos até que as batatas estejam douradas e macias. Enquanto isso na mesma frigideira em fogo médio adicione as 2 colheres de sopa de manteiga restantes, o alho, a pimenta e as ervas frescas. Coloque os pedaços de vazio em uma camada da frigideira, mantendo a marinada escorrida para mais tarde. Cozinhe as tiras de cada lado por 3 minutos até dourar. Despeje a marinada e em fogo alto deixe ferver e cozinhe por 3 minutos. Ajuste o tempero com sal e pimenta, se necessário. Retire do fogo e retire as batatas do forno, monte numa bandeja e sirva com um toque a mais de pimenta ervas frescas e uma pitada de queijo parmesão sobre as batatas, se quiser.

Você sabia?


A batata (Solanum tuberosum L.) é nativa da América do Sul, da Cordilheira dos Andes, e foi consumida por populações nativas há mais de 8.000 anos, estando adaptada aos dias curtos da região. Sua introdução na Europa, por volta de 1570, fez com que a espécie fosse selecionada para tuberização em dias longos. Por volta de 1620, foi levada da Europa para a América do Norte, onde se tornou alimento popular. A partir de então, espalhou-se para muitos outros países. Existem controvérsias sobre a origem da batata. Entretanto, há fortes evidências que seja nativa de duas áreas da América do Sul, onde biótipos silvestres ainda existem: uma que envolve as terras altas da Cordilheira dos Andes, que vão do Peru ao Norte da Argentina, e outra que envolve as terras baixas do Centro-sul do Chile.

terça-feira, 12 de maio de 2020

Tarapacá Gran Reserva Syrah 2017


A uva Syrah é uma de minhas preferidas! Sua origem remonta ao império persa em tempos antes de Cristo, mais precisamente onde hoje é o Irã. Mas outros estudos atribuem que a mesma é genuinamente francesa e descende de outras espécies de uvas daquele país: as variedades pouco conhecidas Mondeuse Blanche (branca) e Dureza (tinta). A França é o maior e mais tradicional produtor de Syrah, com grande concentração no vale do rio Rhône com quase 70 mil há plantados seguidos da Austrália com cerca de 42 mil ha. E foi a Austrália cujo cultivo é datado desde o século XIX e despontou com vinhos de excelente qualidade a partir da década de 80 que os australianos inclusive mudaram seu nome para Shiraz. Também é cultivada no Chile em praticamente todas as suas regiões, na África do Sul, EUA e no Brasil no Rio Grande do Sul, no Vale do São Francisco, em Minas Gerais e em São Paulo. 

E é do Chile que vêm o vinho comentado desta semana, produzido pela Viña Tarapacá, o Tarapacá Gran Reserva Syrah 2017, do Vale do Maipo. Fundada em 1874, uma Viña Tarapacá de despontou entre os nomes fortes do vinho chileno de qualidade e possui 600 hectares de vinhos neste vale. Possui cor rubi profundo e carrega aromas que tornam esta casta inebriante, com amoras e cerejas pretas, alcaçuz, azeitonas, pimenta, couro e floral (violetas e lavanda). Também compota e passas. Em boca mostra-se estruturado, com médio corpo, taninos macios e volumosos em boca.  Saboroso e com larga persistência resgata a fruta e a pimenta no paladar.

Amplo na harmonização acompanha desde carnes de caça, como coelho e javali, também porco, cordeiro e queijos maduros. Risotos e massas com molhos estruturados além de  temperos fortes, como cebola, alho, mostarda, pimenta, louro e as ervas aromáticas, como alecrim e tomilho, são ótimos parceiros. Até mesmo hambúrgueres com molho barbecue ou um lombo de porco com especiarias asiáticas e lasanha de berinjela com molho de queijos.

Este Syrah estagiou por 14 meses em barricas de carvalho francês e americano.

Possui 13,5% de graduação alcoólica e o ideal é ser degustado refrescado na temperatura de 16 a 18oC.

Você encontra os vinhos Tarapacá na Wein Haus, loja especializada em vinhos, localizada na Rua João Pessoa 895, Santa Cruz do Sul, fone (51) 3711.3665, e tele-entrega pelo whatsapp (51) 98416.6407 e site www.weinhaus.com.br

E lembre-se: se beber, NÃO DIRIJA!     

quinta-feira, 7 de maio de 2020

O creme de feijão branco!


E finalmente as temperaturas de outono caíram! Ótimo para um creme revigorante.

Eis que a época de sopas, caldos e cremes chegou! Com ela as receitas destas gostosuras respingam pelas panelas e levam aos pratos fundos calor, sabor e energia para aguentar o termômetro baixar. Confira esta ótima receita do creme de feijão branco


Ingredientes:
(para 4 pessoas)

200g de feijão branco lavado, escorrido e cozido
1 cebola picadinha
2 dentes de alho picados
1/4 xícara de azeite de oliva
1 ramo grande de alecrim fresco
500 ml de caldo de galinha
Pimenta preta e sal à gosto
Bacon e alecrim para decorar

Preparo:

Em uma panela aqueça o azeite e adicione as cebolas e o alho e refogue. Junte o feijão, o caldo de galinha, o alecrim, o sal e a pimenta.  Deixe ferver e cozinhe por cerca de 30 minutos.  Use um processador para bater o caldo ou coloque tudo no liquidificador fazer o creme até ficar homogêneo.  Corrija o tempero e sirva podendo cobrir com bacon crocante preparado na frigideira.

Você sabia?

Considerado o ingrediente-símbolo da gastronomia brasileira, o feijão participa normalmente de, pelo menos, uma das nossas principais refeições diárias. E o feijão branco começou a ocupar o mundo fitness pois além de saboroso, pode ajudar a emagrecer e traz diversos benefícios para o organismo. É fonte de fibras, proteínas, flavonoides (substâncias antioxidantes), vitaminas do complexo B, ferro, zinco, magnésio e cálcio. Reduz a absorção de carboidratos; ajuda na prevenção de diabetes; auxilia no funcionamento do intestino; contribui para boa circulação sanguínea; fortalece os ossos; auxilia na formação de massa magra e contribui para o sistema imunológico.  

terça-feira, 5 de maio de 2020

Pizzato Fausto Tannat 2015


A Pizzato foi uma das primeiras vinícolas a cultivar a casta Tannat – ícone da viticultura uruguaia - na Serra Gaúcha, lá em meados da década de 80. Esta cepa francesa denota um séquito de apreciadores pois é uma das uvas mais tânicas entre as tintas. Desde 2005 é engarrafado e faz parte da linha da vinícola de Bento Gonçalves. O Pizzato Fausto Tannat 2015 é um vinho de coloração rubi violáceo e aromas frutados, com groselha, amora e framboesa, floral (violetas) e com toque terroso, com palato de acidez ótima, frutada e mentol, com médio corpo, ampla persistência e agradável retrogosto.  

Este vinho amadurece em barris de carvalho francês de 3º uso ou mais por cerca de 10 meses.

Vai bem na companhia de picanha e costela na brasa, feijoada, queijos duros e codorna ao molho escuro.

Possui 13% de graduação alcoólica e o ideal é ser degustado refrescado na temperatura de 16 a 18oC.

Você encontra os vinhos da Pizzato na Wein Haus, loja especializada em vinhos, localizada na Rua João Pessoa 895, Santa Cruz do Sul, fone (51) 3711.3665, whatsapp (51) 98416.6407 e site www.weinhaus.com.br e que neste período de restrições pelo Covid-19 possui serviço de tele entrega de vinhos a domicílio, confira!

E lembre-se: se beber, NÃO DIRIJA!