quinta-feira, 2 de dezembro de 2021

Os dadinhos de tapioca!

 

A tapioca saiu das aldeias indígenas para conquistar o mundo da culinária!

A tapioca tem sua origem junto aos índios brasileiros que na falta de farinha de trigo usavam a tapioca advinda da mandioca como substituta o que foi levado também aos colonizadores europeus que por aqui passaram. Mas o formato da tapioca como a conhecemos veio da cidade de Olinda, onde se consumia intensamente o beiju, a farinha e a tapioca (goma) extraídos da mandioca, desde o século XVI e hoje é um dos mais tradicionais símbolos da culinária do Norte e Nordeste. A tapioca caiu no gosto popular há relativamente pouco tempo e passou a ser a queridinha nos cardápios, tanto de quem é fitness quanto de quem é apreciador de tais iguarias. E na constante inovação deste ícone nordestino, há alguns anos surgiram os dadinhos de tapioca, que tiveram enorme visibilidade pelas mãos do chef paulista Rodrigo Oliveira, do Mocotó, cuja receita você acompanha agora!

 


Ingredientes:
 
250g de farinha de tapioca granulada
350g de queijo coalho
25g de queijo curado
Meio litro de leite integral
Meia colher de chá de sal
Pimenta do reino branca à  gosto
Meia xícara de geleia de pimenta agridoce ou melado para servir
 

Preparo:

Escolha um refratário ou assadeira retangular média de aproximadamente 30 x 20 cm. Cubra com plástico filme para ajudar a desenformar. Rale os queijos no ralo fino e coloque numa tigela funda. Junte a tapioca granulada, sal e pimenta do reino. Coloque o leite em uma panela e leve ao fogo até levantar fervura. Despeje o leite quente com cuidado sobre os outros ingredientes. Mexa bem até a tapioca absorver parte do leite. Coloque a massa no refratário com o filme plástico e espalhe bem para ficar reta. Cubra com outro plástico, encostando na superfície da massa e deixe esfriar. Leve à geladeira por pelo menos 3 horas, ou até ficar bem firme. Na hora que for preparar para servir, coloque bastante óleo numa panela para aquecer, pois os dadinhos dever ser fritos por imersão. Retire a cobertura de plástico filme da massa e vire-a numa tábua. Retire o plástico que estava no fundo também. Com uma boa faca, corte a massa em cubos iguais de mais ou menos 3 cm. Frite em imersão no óleo a 170ºC, até ficarem bem dourados e crocantes. Deixe escorrer bem para manter a crocância e sirva com melado ou a geleia de sua preferência.

terça-feira, 30 de novembro de 2021

Concurso Melhores Vinhos de Flores da Cunha - 20a. edição

 

Flores da Cunha é o maior produtor de uva e vinho do país ocupando tal posição de destaque no mercado do vinho brasileiro desde 1994 e possui sua própria Indicação de Procedência. Neste charmoso município de pouco mais de 30 mil habitantes da Serra Gaúcha encontram-se um grande número de vinícolas familiares, outras médias e também grandes vinícolas e muitas delas com ótimas opções de enoturismo. Por lá acontece o Concurso Melhores Vinhos que neste ano realizou a sua 20ª. edição e que tem por objetivo colocar a produção local em evidência e incentivar os viticultores e vinícolas no aprimoramento constante de seus vinhos, sucos e espumantes. Neste ano a seleção reuniu 266 amostras de 28 vinícolas para degustação às cegas, com a participação de 22 especialistas, entre enólogos e sommeliers. 


Os vinhos, sucos e espumantes que obtiveram melhor pontuação, o que representa 30% das amostras analisadas, fazem parte de um guia e são classificados em 13 categorias: Vinho Branco de Mesa Seco, Vinho Tinto de Mesa Seco, Suco de Uva Integral, Vinho Branco Fino Aromático, Vinho Branco Fino Não Aromático, Vinho Rosé Fino, Vinho Tinto Fino Cabernet Sauvignon, Vinho Tinto Fino Merlot, Vinho Tinto Fino, Vinho Espumante Moscatel, Vinho Espumante Moscatel Rosé e Vinho Espumante Brut e Vinho Espumante Brut Rosé. Na amostra deste ano 38 vinhos ficaram com avaliação acima de 90 pontos. E o mais pontuado de cada categoria leva o troféu Gran Baco, cujos 5 destes vinhos este colunista teve oportunidade de avaliar numa masterclass com os enólogos e produtores.  

 



Vinho branco seco não aromático:


Cooperativa Nova Aliança Chardonnay 2020: este vinho já havia figurado entre os 16 mais representativos da Avaliação Nacional de Vinhos do ano passado e novamente atestou sua qualidade. Cultivado na Campanha Gaúcha onde a cooperativa possui 400 hectares plantados com 6 varietais este chardonnay passa em barrica francesa de primeiro uso por três meses e é um vinho delicioso, cor amarelo dourado com aromas cítricos e chocolate branco e boca ótima fresca e com acidez na medida.   

 

Vinho fino tinto seco Cabernet Sauvignon:


Casa Del Piero Cabernet Sauvignon: trata-se de um bom CS não safrado (pois é elaborado por um corte de uvas da safra 2019, 2022 e 2021 e não passa em barrica mas leva chips de carvalho por certo período dentro dos tanques. Cor rubi violáceo, aromas que trazem frutas vermelhas com amora framboesa em destaque além de baunilha e chocolate e boca leve e fresca com fruta destacada e álcool baixo para os padrões do mercado (11,5%). Não carrega o tradicional pimentão e aquele herbáceo tradicional desta casta está em torno de R$30 no varejo.


Vinho fino tinto seco:


Panizzon Maximus 2018: um assemblage oriundo do corte de Cabernet Franc, Merlot, Sangiovese e Ancellotta sob a batuta do enólogo Diego Grison. De cor rubi profundo quase turvo e francos aromas de frutas negras e vermelhas maduras (groselha, cereja e amoras em destaque) além de tâmaras com café,  tabaco,  couro, toque terroso e ainda um manto floral jasmim. Boca com fruta retornando, fácil de beber, utiliza longarinas de carvalho dentro dos tanques por 12 meses.

 

Espumante Brut Rosé:


Família Veadrigo Rosé: belo espumante elaborado pelo processo Charmat longo, não safrado e com 90 pontos no Concurso. É um corte clássico de Pinot Noir e Chardonnay com coloração salmão, perlage fina e constante, aromas que remetem a a framboesa e notas florais, boca refrescante, ótima acidez e boa cremosidade, fresco e vibrante.

 

Espumante Moscatel:


Dom Bôrtolo Moscatel: cravou uma das melhores notas da amostra, com 92 pontos. Produzido pela Vinícola Mascarello que elabora vinhos finos desde 1999 totalizando cerca de 200 mil garrafas/ano. Trata-se de um corte que leva Moscato Branco e Moscato Gialo, cor amarelo palha muito brilhante, perlage constante e aromas com limão e mel. Mesmo com suas características adocicadas, traz boa acidez e ótima cremosidade ideal na companhia de sobremesas.

@turismo.flores

@prefeitura_floresdacunha

#eugourmet #bacofala

E lembre-se: se beber, NÃO DIRIJA! 

quinta-feira, 25 de novembro de 2021

Os legumes na brasa!

 

Frequentador assíduo das churrasqueiras e parrillas os legumes assados caíram nas graças dos comensais!

De uns anos para cá além da tradicional carne, os legumes começaram a fazer parte de grelhas e de espetos. Saudáveis, nutritivos, fáceis de preparar cada tipo possui um tempo diferente de ficar ao fogo e hoje seguem as dicas de como lidar com estes vegetais. No tempero apenas sal, azeite de oliva, pimenta moída na hora ou chimichurri ou adobo (temperos de origem hermana, mas facilmente encontrados por aqui) desidratados.


 

É preciso ter atenção à temperatura do grelhador, pois uma temperatura muito elevada pode queimar os legumes pois são mais delicados que a carne. O calor médio-alto é o recomendado para a maioria dos vegetais. Para identificar esta temperatura quando você coloca a mão a cerca de 5 centímetros do calor da grelha e é possível mantê-la por no máximo 4 a 5 segundos.

Outra coisa muito importante quando se prepara qualquer alimento na grelha é cuidar se ela está bem limpa pois qualquer alimento ou sujeira de outros usos poderá grudar e prejudicar o preparo. Também é ideal se untar a grelha ou espeto com azeite para facilitar o manuseio. Acompanhe! 

Berinjela e abobrinha: corte em rodelas de 1 cm e deixe de molho em água salgada fria por 30 minutos. Retire, escorra, seque, unte com azeite e asse em fogo médio-alto por 3 minutos de cada lado.

Batata-doce: limpe e corte em rodelas de 1 cm. Besunte com azeite e asse em fogo médio-alto por 2-3 minutos de cada lado ou até ficar macio.

Cebola: corte em rodelas grossas de 2 cm sem separar as rodelas. Eles podem ser colocados em um espeto para que não se separem. Regue com azeite e asse em fogo médio-alto por 3-5 minutos de cada lado ou até ficar macio.

Cogumelos: Limpe e cubra levemente com azeite. Cozinhe em fogo médio-alto por 6-8 minutos no total, virando ocasionalmente para cozinhar uniformemente.

Repolho: corte em meias-luas do tamanho de um punho. Coloque em papel alumínio junto com o azeite, a manteiga, pimenta moída e o suco de limão espremido. Embrulhe bem e cozinhe em fogo indireto médio alto por 8-12 minutos ou até amolecer.

Couve-flor: corte em florzinhas médias e regue com azeite. Cozinhe em fogo médio por 8-12 minutos, virando continuamente para que cozinhe por igual e levemente dourado.

Milho: Retire as folhas mas não jogue fora e retire os fios. Enrole novamente as folhas e deixe de molho em água por 15-30 minutos para hidratar. Cozinhe por 15-20 minutos em fogo médio ou até ficar macio. Se você vai cozinhar sem as folhas, tem que untar muito bem e cozinhar até que os grãos de milho fiquem dourados, mas tome cuidado para não queimá-los.

Aspargos frescos: corte a parte final do caule que estiver dura. Unte levemente com azeite e cozinhe em fogo médio por 3-5 minutos de cada lado ou até que as pontas dos aspargos comecem a mudar de cor.

Batatas: Para batatas inteiras, limpe bem e embrulhe em alumínio. Asse por 35-45 minutos em fogo médio-alto, virando ocasionalmente para cozinhar uniformemente. Ou cortar em fatias e cobrir com azeite e levar a grelha até dourar e ficar macio. Pode-se acelerar o processo e levá-las para ferver antes de cozinhar na grelha.

Pimentão: corte em 3 ou 4 pedaços grandes, retirando as sementes e a parte branca do pimentão. Unte levemente com azeite e asse em fogo médio-alto por 3-4 minutos de cada lado.

Tomate: deixe inteiros ou corte ao meio todo ou corte ao meio, pincele azeite e asse na grelha rapidamente em fogo médio-alto 4 minutos ou até amolecer.

Tempere todos os vegetais com sal e pimenta a gosto. Você pode usar ervas frescas secas ou seus temperos favoritos para dar mais sabor aos vegetais. Bom apetite!

terça-feira, 23 de novembro de 2021

Montes Classic Reserva Chardonnay 2019 - uma delícia chilena!

 

Nestes dias mais quentes de primavera tenho degustado alguns espumantes e vinhos brancos em carreira solo, ou seja, sem companhia gastronômica e naquele final de tarde convidativo. Um delicioso rótulo que provei é o Montes Classic Reserva Chardonnay 2019 produzido pela vinícola de mesmo nome, no Vale do Curicó, no Chile. É um  branco com passagem em barrica com frescor e aromas  cítricos. De coloração amarelo ouro claro e brilhante e com untuosidade em taça, trouxe ao nariz frutas tropicais (abacaxi, pêssego, banana, melão e manga) envolvidos em toques de flores brancas, baunilha e chocolate branco além de nota mineral. Em boca é vibrante, fresco, macio, com ótima acidez e ampla persistência.

30% do vinho amadurece em barrica de carvalho de primeiro uso durante 6 meses.

Faz par com pratos de peixes, ceviche, cogumelos salteados, massas com molho de parmesão, frango, comida oriental e queijos de massa mole.

Possui 13,5% de graduação alcoólica e o ideal é ser servido na temperatura de 9º a 12ºC

E lembre-se: se beber, NÃO DIRIJA! 

quinta-feira, 18 de novembro de 2021

Vai começar o reality show que vai mostrar como se faz um espumante tradicional

 


Quem já viu como é feito um espumante pelo método tradicional, aquele com a 2ª fermentação na garrafa, do início ao fim? Vem aí mais uma edição dessa inédita experiência educativa na Cristofoli Vinhos de Família. Inscrições estão abertas



A Cristofoli Vinhos de Família, vinícola localizada no interior de Bento Gonçalves, na Rota Cantinas Históricas, abre suas portas para compartilhar com o público o dia a dia da vindima em sua segunda temporada. Depois do sucesso do episódio em 2021, o Making Wine 2022 chega com novidade. Quem já viu como é feito um espumante pelo método tradicional, aquele com fermentação na garrafa, do início ao fim? Esta é uma experiência única, inédita no mundo do vinho, fruto de uma parceria entre a Cristofoli e o Artur Farias. E quem participar vai poder aprender tudo sem sair de casa. O Cristofoli Blanc de Blanc em garrafa personalizada poderá ser adquirido pelos participantes em primeira mão. Aí é só tirar a rolha e degustar o espumante. O astro dessa temporada é o espumante Cristofoli Blanc de Blanc, produzido 100% com a variedade Chardonnay da Serra Gaúcha. No final, é claro, os participantes terão acesso antecipado e com cupom de desconto exclusivo do projeto Making Wine para comprar o espumante que acompanharam desde a colheita das uvas até ele ficar pronto, em garrafa personalizada.

Para a enóloga Bruna Cristofoli, o cotidiano da produção de vinhos sempre foi uma grande curiosidade do público, que agora pode ser acompanhado por todos. “O Making Wine veio para selar esta proximidade com nossos clientes e amigos e este formato é perfeito, ainda mais em tempos de pandemia e com as mudanças de comportamento do consumidor. Além disso, com certeza, esta é uma experiência no mínimo inusitada”, destaca. O especialista em vinhos e turismo, Artur Tremper Farias, é quem vai conduzir o Making Wine, mostrando a vindima como ela é. Ele, literalmente, vai morar na casa da família e trabalhar cada fase durante todo o período. Sem câmeras e edição, somente com celular, ele vai viver a rotina da família, participando de todo processo de vinificação, sempre acompanhado por um dos enólogos da vinícola, Bruna, Lorenzo ou Letícia Cristofoli. Assim, será possível tirar dúvidas e esclarecer curiosidades dos participantes em tempo real.

Farias conta que em 2021 viveu intensamente a vindima e já está preparado para repetir a experiência. “A produção de vinhos requer muito esforço físico, muito trabalho sem dias de descanso e com muita tensão pelo nível de responsabilidade envolvido no processo, pois as variáveis são muitas. Não foi nada fácil. Mas foi imensamente prazeroso ver o resultado de um delicioso vinho engarrafado, que a cada dia vamos recebendo mais e mais elogios dos consumidores”, relata.

Em 2021, 130 pessoas participaram do reality. Para esta edição, a expectativa é de atrair 300 participantes. Para isso, foram criados uma série de benefícios, incluindo produtos e muito conteúdo. Os valores partem de R$ 249.

Informações pelo WhatsApp 54 9 9948-6341 e compra do acesso pelo link https://www.wine-locals.com/passeios/reality-show-espumante-making-wine-2022.

 

ETAPAS DO MAKING WINE 2022

1.            JANEIRO: Visita ao vinhedo (medição Brix), Colheita, Recepção de uvas, Prensa uvas e 1ª fermentação (tanque). Duração aproximada: 15 dias.

2.            MAIO: Estabilização e Clarificação (tanque).

3.            MAIO: Início 2ª fermentação e engarrafamento.

4.            JUNHO: Abertura das garrafas 30 dias depois de engarrafamento para avaliação.

5.            NOVEMBRO: Venda em avant premier de garrafas com 6 meses de maturação.

 

BENEFÍCIOS DO MAKING WINE 2022 (todos os kits)

             Duas LIVES com o enólogo da vinícola para a apresentação e encerramento do Projeto MW 2021.

             E-book exclusivo para acompanhamento do passo a passo do processo de vinificação.

             Desconto de 20% em compras de vinhos (1 compra por CPF) no site da vinícola durante todo primeiro semestre de 2022.

             Grupo de WhatsApp exclusivo para compartilhar vídeos, fotos e esclarecer dúvidas.

             Possibilidade de compra de garrafas em première durante visita presencial à vinícola.

             Possibilidade de compra dos espumantes personalizados pelo projeto ao final da elaboração.

 

A Vinícola

Com uma produção anual de 27 mil garrafas de vinhos finos e espumantes, a Cristofoli é sinônimo de inovação quando o assunto é enoturismo. Mesmo pequena, a vinícola oferece nada mais, nada menos que 10 experiências enoturísticas. A mais disputada é o Edredom nos Parreirais, seguida pele Entardecer de Vindima, mas as opções seguem com o Tour Vinho e Paisagem, Spuntino, Almoço harmonizado ao ar livre, Degustação de Vinhos, além de experiências personalizadas e da visita guiada à propriedade com degustação orientada de vinhos. Para quem curte conhecimento e ações especiais com produtos exclusivos tem a Confraria Família Cristofoli.

SERVIÇO

Local: ERS 431 km 06 – Rota Cantinas Históricas – Faria Lemos - Bento Gonçalves (RS)

Horário de atendimento:

De segunda a sexta: das 8h às 11h30min e das 13h30min às 18h

Sábados e feriados: das 9h30min às 18h

Domingos: das 12h às 17h

Contato: cristofoli@vinhoscristofoli.com.br | (54) 3439.1190 | (54) 9 8403.9247

Loja virtual: www.loja.vinhoscristofoli.com.br

 

quinta-feira, 11 de novembro de 2021

Por dentro da 29ª Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2021


Neste ano a maior avaliação de uma safra de vinhos do mundo bateu seu próprio recorde: mais de 3 mil pessoas estiveram unidas na maior Avaliação Nacional de Vinhos da história!



É inegável a ascensão do vinho brasileiro nestes últimos anos! De preterido muitas vezes a preferido agora e com todo o investimento aportado em qualidade e especialização produtiva - claro que somado a parceria com o clima – podemos afirmar piamente que o vinho nacional vive o seu melhor momento, consolidado, reconhecido e elogiado em todo o mundo. E a Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2021, realizada no sábado passado, 6 de novembro, mostrou esta realidade ao reunir mais de 3 mil apreciadores em todo o Brasil, além de 180 pessoas, entre comentaristas, patrocinadores e enólogos, no estúdio montado no Dall’Onder Grande Hotel, em Bento Gonçalves. Unidos pelo vinho, todos degustaram as 16 amostras selecionadas entre os 30% mais representativos da Safra 2021. A transmissão ao vivo pelo canal da Associação Brasileira de Enologia no Youtube tornou o evento ainda maior e segue disponível para quem quiser viver a experiência. Das 406 amostras, 154 de 35 vinícolas se classificaram entre os 30% mais representativos da Safra 2021. Dos 16 comentaristas, 14 foram presenciais e dois participaram diretamente de suas casas. Convidados pela ABE, mostraram que o vinho independe de profissão, classe social, raça ou religião, expressando a diversidade do país ao reunir no mesmo grupo enólogo, sommelier, consultor, cineasta, ator, atleta, médico, escritor, jornalista, wine influencer e até Imperatriz, mostrando que a ABE vem promovendo o vinho brasileiro para diversos públicos. “O vinho brasileiro precisa estar em todas as regiões brasileiras e a Avaliação está cumprindo este papel, promovendo a produção local e mostrando ao brasileiro a qualidade do que é elaborado pelas vinícolas do Brasil”, destaca André Gasperin, presidente da Associação Brasileira de Enologia – ABE. Ari Gorenstein, Bárbara Bortolini, Daniel Arraspide, Diego Bertolini, Edegar Scortegagna, Fernanda Garay, Jayme Monjardim, Juan Alba, Leandro Baena, Michael Waller, Moisés Perez, Osvaldo Amado, Paula Daidone, Regina Vanderlinde, Ricardo Castilho e Rogerio Dardeau integraram o painel de comentaristas. No total, foram 1.000 kits, sendo 700 comercializados e 300 entre o público presencial e ação com mais de 120 jornalistas, blogueiros e influenciadores. Cada um dos kits tinha 16 garrafas (187 ml), todas numeradas de 1 a 16, para que os apreciadores pudessem degustar as amostras ao mesmo tempo que os comentaristas, acompanhando a transmissão ao vivo. O escritor Rogerio Dardeau e a doutora em Enologia, Regina Vanderlinde foram os homenageados deste ano com o Troféu Vitis Amigo do Vinho Brasileiro 2021 e Destaque Enológico 2021, respectivamente. A distinção é o reconhecimento prestado pela ABE a pessoas que em sua trajetória pessoal e profissional contribuem para a promoção do vinho brasileiro.

Agraciados com o Troféu Vitis


A seguir as 16 amostras mais representativas da Safra 2021 do vinho brasileiro:

 

CATEGORIA VINHO BASE ESPUMANTE

Chardonnay e Pinot Noir – Estabelecimento Vinícola Valmarino – Pinto Bandeira (RS)

Chardonnay – Chandon do Brasil – Garibaldi (RS)

Pinot Noir e CHardonnay – Vinícola Salton – Bento Gonçalves (RS)

CATEGORIA BRANCO FINO SECO NÃO AROMÁTICO

Viognier – Casa Valduga – Bento Gonçalves (RS)

Chardonnay – Pizzato Vinhas e Vinhos – Bento Gonçalves (RS)

CATEGORIA BRANCO FINO SECO AROMÁTICO

Sauvignon Blanc – Vinícola Campestre - Vacaria (RS)

Moscato Branco – Vinícola Mioranza – Flores da Cunha (RS)

CATEGORIA ROSÉ FINO SECO

Tannat – Casa Venturini – Flores da Cunha (RS)

CATEGORIA TINTO FINO SECO JOVEM

Merlot – Vinícola Salvattore – Flores da Cunha (RS)

CATEGORIA TINTO FINO SECO

Cabernet Franc – Dal Pizzol Vinhos Únicos (RS)

Tannat – Hortência Indústria de Bebidas – Flores da Cunha (RS)

Cabernet Sauvignon – Casa Perini – Farroupilha (RS)

Tannat – Vinícola Almaúnica – Bento Gonçalves (RS)

Alicante Bouschet – Cooperativa Vinícola Aurora – Bento Gonçalves (RS)

Touriga Nacional – Miolo Wine Group – Candiota (RS)

Tannat, Teroldego, Malbec, Cabernet Franc, Merlot – Vinícola Don Guerino (Alto Feliz (RS)

 

Pensador:

“O Brasil está unido em torno do vinho brasileiro. Por isso, convido todos a viver o seu vinho, o vinho brasileiro, que bateu na porta de milhares de brasileiros para uma jornada incrível”. André Gasperin, presidente da ABE

Fotos: Rafael Bauer


sexta-feira, 5 de novembro de 2021

Veste Amarela Chardonnay Laranja 2020

  


Vinho laranja é aquele elaborado pelo método quase ancestral - os primeiros vinhos elaborados pôde-se dizer eram laranjas - é um vinho produzido a partir de uvas brancas, onde as cascas das uvas não são removidas durante o processo de fermentação, permanecendo em contato com o mosto durante um longo período de tempo. Esse período de contato entre o mosto e as cascas das uvas é o que confere ao Vinho Laranja sua coloração característica, de tom âmbar. No Brasil já temos alguns produtores elaborando esta inusitada bebida de Baco. A Guatambu Estância do Vinho elabora o Veste Amarela Chardonnay Laranja 2020 num pequeno lote de tiragem especial com apenas 1.300 garrafas numeradas. A de número 694 foi degustada por este que escreve. O nome faz referência ao pássaro Veste Amarela, que está ameaçado de extinção no Bioma Pampa. Este vinho ficou em contato com as cascas e sementes da uva Chardonnay por 8 meses e descansou por 6 meses em barricas de carvalho francês. Possui linda coloração cobre dourada e aromas que remetem a fruta seca, casca de laranja e também um oxidado que é característico do vinho laranja, mineral e refrescante com leve adocicado ao nariz. Em boca é seco e refrescante com acidez bem presente, muita persistência e um amplo final com fruta seca e macerada, chá preto e ainda mamão.

Recebeu 91 pontos e o destaque de Vinho Revelação e Melhor da Campanha Gaúcha no Descorchados 2021.

Harmoniza com carnes brancas, risotos, legumes empanados em tempurá além de bacalhau e salmão.

Possui 13% de graduação alcoólica e o ideal é ser servido na temperatura de 9º a 12ºC

E lembre-se: se beber, NÃO DIRIJA!