quarta-feira, 7 de abril de 2021

Bella Wines lança o primeiro espumante com colágeno do Brasil!

 

Duas mulheres do mundo do vinho se unem num projeto pioneiro e ousado e lançam de forma inédita o primeiro espumante do Brasil com a proteína para rejuvenescimento


Se o espumante brasileiro já era considerado o ‘queridinho’ entre a maioria das mulheres, agora ele vai ganhar ainda mais atenção do público feminino. A nova marca Bella Wines, das sócias Regina Vanderlinde e Patrícia Possamai, estreia no mercado com o lançamento do primeiro espumante brasileiro com colágeno. É o Bella Collagen Sparkling Pink, um espumante que resulta do corte de quatro vinhos base elaborados com uvas cultivadas no Vale dos Vinhedos, sendo duas brancas, a Chardonnay e a Riesling Itálico, e as tintas Pinot Noir e Merlot. Além das uvas, peptídeos ativos de colágeno Verisol são inseridos no processo de elaboração da bebida.

Em cada garrafa de 750 ml, 2,5 g de colágeno, justamente a dose diária recomendada para as mulheres. Além do prazer que alguns goles do espumante oferece, benefícios comprovados pela medicina incentivam ainda mais o consumo moderado da bebida, entre eles a prevenção contra o aparecimento da celulite e o envelhecimento precoce da pele, reduzindo o volume de rugas; o tratamento contra a flacidez, favorecendo a elasticidade; a melhora no aspecto da pele com uma melhor hidratação; o fortalecimento de unhas e cabelos; a proteção contra os desgastes das articulações e também o tratamento da osteoporose. Isso porque o colágeno é uma proteína de rápida absorção, naturalmente encontrada no organismo, mas que precisa de reposição conforme a idade. Pesquisas apontam que com apenas quatro semanas de utilização deste tipo de colágeno é possível perceber propriedades antienvelhecimento. O mesmo não pode ser afirmado para o restante dos colágenos hidrolisados.

Doutora em Enologia pela Universidade de Bordeaux (França), Regina acumula uma experiência que ultrapassa o Atlântico. Como presidente da Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV), acompanha de perto tudo o que acontece no mundo em torno do setor, o que lhe dá uma visão ampliada do mercado, permitindo conciliar sua expertise com o amor pelo vinho. "A minha dedicação ao vinho nunca foi somente uma questão profissional, sempre foi uma grande paixão. A beleza do vinho me encanta e me inspira leveza, diversão e imaginação. A ideia de criar o Bella surgiu da vontade de juntar o prazer com a beleza e poder compartilhar este sentimento materializado na forma desta bebida", destaca. A enóloga e sommelière, Patrícia Possamai, acredita que todo enólogo sonha em elaborar um vinho para chamar de seu. “Sempre fiz vinho e testei técnicas para eu mesma beber. Hoje,  com o lançamento do Bella, acho que consegui transcender o conhecimento acadêmico para ajudar a levar felicidade – sim, vinho é felicidade – para o mercado”, celebra.

O espumante está disponível na VinhosWeb www.vinhosweb.com.br.

O ESPUMANTE



O Bella Collagen Sparkling Pink, que passa por um período médio de maturação de sete meses em tanques de aço inox, apresenta delicada coloração rosa salmão com reflexos dourados, realçados pelo perlage fino, longo e persistente. Seu aroma é fino com toques frutados que nuances de morango e framboesa, harmonizando com as notas de frutas tropicais. Em boca, destaca-se pela leveza e resfrescante acidez, revelando um agradável retrogosto frutado. O espumante, elaborado pelo método Charmat, tem 10,5% de graduação alcoólica, sendo indicado para consumo com temperatura entre 6°C a 8°C.

Versátil, o Bella Collagen Sparkling Pink harmoniza muito bem com carpaccio, lombo suíno ao molho agridoce, risoto de camarão, salada caprese, tomates recheados com salmão, sushi e sashimi, além de ser perfeito como aperitivo e para ser degustado na praia ou na beira da piscina.

AS SÓCIAS

REGINA VANDERLINDE

Formada em Farmácia Bioquímica – Tecnologia de Alimentos pela Universidade Federal de Santa Catarina, é Doutora em Enologia pela Universidade de Bordeaux (França). É proprietária da Vanderlinde Assessoria e Comércio de Vinhos – www.terroirdomundo.com.br  e sócia da Bella Wines. É presidente da Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV), a mais importante instituição mundial do vinho, com sede em Paris.

PATRÍCIA POSSAMAI

Enóloga formada pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul, é Diretora Técnica da VinhosWeb Comércio de Bebidas e Alimentos. Sommelière pela ICIF – Itália, onde também se tornou Chef Master em Enogastronomia Italiana. Hoje é Diretora de Produção da Pimentaria Dedo de Moça Indústria de Alimentos e sócia na Bella Wines.

*Fotos: Jeferson Soldi

 

 

 

quinta-feira, 1 de abril de 2021

Chocolate e vinho!

 

Que tal nesta Páscoa de celebração juntarmos estes dois institutos enogastronômicos?  



A harmonização de vinho e comida vai muito além dos salgados pois o doce entra e muito bem nesta alça de mira também! E na Páscoa o chocolate é o doce da vez na combinação com este fermentado de Baco. O desafio é quase sempre com a doçura e como equilibrá-la e o objetivo é conseguir um sabor intermediário entre o chocolate e o vinho.

O tipo de chocolate influencia diretamente na escolha de qual uva e rótulo este casamento depende pois conforme o teor de cacau do chocolate, alguns vinhos harmonizam melhor que outros. A regra geral é que o vinho deve ser igualmente doce ou mais doce que o chocolate – e nunca ácido – mas sempre há controvérsias a esta diretriz. O doce do chocolate por contraponto eleva a acidez do vinho e acaba ficando intragável. A bebida nessa harmonização faz o papel de limpar o paladar e secar a sensação de untuosidade, causada pelo leite e, no caso dos nacionais, gordura vegetal. Quanto menos cacau o chocolate tiver, mais gorduroso ele será. Quanto mais cacau apresentar, mais intenso será seu sabor. A harmonização dessa dupla pode ser feita por similaridade ou por contraste. Para chocolates com alto teor de açúcar, como os ao leite e branco, a similaridade está na doçura. O vinho deve ter ao menos o mesmo patamar de doçura que o chocolate, caso contrário, criará um sabor metalizado na boca. Já chocolates com maior concentração de cacau, os acima de 60% conseguem acompanhar vinho seco. Nesse caso, os taninos de ambos - cacau também tem tanino - irão se complementar. Essa categoria de chocolate também pode ser harmonizada por contraste: o açúcar do vinho doce contrapondo o amargor do cacau. Os resultados das duas harmonizações são completamente diferentes! A combinação com chocolates recheados deve ser feita a partir do ingrediente extra. Você irá selecionar um vinho que acompanha o sabor do recheio. Ou seja, um chocolate com laranja, vinho com notas de laranja; chocolate com nozes, uma opção com carvalho que traga nuances de castanhas.

Adiante algumas boas dicas para neste final de semana especial você se divertir e testar as harmonizações possíveis com os presentes do Coelhinho.

 

Chocolate branco:

Além da manteiga de cacau, o chocolate branco leva baunilha em sua composição, é doce, macio e untuoso. Pede por um vinho que se assemelhe na doçura e textura. O ideal são os vinhos brancos com doçura, para equilibrar o sabor do chocolate; acidez média/alta, para limpar a untuosidade; e com textura cremosa e amanteigada, igualando o peso do chocolate. Pode ser exemplares bem doces, como Moscatel, ou de castas aromáticas, como Riesling, Viognier e até Torrontés (com açúcar residual elevado) e o licoroso Pedro Ximenez. Caso não goste muito de vinhos doces, uma alternativa seria um espumante demi-sec.

 

Chocolate ao leite:

O chocolate ao leite harmoniza melhor com uma maior variedade de vinhos. As opções de vinhos para combinar com chocolate ao leite são os tintos leves, frutados e com baixo teor alcoólico, como Gamay, Merlot, Pinot Noir, Carmenère e Grenache. Brancos maduros e com um toque leve de carvalho, como Viognier, Chardonnay e Pinot Gris; ou espumante Moscatel. Vale lembrar que como a regra permite que o vinho seja mais doce que o chocolate, mas não vice-versa, os vinhos doces que casam com chocolate branco também harmonizam bem com chocolate ao leite e sobremesas feitas com o mesmo.

 

Chocolate meio amargo:

O toque mais amargo desta variedade combina com vinhos mais encorpados, de taninos volumosos e boca potente. O Cabernet Sauvignon, Malbec e Zinfandel são ótimas opções. Os vinhos Pinot Noir e Merlot também é compatível com chocolates meio amargo mais suaves (com até 50% de cacau).

 

Chocolate amargo:

O elevado teor de cacau sugere aqui uma harmonização por contraste, ou seja, para contrapor o amargor busca-se uma contramedida doce, ou seja, vinhos com alto teor de açúcar residual. Alguns clássicos na harmonização com chocolates são os Vinhos do Porto e Sauternes. Sendo Porto o tipo “Ruby” com suas notas de frutas vermelhas e boa presença de açúcares combina melhor. Sendo Sauternes e seu elevado teor de açúcar residual com notas de caramelo vão de carona com um bom chocolate.  Mas também um vinho tinto seco de casta tânica é uma possibilidade audaciosa, mas que pode ser bem vista com Syrah e até Tannat que são uvas que pedem por um acompanhamento de sabor intenso. Os taninos do vinho devem estar bem assimilados, para que não crie amargura já que esses chocolates também têm menos gordura e mais características do sabor e aroma do cacau. Por serem mais fortes e marcantes, harmonizam bem com vinhos tintos de características semelhantes.

 

Chocolates com recheios:

Chocolates recheados, com caramelo, pedaços de frutas, biscoitos, castanhas e vários outros ingredientes são bem comuns e essas características podem dificultar um pouco o processo de harmonização de vinhos deve-se prestar atenção ao sabor que predomina no doce, é ele que deve ser levado em consideração na hora da harmonização.

 

Uma feliz e abençoada Páscoa a todos os leitores!


Pensador:

“Você não pode comprar felicidade, mas pode comprar chocolate, que é quase a mesma coisa.” Anônimo

 

sexta-feira, 26 de março de 2021

Entre Mulheres e Vinhos!

Elogiável evento realizado pela ABE - Associação Brasileira de Enologia - que reunirá sete mulheres para compartilhar suas histórias com o vinho em plataforma online e gratuito no dia 31 de março


Conheço praticamente cada uma destas mulheres, as "gurias do vinho", não só pelo seu trabalho sólido e destacado nas esferas em que atuam, mas também pela sua índole e caráter retilíneos. Será uma satisfação vê-las e ouvi-las!     

Andreia Debon, Bruna Cristofoli, Deisi da Costa, Ivane Fávero, Luciana Froes, Patrícia Possamai e Regina Vanderlinde. Sete mulheres de personalidade com diferentes formações e profissões, mas que têm em comum o gosto pelo vinho. Elas estarão reunidas no evento ‘Entre Mulheres e Vinhos’, promovido pela Associação Brasileira de Enologia (ABE) no dia 31 de março, às 20h, pelo canal da entidade no youtube. Dirigido às mulheres, o acesso é gratuito, mas os homens podem assistir. Aliás, elas fazem questão. A única exigência é que todos abram uma garrafa de vinho brasileiro de sua preferência e acompanhem a transmissão, participando através do chat. Essência di Fiori, Sicredi Serrana, Todeschini e Verallia são patrocinadores.

Além de homenageá-las no Mês da Mulher, a ABE aposta em sua audiência para amplificar este movimento, promovendo a cultura do vinho entre este público que não para de crescer. O mundo do vinho, que já foi quase exclusivamente masculino, a cada dia está mais feminino. Mulheres de diferentes profissões, estilos e regiões encontram neste universo uma forma de expressar suas impressões, seja profissionalmente, seja por prazer. Por isso, a ideia de fortalecer este espaço num evento digital descontraído, com histórias curiosas, muita atitude e conhecimento.

“Além de grandes consumidoras de vinho, as mulheres muitas vezes são responsáveis pela escolha da bebida que será servida durante as refeições. O público feminino possui grande capacidade analítica em relação ao que consome, além dos sentidos femininos serem mais sensíveis. Hoje, a mulher sabe escolher, comprar e harmonizar vinhos com os pratos. Independentes, têm gosto próprio, poder, autonomia e forte participação na vida social”, destaca o presidente da ABE, enólogo André de Gasperin.

Uma pesquisa feita na Inglaterra, por exemplo, conduzida pela Vinexpo, mostra que oito em cada 10 garrafas de vinho são compradas por mulheres. Outra pesquisa publicada em 2018 na revista Food Quality and Preference, comprova que as mulheres têm um paladar mais apurado e, portanto, são capazes de distinguir sabores que normalmente não são percebidos pelos homens. Aqui no Brasil, segundo dados da Associação Brasileira de Sommeliers (ABS), a participação das mulheres em cursos de formação representa 50% dos alunos, em alguns estados até mais. Além disso, dos 300 profissionais que integram o quadro social da ABE, 58 são mulheres.

As mulheres

Uma das convidadas é a enóloga Bruna Cristofoli, diretora da ABE. Com apenas 34 anos, Bruna vai compartilhar sua experiência como gestora da vinícola familiar em torno do tema “Empreender não tem sexo, nem idade”. Já a sommelier Deisi da Costa vai falar sobre “Vinho é coisa de mulher”, quebrando paradigmas criados ao longo da história. Ela foi eleita a Melhor Sommelier do RS em 2019 pela ABS-RS.

Falar de vinho é também falar de experiências, de cultura, de sentimentos. Por isso o tema “Viagens, Enoturismo e Amor” não poderia faltar. E ninguém melhor do que a turismóloga Ivane Fávero, para conduzir o assunto. Com um currículo invejável, hoje ela é consultora, conteudista, coolhunting e palestrante em Turismo, e junto com o marido, dirige o Blog Viajante Maduro.

É comum ouvir falar que o vinho aproxima as pessoas, faz amizades e que em torno de uma taça de vinho muitas histórias são vividas e revividas. Para temperar este encontro “Histórias com Aromas e Sabores” será a pauta da jornalista carioca Luciana Froes, que coleciona reportagens históricas e vai contar alguns episódios marcantes dessa trajetória que é ser uma contadora de histórias.

Para fechar o evento, a maior personalidade feminina do mundo do vinho hoje, a presidente da Organização Internacional da Vinha e do Vinho, Regina Vanderlinde, que, juntamente com sua sócia na Bella Wines, a enóloga Patrícia Possamai, estará apresentando o primeiro espumante brasileiro com colágeno, prova de que não há limites para as mulheres que querem inovar, fazer história e cumprir seu papel social.

Quem conduzirá o evento será a jornalista especializada em vinhos e sommelier internacional Andreia Debon, também degustadora em concursos internacionais.

TEMAS E MULHERES

Viagens, Enoturismo e Amor

IVANE FÁVERO - @ivanefavero @viajantemaduro

Turismóloga pela PUC, é especialista em Gerenciamento do Desenvolvimento Turístico pela UCS e em Gestão Pública Municipal pela URFGS. Mestre em Turismo pela UCS, realizou o MBA de Planejamento e Marketing do Turismo pela George Washington University. Foi Diretora e Secretária de Turismo de Bento Gonçalves e Secretária de Turismo de Garibaldi, totalizando quase 20 anos de atuação no setor público. Foi professora de cursos superiores de Turismo por 12 anos (UCS e Fisul). Foi gestora de Turismo do Sebrae Serra Gaúcha e consultora do Sebrae Brasil e do Instituto Marca Brasil, junto ao Ministério do Turismo. Foi membro do Conselho Nacional de Turismo e do Conselho Estadual de Turismo. Autora do livro Políticas doTturismo – Planejamento na Região Uva e Vinho – EDUCS, 2006. Realizou palestras em vários países, além do Brasil, como Portugal, Itália, Espanha, Argentina e Uruguai. Foi presidente e fundadora da Associação Internacional de Enoturismo – Aenotur. Recebeu o título de Embaixadora Città del Vino, na Itália. Também foi homenageada como “Amiga do Vinho Brasileiro”, recebendo o Troféu Vitis pela Associação Brasileira de Enologia – ABE. Em Garibaldi, recebeu os títulos de Cidadã Garibaldense, Medalha Ordem do Mérito do Município e, ainda, Embaixadora do Turismo de Garibaldi. Atualmente atua como Consultora, Conteudista, Coolhunting e palestrante em Turismo. É responsável pelo Blog Viajante Maduro.

Empreender não tem sexo, nem idade

BRUNA CRISTOFOLI @brunavinho @vinhoscristofoli

Enóloga formada pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul, com apenas 34 anos é responsável técnica e diretora administrativa da Cristofoli Vinhos de Família, vinícola familiar instalada na Rota Cantinas Históricas, no distrito de Faria Lemos, interior de Bento Gonçalves. É diretora Cultural da ABE – Associação Brasileira de Enologia, integra o Comitê da Fenavinho na área de Enologia e Relações Comunitárias, atua como diretora da Área de Pequenas Empresas no CIC de Bento Gonçalves e 2ª Vice-Presidente do Bento Convention Bureau.

Vinho é coisa de mulher

DEISI DA COSTA - @dacostadeisi @vinhosinenglish @voudevinhooficial

Eleita a Melhor Sommelier do Rio Grande do Sul em 2019 pela ABS-RS, em votação online espontânea, ela viajou o mundo movida pelo vinho. Degustou a Europa, fez o Wset na Inglaterra e o diploma brasileiro veio da ABS-RS. Na Nova Zelândia criou laços profundos. No Brasil, por dois anos foi responsável por 2.300 rótulos de 28 países na Adega Refinaria. É fundadora do Vinhos in English @vinhosinenglish, primeira página em inglês sobre vinhos do mundo. A jovem de pouco mais de 30 anos, que largou a Psicologia para mergulhar nessa paixão inebriante ainda em 2013. Ela busca informação de diversos países para trazer à realidade brasileira. Fã assumida dos rótulos nacionais, agora se prepara para sua carreira solo com um projeto de consultoria em vinhos. É cofundadora do projeto @voudevinhooficial, que vai pegar a estrada brasil afora, assim que passar a pandemia do Coronavírus.

Bella Wines – O espumante com colágeno

REGINA VANDERLINDE @bella.wines @reginavanderlinde

Formada em Farmácia Bioquímica – Tecnologia de Alimentos pela Universidade Federal de Santa Catarina, é Doutora em Enologia pela Universidade de Bordeaux (França). É proprietária da Vanderlinde Assessoria e Comércio de Vinhos – www.terroirdomundo e sócia da Bella Wines. Atualmente é presidente da Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV), a mais importante instituição mundial do vinho, com sede em Paris.

PATRÍCIA POSSAMAI @bella.wines @patpossamai

Enóloga formada pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul, é Diretora Técnica da VinhosWeb Comércio de Bebidas e Alimentos. Sommelier pela ICIF – Itália, onde também se tornou Chef Master em Enogastronomia Italiana. Hoje é Diretora de Produção da Pimentaria Dedo de Moça Indústria de Alimentos e sócia na Bella Wines.

Histórias com Aromas e Sabores

LUCIANA FROES – @luafroes

Carioca, jornalista do O Globo há 20 anos, 15 deles dedicados à enogastronomia. Tem cinco livros publicados, um blog gastronômico no Globo e é jurada dos maiores concursos internacionais de vinho e gastronomia.

MEDIAÇÃO

ANDREIA DEBON - @andreiadebon @revistabonvivant

Jornalista especializada em vinhos e sommelier internacional formada pela Federazione Italiana Sommelier Albergatori Ristoratori, Andreia é editora da Revista Bon Vivant, publicação sobre vinhos, enoturismo e enogastronomia. Participa como degustadora de eventos e concursos ligados ao vinho no Brasil e também no exterior. À frente da Bon Vivant, Andréia também organiza degustações temáticas, guias de vinhos e eventos direcionados ao consumidor final, com o objetivo de promover a cultura do vinho. Atualmente, também está com um projeto que tem o objetivo compartilhar seus conhecimentos sobre vinhos com as mulheres. Andréia recebeu, em 2017, o Troféu Amigo do Vinho Brasileiro da Associação Brasileira de Enologia, a mais importante distinção dada a um profissional que comunica e divulga o vinho brasileiro.

SERVIÇO:

O que? Entre Mulheres e Vinhos

Quando? 31 de março de 2021, às 20h

Onde? Canal da ABE no Youtube

https://www.youtube.com/channel/UCY0d3OvtXT1prDV3xXNtVEg

Acesso gratuito

 

 

 

quinta-feira, 25 de março de 2021

O tartar de cenoura!

 

Este preparo vegano além de lindo é muito saboroso!  

 

Em época de pandemia e distanciamento, as ferramentas digitais acabaram se tornando o melhor meio de conexão com as pessoas e empresas e neste contexto os influenciadores digitais aumentaram de destacaram e souberam permear com muita propriedade tais canais de comunicação e informação. E a receita de hoje vem pelas mãos da influenciadora Patricia Helú, especialista em alimentação saudável e vegana. O tartar (ou tartare) foi inventado na Alemanha e se popularizou na França sendo o seu nome foi sim batizado em "homenagem" aos tártaros, povo era considerado bárbaro. E como o tartar foi criado como um prato que seria preparado com carne crua, ele recebeu o nome daqueles que, como se acreditava na época, não preparavam o alimento com fogo. Eles estavam errados, claro, mas o nome acabou ficando e após tantos séculos ele só viu sua popularidade aumentar. Siga a receita do tartar de cenoura.  

 


Ingredientes:
(para 4 pessoas)
 
6 cenouras médias (500g) em cubos pequenos;
¼ de uma beterraba em cubos pequenos;
½ colher (chá) de páprica;
6 colheres (sopa) de ketchup artesanal;
4 colheres (sopa) azeite;
2 colheres (sopa) de mostarda dijon;
12 a 20 gotas de tabasco;
Sal a gosto
3 colheres (sopa) cebolinha-francesa;
Pimenta-do-reino a gosto.
 

Preparo:

 

Pré-aqueça o forno a 180ºC. Tempere os cubinhos de cenoura e beterraba com azeite, sal e pimenta-do-reino. Disponha em uma assadeira pequena e deixe-os próximos uns dos outros, para não secar, tampe bem para não sair o vapor e asse até estar bem macio. Deixe tampado até a hora de moer, para não esfriar. Tire qualquer líquido que tiver sobrado e passe a cenoura e beterraba em um moedor de carne ou processador. Coloque em uma tigela e tempere ainda morno com os demais ingredientes, mas reserve a cebolinha para a finalização. Deixe o tempero curtir por pelo 4 horas na geladeira. Para a finalização, use um aro de metal para facilitar a montagem. Caso não tenha um, coloque no prato e modele com ajuda de um garfo até formar o tartar. Passe o garfo sobre ele para dar uma textura mais rústica. Se optar por servir como entrada, monte no centro do prato e finalize com azeite, sal negro, pimenta-do-reino e cebolinha. Como prato principal, coloque-o na lateral do prato, tempere com azeite, sal negro, pimenta-do-reino e cebolinha e sirva ao lado as batatas rústicas e, num potinho pequeno, a maionese. Enfeite com um galho inteiro de alecrim.

* foto: Julia Guedes

 

quarta-feira, 24 de março de 2021

Hambúrguer Solidário Rotary Tipuanas

 


O Rotary Club Tipuanas de Santa Cruz do Sul estará realizando o Hambúrguer Solidário no próximo dia 9 de abril a partir início da noite direcionado a toda comunidade que pode adquirir os ingressos por R$ 25,00 ali na Farma Fórmulas Farmácia de Manipulação, na Julio de Castilhos no. 375 e que dão direito ao hambúrguer e a uma cerveja. 

A entrega será pelo sistema drive-thru no estacionamento do Hotel Soder e a arrecadação será direcionada as instituições ASAN e Humanitas da cidade.    

 

terça-feira, 23 de março de 2021

Bouza Tannat B26 Parcela Única 2017 - um Tannat na sua essência!

 


Ao visitar pela primeira vez a Bodega Bouza, em Las Violetas, bem próximo de Montevidéu no Uruguai impressionou-me de imediato a qualidade em todos os detalhes produtivos e a agricultura de precisão utilizada que cataloga cada metro quadrado e praticamente cada videira em seus hectares cultivados. A Bouza antes de tudo é uma taça cheia ao enoturista que busca uma experiência rica e completa, reunindo passeio aos vinhedos, visita a vinícola, degustação e almoço harmonizado em seu ótimo restaurante. A família Bouza é originária da Galícia, na Espanha e se estabeleceu no Uruguai em 1955 sendo que em 2002 montou a vinícola que trabalha com qualidade e excelência e é uma das mais emblemáticas daquele país. Produz vinhos com as uvas e brancos Riesling, Albariño, Merlot, Tempranillo, Pinot Noir e claro, Tannat. 

O tinto Bouza Tannat B26 Parcela Única 2017 é um dos mais representativos da vinícola e leva consigo um séquito de entusiastas mundo afora. As uvas saem da parcela que dá nome ao lote, a B26, são colhidas somente a noite e madrugada para não ter diferença na temperatura até chegar aos tanques para fermentação. Esta parcela está próxima da sede da vinícola e dá origem a um vinho de profunda coloração rubi púrpura intensa com aromas amplos que trazem frutas negras com ameixa, cassis, mirtilo, framboesa e groselha, violetas, alcaçuz, café, tabaco e tostado. Na boca representa tudo aquilo que esperamos de um Tannat: corpo, estrutura, taninos potentes, secura e volume em boca, com amplo final. Um vinho quente pelo álcool abundante mas bem integrado com a fruta e a madeira. Agora já um excepcional vinho imagino com 10 anos de guarda como estará...

Amadurece por 17 meses em barricas novas de carvalho francês e americano.

Faz um belo par com carnes vermelhas braseadas, rabada, ossobuco com polenta mole, javali no forno, preparos com coelho e queijos duros.

Possui 15,5% de graduação alcoólica e o ideal é ser degustado na temperatura de 18oC .

E lembre-se: se beber, NÃO DIRIJA! 

quinta-feira, 18 de março de 2021

O espaguete à Puttanesca!

 

Que tal uma deliciosa receita de massa para este final de semana?


Massa – ou “pasta” – é um dos pratos mais populares do mundo, seja qual for a nacionalidade em questão! Este prato nascido na China e adotado pela Itália que o criou para o planeta é um dos mais versáteis e aceita um sem número de receitas, mas algumas são tradicionais como a que ilustra este espaço hoje, o espaguete à Puttanesca. Este conhecido molho tem origem criado na cidade italiana de Nápoles e entre as possíveis versões para a origem do nome puttanesca diz que esse prato típico italiano teve origem em uma pequena cidade da Itália - na ilha de Iscia, no golfo de Nápoles - onde uma esposa que traía o seu marido todas as tardes, chegava atrasada para preparar o jantar. Com medo do esposo chegar do trabalho e a janta não estar pronta, a esposa inventou esse prato rápido e de fácil preparo! É feito com massa longa e molho à base de tomates, aliche ou anchovas, alcaparras, azeitonas sem caroço, alho e pimenta.

 


Ingredientes:
(para 4 pessoas)
 
500g de espaguete
2 dentes de alho esmagados
6 filetes de anchova ou aliche
2 colheres de sopa de azeite
2 tomates sem pele e sem sementes picados
3 colheres de sopa de alcaparras
150g de azeitonas preta sem caroço
Meia colher de sopa de açúcar
Salsinha fresca picada
Sal e pimenta branca à gosto
 

Preparo:

 

Em uma frigideira grande em fogo baixo, leve o azeite de oliva ao fogo e depois acrescente as anchovas e o alho e cozinhe por 3 minutos mexendo para que o alho não queime. Na mesma panela, agora em fogo médio, acrescente os tomates, as azeitonas, a água, as alcaparras e o açúcar e cozinhe por 20 minutos, mexendo. Cozinhe o macarrão em uma panela grande com água fervente com sal até ficar al dente. Escorra a massa e junte ao molho junte ao molho com meia xícara de água do macarrão. Mexa em fogo baixo por alguns minutos. Polvilhe um pouco de salsa fresca por cima e sirva imediatamente.