quarta-feira, 19 de setembro de 2018

O matambre farroupilha!



Nada melhor que uma boa receita gaúcha na Semana Farroupilha!

O 20 de setembro é a data mais importante da história gaúcha! Festeja-se no Rio Grande do Sul a Revolução Farroupilha, eclodida na noite de 19 de setembro de 1835, quando Bento Gonçalves da Silva avançou com cerca de 200 "farrapos" (ala dos exaltados, que queriam províncias mais autônomas, unidas por uma república mais flexível) sobre a capital Porto Alegre, na época com cerca de 14 mil habitantes. Nenhum outro estado brasileiro se orgulha tanto de seu passado como o Rio Grande do Sul. 


A Revolução Farroupilha foi a mais longa guerra civil da história brasileira (1835 até 1845) com dez anos de batalhas entre Imperialistas e Republicanos, os primeiros defendendo a manutenção do império e os segundos lutando pela proclamação da república brasileira. A revolta deveu-se em função dos elevados impostos cobrados no local de venda (normalmente outros Estados) sobre itens (animais, couro, charque e trigo) produzidos nas estâncias do Estado. Charqueadores e estancieiros reclamavam, ainda, de outros impostos: sobre o sal importado e sobre a propriedade da terra. Fora da capital, os farroupilhas passaram a ter expressivos êxitos. Na batalha do Seival (que fica no atual município de Candiota), o general Antônio de Souza Netto impôs fragorosa derrota ao legalista João da Silva Tavares. No dia seguinte, em 11/09/1836, Netto proclamou a República Rio-grandense, com sede em Piratini. A revolução durou quase 10 anos, sem vencedor e vencido. O tratado de paz foi assinado em Ponche Verde, pelo barão Duque de Caxias e o general Davi Canabarro, em 28/02/1845. Desde aqueles tempos onde o vento minuano atravessava o Rio Grande do Sul no inverno, tão forte capaz de congelar os pampas castigando os gaúchos, somente uma alimentação rica em calorias, repletas de carnes gordas, carreteiros bem fortes e sopas quentes, davam ânimo para enfrentar um frio tão intenso. Neste rol – naquela época e até hoje - o líder na preferência é o churrasco, seguido do arroz de carreteiro, do feijão mexido, do quibebe, do espinhaço de ovelha, do charque com mandioca, da couve refogada, do arroz com galinha, do puchero e do matambre aberto ou recheado. E sendo assim, segue abaixo a receita tradicional trazida para os dias atuais do Matambre recheado farroupilha.



Ingredientes:
(para 4 pessoas)

1 peça de matambre com cerca de 1kg
2 tomates médios
1 cebola
1/2 pimentão
1 dente de alho
2 ovos cozidos picados
1 maço salsinha picada
120 ml de vinho branco seco
1 ramo de alecrim
100g de bacon picadinho
Sal e pimenta do reino moída à gosto

Preparo:

Limpe o matambre deixando em formato retangular e retire parte da gordura. Deixe marinar por cerca de 6 horas em uma mistura de vinho, meia cebola cortada em pedaços grandes e alecrim. Pique a outra metade da cebola, o alho e o pimentão. Misture ao ovo e bacon.  Abra o matambre e acrescente o recheio. Enrole como um rocambole, apertando o recheio. Amarre com um cordão. Coloque em uma forma com o caldo em que a carne foi marinada. Leve ao forno a 180°C por 2 horas. Vire ao completar metade do tempo. Sirva com arroz branco e salada verde.



segunda-feira, 17 de setembro de 2018

Circus Pinot Noir 2016


A fresca e frutada uva Pinot Noir saiu da Borgonha francesa e espalhou-se mundo afora dando filhotes com características peculiares de acordo com o terroir em que foram inseridos mas mantendo a essência, produzindo vinhos singulares. Na América do Sul a bodega argentina Escorihuela Gascón – uma das mais antigas da argentina e de propriedade do grupo Catena Zapata se valeu do solo e clima mendocino para elaborar o seu Circus Pinot Noir 2016, vinho desta nova linha da vinícola. 

A coloração rubi brilhante e límpido desperta atenção na taça. Traz consigo aromas de frutas vermelhas com framboesa, morango e cereja em destaque, notas minerais e terrosos. Em boca leve tostado, frutas e equilíbrio com a acidez e o álcool. Fresco, taninos redondos e firmes e final de boca herbáceo, uma característica denotada nos PN argentinos. Este vinho não passa em barrica.

Faz par com risotos de cogumelos frescos ou aspargos, lasanhas de frango ou vegetais, frango e queijos suaves.

Possui 12,8% de graduação alcoólica e o ideal é ser consumido na temperatura entre 14 a 16oC.

Você encontra o vinho Circus na Wein Haus, loja especializada em vinhos, localizada na Rua João Pessoa 895, Santa Cruz do Sul, fone (51) 3711.3665 e site www.weinhaus.com.br

E lembre-se: se beber, NÃO DIRIJA!     

quinta-feira, 13 de setembro de 2018

A costela caipirinha!



Em homenagem ao Dia da Cachaça comemorado hoje uma receita com esta bebida genuinamente brasileira!   

Hoje comemora-se o Dia da Cachaça, data que celebra esta que é uma das bebidas alcoólicas mais consumidas no Brasil e que somente este país tem o direito de usar tal nome. E não é só para fazer caipirinha que a cachaça serve! A bebida pode ser utilizada no preparo de inúmeros pratos, doces ou salgados, de bombons a carnes assadas, tornando o preparo ainda mais saboroso. Entre as várias beneficies desta bebida tupiniquim, a cachaça: deixa as suas massas mais crocantes pois no preparo de pastéis e pizzas, na hora de fritar, ela impede que a massa absorva muita gordura, ficando crocante; nos molhos reduzidos quando feito com cachaça, o molho fica com um toque adocicado; a cachaça também é ótima para flambar alimentos acentuando o sabor dos ingredientes; e no preparo de carnes marinadas usando a bebida e deixando descansar a mesma ficará mais macia. E pensando nestas possibilidades a receita de hoje utiliza a costelinha de porco, sempre deliciosa, limão e cachaça no preparo! Acompanhe a costela caipirinha!


Ingredientes:
(para 4 pessoas)

2kg de costelinha de porco
25 ml de cachaça
Suco de 2 limões
4 colheres de sopa de açúcar mascavo
3 colheres de sopa de óleo
1 colher de sopa de manteiga
3 ramos de alecrim
Sal e pimenta preta moída à gosto

Preparo:

Tempere a costela usando sal, pimenta, açúcar mascavo e suco de um limão. Aqueça o óleo e a manteiga em uma caçarola e leve a costelinha para fritar em fogo médio. Vá virando a cada tempo para ir dourando. Depois junte a cachaça e flambe com cuidado. Mexa delicadamente para espalhar o fogo proveniente da flambada e aguarde até este apagar. Acrescente o restante do açúcar, o suco do outro limão, o alecrim e cerca de duas xícaras de chá de água fervente. Tampe a panela e deixe cozinhar. Deixe cozinhar por cerca de 1 hora e, de tempos em tempos, vire as costelinhas e cheque o caldo colocando água fervente aos poucos se necessário. Corrija o sal e a pimenta, desligue e sirva acompanhado de batata doce cozida.


quarta-feira, 12 de setembro de 2018

Elegido Selección Especial Tempranillo Syrah 2016 - você votaria nele?


“Elegido” em espanhol significa “eleito”, ou seja, tudo a ver com o atual momento em que o Brasil está vivendo com talvez uma das mais inquisidoras eleições presidenciais dos últimos anos. E o vinho espanhol da região da Catalunha Elegido Selección Especial Tempranillo Syrah 2016 pede o seu voto! Será que ele tem características que você votaria para ser o seu representante? Vejamos:

Coloração escura, forte e profunda, rubi violáceo brilhante. Aromas pronunciados e que demonstram personalidade, trazem frutas vermelhas e negras maduras – amora, framboesa e groselha – também transita com facilidade pelo terroso e herbáceo com um toque mentolado e vai lá na direita com floral trazendo hibiscos e violetas.

Boca que não engasga no discurso, firme e com língua afiada, paladar com fruta vermelha macerada que puxa groselha e tutti frutti. Taninos polidos, acidez presente e final de boca adocicado e tostado.

Possui álcool contido mas não pode sair por aí dirigindo - 13% de graduação. Fez rápido estágio antes de se candidatar em barricas novas de carvalho americano e francês por 4 meses.

Pede uma equipe de governo que acompanhe carnes vermelhas grelhadas, massas com molhos encorpados, algumas caças e queijos semiduros.

Ideal é ser consumido na temperatura entre 15 a 17oC por isso talvez fará mais votos nas regiões de clima mais ameno.

Você pode votar e encontrar o vinho Elegido na Wein Haus, loja especializada em vinhos, localizada na Rua João Pessoa 895, Santa Cruz do Sul, fone (51) 3711.3665 e site www.weinhaus.com.br

E lembre-se: se beber, NÃO DIRIJA!     

segunda-feira, 10 de setembro de 2018

Avaliação Nacional de Vinhos terá renomado corpo de comentaristas



Todos os anos a rotina se repete. Sempre no último sábado do mês de setembro, a Associação Brasileira de Enologia (ABE) reúne cerca de mil apreciadores de vinhos para apresentar o desempenho da safra. É a Avaliação Nacional de Vinhos, maior degustação de vinhos de uma safra do mundo. As 16 amostras mais representativas são degustadas simultaneamente pelo público e cada um dos 16 convidados especiais compartilha comentários sobre um dos vinhos. O painel de comentaristas já começou a ser formado. A brasileira que acabou de assumir a Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV), Regina Vanderlinde, está entre os confirmados.

Regina representa a mais importante instituição do setor no mundo, que pela primeira vez na história é presidida por um brasileiro. As primeiras impressões sobre os vinhos brasileiros da Safra 2018 serão dadas por ela e por outros 15 comentaristas, entre enólogos, jornalistas, sommeliers, médicos e enófilos. O 16º será sorteado entre o público. O Enólogo do Ano 2017, Carlos Abarzúa, também fará parte deste seleto grupo, que conta ainda com o Master of Wine, Dirceu Vianna Jr. e com o consultor de vinhos do Pão de Açúcar, Carlos Cabral.

O público, formado por pessoas de diferentes estilos, idades e profissões, de distintos lugares do mundo, tem em comum o gosto pelo vinho. Todos estarão reunidos em Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha, no dia 29 de setembro. Juntos – público e comentaristas – participarão do maior momento do vinho brasileiro. Serão mais de 8 horas de evento, entre abertura, degustação e comentários, homenagens, prova de espumantes e almoço. Um encontro também de aprendizado e confraternização.

O evento mais concorrido do Brasil pelos apreciadores de vinhos começou ainda em junho, com a inscrição das amostras pelas vinícolas. No mês seguinte, técnicos da ABE e da Embrapa Uva e Vinho, percorreram o Brasil para coletar os vinhos diretamente dos tanques de aço inox. Teve amostra que chegou a percorrer 3 mil quilômetros para chegar na Capital Brasileira do Vinho. Amostras recolhidas, a terceira etapa foi degustar e avaliar cada vinho. Este trabalho foi realizado de 14 a 23 de agosto por 120 enólogos.

O resultado será divulgado no dia 29 de setembro, quando será anunciada a relação dos 30% mais representativos, ou seja, 106 amostras, diante das 344 inscritas por 49 vinícolas de seis estados brasileiros. O público poderá, ainda, degustar 16 amostras selecionadas entre os 30%, provando na taça a representatividade da Safra 2018. O investimento para associado é de R$ 275. Não associados pagam R$ 350. As inscrições abriram às 9h20min do dia 4 de setembro, encerrando 1hora e 30 minutos depois.

COMENTARISTAS CONFIRMADOS

Carlos Abarzúa – Enólogo do Ano 2017 - Brasil
Carlos Cabral – Consultor de Vinhos - Brasil
Carolina Bahia – Jornalista - Brasil
Celso Masson – Jornalista - Brasil
Cristiano Melles – Presidente da ANR Brasil – Brasil
Dirceu Vianna Jr. – Master of Wine - Londres
Edsandro Arruda – Sommelier – Brasil
Francine Dion – Diretora Técnica do Séléctions Mondiales - Canadá
Johnny Mazzilli – Jornalista - Brasil
Lúcia Bailetti – Enóloga - Itália
Otávio Berwanger – Médico Cardiologista - Brasil
Pablo Ugarte – Diretor do Catador Awards - Chile
Regina Vanderlinde – Presidente da OIV – Brasil

*foto Gilmar Gomes

quinta-feira, 6 de setembro de 2018

A torta de abacaxi!



Pense numa sobremesa rápida, fácil e saborosa... Agora abra os olhos e acompanhe a receita!   

Sobremesas que possuem algum ingrediente cítrico são as que mais me surpreendem o paladar, pois tal componente meio que “limpa” a boca tirando dela os sabores residuais do jantar. E nesta perspectiva o abacaxi é um dos ingredientes ideias par o preparo desta rápida e fácil torta cremosa e que leva pouco tempo para ser feita, necessitando de poucos ingredientes. Pode ser servida como sobremesa a qualquer almoço ou jantar. Confira a receita da torta de abacaxi!


Ingredientes:
(para 8 pessoas)

Massa:
150g de manteiga 
2 xícaras de chá de farinha de trigo
1 gema de ovo
1 pitada de sal
1 e meia colher de sopa de açúcar

Recheio:
1 lata de leite condensado
2 latas de leite
2 gemas
2 colheres de sopa de maisena
1 lata de abacaxi picado
1 lata de creme de leite

Cobertura:
3 claras
6 colheres de sopa de açúcar

Preparo:

Massa: Em uma tigela misture a farinha de trigo com a manteiga, a gema, o sal e o açúcar. Misture bem com a mão ate obter uma massa lisa e homogênea. Deixe descansar por 30 min na geladeira coberta por filme plástico. Abra a massa em uma forma de fundo removível. Tente fazer com aproximadamente 1 cm de espessura. Fure a massa com o garfo e leve ao forno ate dourar. Esse processo dura aproximadamente 20 minutos com o forno a 180 graus. Recheio: Misture todos os ingredientes. Cobertura: Bata as claras em neve. Assim que areadas, acrescente o açúcar pouco a pouco. Montagem: Adicione o recheio na massa e cubra com a cobertura de forma irregular.



quarta-feira, 5 de setembro de 2018

Masi Tupungato Malbec 2013 - um Malbec feito por italianos na Argentina!


Abri um Malbec no último final de semana sem muita pretensão, afinal, um vinho de entrada, de uma das uvas que gosto e de uma vinícola pequena para os portes argentinos. Mas me surpreendi positivamente, pois o vinho mostrou-se fácil de beber e sem aquela doçura pesada no final de taça! A Agricola Masi, vinícola com tradição na Itália, no Vêneto - Masi tem larga experiência na técnica de passificação de uvas, usado nos - também elabora vinhos na região de Tupungato no Vale do Uco, em Mendoza, na Argentina. 

E por lá é produzido o Masi Tupungato Malbec 2013, tinto degustado que trouxe muita fruta, especiarias e aquele chocolate tradicional oriundo pela passagem de 6 meses em barrica de carvalho. Aroma com amora, ameixa, mirtilo, violetas e toque balsâmico. Médio corpo, taninos redondos, suculentos e aveludados, boca com leve tostado e fruta negra macerada. Ótimo retrogosto!

Pede como quase todo Malbec carnes na brasa mas faz ótimo par também com risotos, massas, pizzas e até galeto.

Possui 13% de graduação alcoólica e o ideal é ser consumido na temperatura entre 16 a 18oC.

Você encontra o vinho Masi na Wein Haus, loja especializada em vinhos, localizada na Rua João Pessoa 895, Santa Cruz do Sul, fone (51) 3711.3665 e site www.weinhaus.com.br

E lembre-se: se beber, NÃO DIRIJA!     

quinta-feira, 30 de agosto de 2018

O camarão com abacate!



Surpreenda seus amigos e família com esta rápida, fácil e deliciosa entrada!

O preparo do camarão traz um pouco de tensão aqueles que o preparam pois além de diminuir de tamanho com o degelo, também libera muito líquido se não for bem secado e mais, o ponto do preparo é o que conta muito, pois se passar fica duro e borrachento. Além do tradicional molho vermelho de camarão, alho e óleo e ao bafo, podemos desenvolver inúmeras receitas e pratos e fazer bonito em um jantar para amigos. O preparo exige alguns cuidados como todo e qualquer prato, devendo o cozinheiro observá-los. O camarão pode ser usado em canapés ou criativas entradas de fácil elaboração como a que sugerimos a seguir na receita do Camarão em bacia de abacate!



Ingredientes:
(para 4 pessoas)

- 2 abacates maduros e firmes
- 16 camarões médios
- suco de limão
- 8 tomatinhos cereja
- 5 fatias de abobrinha italiana cortadas em quatro partes  
- 3 colheres de sopa de milho em conserva
- 1 colher (café) de tabasco ou pimenta em molho equivalente
- cebolinha picada
- pimenta do reino moída
- sal à gosto

Preparo:

Secar bem os camarões e temperar com suco de limão, sal e pimenta.  Aquecer um fio de azeite de oliva e saltear os camarões em fogo alto, rapidamente – cerca de 1 minuto. Reservar.  Saltear rapidamente também em oliva a abobrinha e reservar. Cortar os abacates em metades no sentido longitudinal e retirar os caroços. Com o auxílio de uma colher retirar delicadamente a polpa e cortá-la em pequenos cubos. Separar as meias cascas que servirão de bacia. Juntar os cubos de polpa de abacate ao tomate, ao milho  e a abobrinha e temperar com sal e pimenta tipo tabasco e misturar cuidando para não amassar a fruta. Rechear as cascas dos abacates com o preparado e polvilhar com cebolinha à gosto. Decorar com os camarões e servir bem fresco, com salada verde.
   


quarta-feira, 29 de agosto de 2018

Pizzato Merlot Reserva 2014 - DNA Pizzato



Definitivamente a Pizzato foi uma das vinícolas que me fizeram gostar cada vez mais do Vale dos Vinhedos em Bento Gonçalves. Desde o final a década de 90 onde o pequeno chalé abrigava um tímido varejo no exato lugar onde hoje ainda se encontra a vinícola, na Via dos Parreirais, no distrito de Santa Lúcia. O seu Plínio auxiliava no varejo e o Flávio era um jovem rapaz que ainda cultivava cabelos negros mas que já ostentava aquela inquietude que lhe é peculiar.

E a casta Merlot é a que mais identifica esta vinícola por tudo o que já proporcionou com ela. O Pizzato Merlot Reserva 2014 vem desta história. Vêm do trato do solo, da poda bem feita, da preocupação com a sanidade das uvas, do processo elaborativo e do descanso na barrica sob os olhos crédulos da equipe da vinícola. Como característica primeira os vinhos da Pizzato não foram feitos para morarem sozinhos, pedem companhia, ou seja, destaca-se aí sua veia gastronômica. Um período em aeração decantando é o ideal deixa-lo respirar por uns bons 30 minutos. Cor rubi profundo, turvo. A passagem por barris de carvalho americano de primeiro e segundo uso trouxe significativos aromas secundários – couro, tostado, coco, caramelo – precedidos por frutas vermelhas e negras – ameixa e amoras – também anis e especiarias.

Boca envolvente, madura e fresca. Fruta destacada em seu corpo médio com acidez e madeira equilibrada. Ampla persistência e agradável retrogosto.

Faz par gastronômico com carnes vermelhas na brasa ou no forno, cozidos, carnes de caça, risoto de funghi, legumes salteados e queijos médios. 

Possui 13,5% de graduação alcoólica e o ideal é ser consumido na temperatura entre 16 a 18oC.

Você encontra os vinhos da Pizzato na Wein Haus, loja especializada em vinhos, localizada na Rua João Pessoa 895, Santa Cruz do Sul, fone (51) 3711.3665 e site www.weinhaus.com.br

E lembre-se: se beber, NÃO DIRIJA!     

terça-feira, 28 de agosto de 2018

Dal Pizzol realiza Estação de Inverno 2018 do Vinhedo do Mundo


  
Neste sábado, dia 1o. de setembro, a partir das 10 horas a Dal Pizzol Vinhos Finos realizará um grande evento em suas instalações, será a Estação de Inverno do Vinhedo do Mundo


Aberto ao público, a função terá poda nas videiras do Vinhedo do Mundo - 400 variedades de uvas de 35 países de todos os continentes e uma das três maiores coleções de uvas privada do planeta - com o acompanhamento do enólogo e atual presidente do IBRAVIN Dirceu Scottá –; almoço harmonizado no Ristorante Enoteca Dal Pizzol sito dentro da vinícola de Faria Lemos, interior de Bento Gonçalves e degustação do vinho elaborado nas safras 2013, 2015 e 2017 com estas variedades – chamado VinumMundi - e dos demais vinhos da casa. 
Ristorante Enoteca Dal Pizzol

Enoteca armaneza vinhos da vinícola desde década de 70


O VinumMundi é um vinho cultural, não é comercializado, ou seja, expressa e simboliza a solidariedade dos povos e suas culturas.

Várias safras do VinumMundi serão degustadas
Além disso cada participante receberá um exemplar do livro Memórias do Vinho Gaúcho escrito por um dos sócios sr Rinaldo Dal Pizzol e um Sarmento (ramo da videira).


O valor é de R$ 250,00 por pessoa e as reservas podem ser feitas pelo telefone 54 3449.2255 ou e-mail dalpizzol@dalpizzol.com.br.

Serviço:

RS 431, Km 5,3 - Distrito de Faria Lemos (Rota Cantinas Históricas) - Bento Gonçalves - RS Telefone: 54 3449.2255 - E-mail: dalpizzol@dalpizzol.com.br - Site: www.dalpizzol.com.br


quinta-feira, 23 de agosto de 2018

A arte de cozinhar!


Não faço receitas para serem seguidas, faço receitas simplesmente para levar as pessoas para a cozinha e prepararem o que quiserem!

          É incrível, mas até os 25 a 26 anos de idade eu não cozinhava absolutamente nada! Pelo contrário, sequer ovo frito eu fazia. Muitos leitores questionam de onde veio este conhecimento e paixão pela cozinha e se impressionam quando repito os dizeres acima. Tal envolvimento iniciou lá no final da década de noventa e início da seguinte, onde eu, ávido por buscar qualificação profissional, matriculei-me na ESPM - Escola Superior de Propaganda e Marketing – em Porto Alegre, no pós-graduação e logo depois MBA em Marketing. Durante mais de dois anos todos os finais de semana eu rumava a capital já na sexta à tardinha e retornava no sábado. Cansado destas idas e vindas acabei alugando um apartamento de um dormitório e esticava este retorno para segunda-feira de madrugada. 

Queijo coalho empanado ao molho de goiaba

Duo de risotos com cogumelo portobello, pinólis e crispis de parma

O apartamento localizava-se lá depois da PUC, entre a Avenida Ipiranga e a Bento Gonçalves, próximo da Carris e bem defronte o Carrefour, supermercado da rede francesa disseminada pelo mundo todo. E foi na pequena cozinha deste apartamento que iniciei as lidas de forno e fogão, afinal, estudar, morar e comer em Porto Alegre numa segunda estrutura não era barato e percebi que poderia diminuir o orçamento no quesito “comer” deste tripé. 

Sticks de suíno com purê de banana em cama de abobrinha

Risoto de shitake com carré de cordeiro 

Lembro que o primeiro prato que ensaiei fazer foi um filé de peixe merluza na chapa temperado com uma infinidade de temperos – afinal, a antiga moradora que devia ter gosto pela cozinha deixou uma série de temperos desidratados nas gavetas e eu - iniciante - usei um pouco de tudo naquele preparo! Além de ter usado muito, mas muito sal também... Alguns anos depois descobri que a culinária é igual a moda, onde rege a máxima de que “o pouco é muito”, ou seja, a elegância está na sobriedade não na poluição visual! Infelizmente todo o preparo foi para o lixo, restou-me apenas ligar para a tele entrega do cachorro do Rosário e pedir um lanche para acalentar aquela decepção gastronômica. 

Naqueles turvos dias seguintes passei a achar que os programas de TV com receitas - que estavam recém engatinhando - capitaneados pelo chef Jamie Oliver fossem mera encenação e engodo, pois não poderia ter alguém que realmente soubesse criar e preparar um prato que fosse comestível ora bolas!  Mas não me abati, comecei a prestar atenção no chef londrino e suas unhas sempre sujas (!), comprei livros, provei muitos temperos, testei preparos e uns dois anos depois a curva virou e comecei a ter mais acertos que erros nas elaborações. Com uma criatividade nata, uma curiosidade quase juvenil e uma força de vontade e disciplina ímpares os pratos por mim desenvolvidos começaram a ficar cada vez mais expressivos, saborosos e apresentáveis, como se a varinha de condão do mago Merlin estivesse a minha disposição para, de repente, transformar meia dúzia de ingredientes num prato de restaurante estrelado. 

Steak tartare de salmão e caviar ao molho tarê 

Chips de batata com camarão e patê de palmito
E esta viagem pelo mundo dos aromas e sabores não parou mais, rendeu dezenas de eventos, jantares, apresentações, concursos e premiações mas o principal motivo que ainda me impulsiona quase que obstinadamente na melhoria constante é perceber o sorriso no rosto daqueles que provam tais criações! São mais de duas mil receitas autorais nestes quase vinte anos de alquimias gastronômicas! E - quando as pessoas comentam que o ingrediente A não foi encontrado; que não possuem a panela B; ou que o ponto de cozimento C é demorado - brinco que não faço receitas para serem seguidas, faço receitas simplesmente para levar as pessoas para a cozinha e prepararem o que quiserem, do jeito que entenderem mas com um único fim que é de reunir a quem gostam no entorno da mesa para degustarem desta grande prova de amor ao outro que é o cozinhar!       


terça-feira, 21 de agosto de 2018

Durbanville Hills Rhinofields Pinotage Vintage 2012 - que Pinotage!


A África do Sul e sua privilegiada localização geográfica para produção de vinhos falando especificamente da região da Cidade do Cabo e vizinhança há anos revela ótimos rótulos tintos e brancos. Talvez a sua uva mais conhecida seja a icônica Pinotage, casta criada pelo professor Abraham Izak Perold, em 1925, cruzando um clone de Pinot Noir com a uva tinta chamada Cinsault (também conhecida como Hermitage) e por isso o seu nome oriundo da junção destas uvas. Da década de 50 para cá, muitos vinhos elaborados com esta uva se sagraram bem pontuados e ganhadores de várias medalhas em concursos pelo mundo afora.  

E esta semana degustei certamente o melhor Pinotage que já bebi até hoje. Trata-se do sul-africano Durbanville Hills Rhinofields Pinotage Vintage 2012 oriundo da região de Durbanville Valley, elaborado pela vinícola Durbanville Hills situada bem próxima a Cidade do Cabo. 

Tal vinho mostrou-se elegante, fino, quase um aristocrata! Cor rubi violáceo quase turvo e lágrimas muito preguiçosas em taça. Ao nariz uma explosão de aromas com frutos negros maduros – ameixa, amora e cassis – e inicialmente alcoolico, toque floral com lavanda e violetas, também tabaco doce, especiarias, alcaçuz e funcho envoltos em leve tostado.  Boca com frutos negros, chocolate, leve mentol, violeta e casca da ameixa, encorpado e com taninos doces e sedosos.  Final de boca agradável e convidativo. 

Este vinho estagia 12 meses em barricas de carvalho francês novas.

Harmonização: Carnes vermelhas assadas, carnes de caça, molhos agridoces, massas com molhos encorpados tipo bolonhesa ou sugo, queijos duros.

Possui 14% de graduação alcoólica e o ideal é ser consumido na temperatura entre 16 a 18oC.

Você encontra o vinho Durbanville na Wein Haus, loja especializada em vinhos, localizada na Rua João Pessoa 895, Santa Cruz do Sul, fone (51) 3711.3665 e site www.weinhaus.com.br

E lembre-se: se beber, NÃO DIRIJA!     

segunda-feira, 20 de agosto de 2018

Fruki lançará sua marca de cerveja este mês!


A Bebidas Fruki de Lajeado - marca muito conhecida pelo seu guaraná - divulgou a marca e os rótulos da sua cerveja que começou a ser produzida e logo estará nas gôndolas dos supermercados do Brasil. 


A cerveja terá o nome de BellaVista e inicialmente serão oferecidos cinco rótulos: IPA, Blond Ale, Witbier, Weiss e Premium Lager, assinados pelo mestre cervejeiro, Alfredo Ferreira, formado pela Doemens Academy da Alemanha.

O lançamento oficial ao mercado será na Expoagas 2018, evento do setor de supermercados agora em agosto. Após quase um século, a Fruki retoma a produção de cervejas. Era um grande desejo de Nelson Eggers, que é o atual presidente da empresa. A produção inicialmente será terceirizada e elaborada no município vizinho a matriz em Arroio do Meio na Cervejaria Imigração até ser levada para a fábrica que está sendo especialmente construída para a produção no município de Paverama em meados de 2020/2021.

- É a minha paixão, um sonho de mais de 50 anos que hoje se torna realidade. Buscamos matérias primas exclusivas e os melhores profissionais. A Fruki começou produzindo cerveja, lá em 1924. Agora, voltaremos com força, conquistando nosso espaço — afirma o seu presidente.





sábado, 18 de agosto de 2018

Começou a degustação das amostras da edição 2018 da Avaliação Nacional de Vinhos



Começou esta semana a degustação de seleção das 351 amostras inscritas na Avaliação Nacional de Vinhos. Trabalho segue até 23 de agosto envolvendo 120 enólogos


Durante oito dias, as 351 amostras inscritas por 50 vinícolas de seis estados brasileiros (Bahia, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo) serão degustadas às cegas por 120 enólogos. O trabalho começou esta semana e segue até 23 de agosto, no Laboratório de Análise Sensorial da Embrapa Uva e Vinho, em Bento Gonçalves.

Serão 24 horas de degustação às cegas. Para que todas as amostras sejam degustadas nestes oito dias, exceto sábado e domingo, os enólogos foram divididos em oito grupos com 15 profissionais cada. A cada dois dias, dois grupos de enólogos entram em ação. Para o presidente da Associação Brasileira de Enologia (ABE) – promotora do evento -, enólogo Edegar Scortegagna, esta é a etapa mais criteriosa, que avalia tecnicamente cada amostra. “Todo conhecimento e sensibilidade do enólogo são empregados neste processo que visa avaliar a qualidade e a evolução do vinho brasileiro. Aqui, a bandeira é a dos vinhos brasileiros, independente de marca”, destaca.

A avaliação é individual e registrada em um sistema desenvolvido especialmente para a Avaliação. O resultado somente será anunciado no dia 29 de setembro, no Pavilhão E do Parque de Eventos de Bento Gonçalves, quando cerca de 900 apreciadores conhecerão a relação dos 30% mais representativos em cada uma das cinco categorias. O público poderá, ainda, degustar 16 amostras selecionadas entre os 30%, provando na taça a representatividade da Safra 2018. As inscrições para os apreciadores abrem somente no início de setembro.

E pelos comentários de alguns dos degustadores em suas redes sociais a Safra 2018 do vinho brasileiro está ESPETACULAR! É esperar para ver!  

*Fotos: Jeferson Soldi






quinta-feira, 16 de agosto de 2018

Molhos & molhos!



Quem não gosta de servir torradinhas e pãezinhos acompanhados de diversos molhinhos preparados na hora?

A entrada está cada vez mais valorizada nos jantares e além de ser elegante, também serve como “base”, evitando que os convidados morram de fome até a hora do jantar. E é muito fácil prepará-las! Uma boa sugestão são os canapés ou torradinhas acompanhadas de cremes ou molhos para que os próprios convidados sirvam-se da variedade ou quantidade desejada. Abaixo segue receitas de três molhinhos bem simples e fáceis que servem como um belo cartão de visitas do jantar. 

CREME DE PALMITO



250g de palmito cortado em pedaços
uma colher de sopa de manteiga
um dente de alho
pimenta do reino
endro
pitada de noz moscada
sal à gosto
Aquecer em uma frigideira a manteiga com o alho inteiro dentro (o alho é somente para dar sabor, pois ao final do cozimento sacamos ele fora) e em seguida adicionar o palmito para fritar. Temperar com os demais ingredientes e corrigir o sal. Deixar passar na manteiga por cerca de 10 minutos. Tirar do forno e colocar o palmito no liquidificador com meio copo de água quente. liquidificar, retirar e adicionar mais endro para finalizar.

CREME DE SHITAKE



300g de cogumelo shitake
meia colher de sopa de azeite de oliva
pimenta Jamaica
um quarto de um tablete de caldo de galinha
sal à gosto
Cortar o cogumelo em tiras, aquecer o azeite de oliva e passar os cogumelos nele. No início a impressão é de que os shitake vão queimar, mas não adicionar água, pois com o calor o cogumelo soltará líquido impedindo-o de grudar ou queimar.  Adicionar os demais ingredientes e deixar na panela por cerca de 10 minutos. Adicionar um pouco de água fervente e deixar incorporar ao molho. Após, retirar do fogo e processar no liquididficador.

MOLHO DE ANCHOVETA AO CURRY



50g de filés de anchoveta em conserva
100g de maionese sem tempero
pitadas de curry em pó
queijo parmesão ralado
pimenta branca
sal à gosto
Passar os filezinhos de anchoveta em água quente para retirar o excesso de sal. Após esmagá-los num copo e em seguida adicionar a maionese e misturar bem. Somar o queijo e os demais ingredientes, cuidando apenas para evitar o excesso de curry. Servir. 
  



terça-feira, 14 de agosto de 2018

Settesoli Nerello Mascalese 2016 - fresco e mineral siciliano!


Sabe aquele vinho que se abre sem esperar muito? Afinal italiano e com ótimo preço a surpresa poderia ser negativa. Mas me enganei! O Settesoli Nerello Mascalese 2016 da Sicilia impressionou por ser descolado e fácil de beber. A uva Nerello Mascalese é cultivada nas encostas vulcânicas do Monte Etna, na Sicília, e carrega consigo uma agradável mineralidade que lembra a brisa oceânica de nosso litoral. Seus vinhos são frescos, com muita fruta e toques herbáceos, terrosos e minerais como dito.

Este apresentou cor rubi violáceo brilhante e confirmou no nariz os aromas inicialmente fechados mas depois framboesa, amora e morango frescos, toque mineral e levemente salgado, e ainda um floral. Em boca volta a framboesa e amora, tutti frutti, com taninos elegantes e mineralidade presente o que chama um novo gole.

Vai bem com pizzas variadas, risotos, carne de panela, presuntos e queijos médios.

Possui 13% de graduação alcoólica e o ideal é ser consumido na temperatura entre 14 a 16oC.

Você encontra os vinhos Settesoli na Wein Haus, loja especializada em vinhos, localizada na Rua João Pessoa 895, Santa Cruz do Sul, fone (51) 3711.3665 e site www.weinhaus.com.br

E lembre-se: se beber, NÃO DIRIJA!     

sexta-feira, 10 de agosto de 2018

Errazuriz 1870 Cabernet Sauvignon Reserva 2016


Tenho mudado um pouco os meus conceitos sobre os vinhos chilenos produzidos com a uva Cabernet Sauvignon. Passei um tempo sem degusta-los pois achava-os duros no paladar e com aquele excesso de pimentão verde característica deste varietal. Para corrigir deixava-os na “masmorra” da adega por 6, 8 até 10 anos, domando-o para ficar mais cômodo ao meu paladar. Alguns meses atrás voltei a provar alguns rótulos os quais tem me deixado satisfeito, tenho os achado menos pesados. O Errazuriz 1870 Cabernet Sauvignon Reserva 2016 do Vale Central elaborado pela vinícola criada em 1870 uma das pioneiras naquele país.      

De coloração vermelho rubi traz evidentemente o aroma vegetal e herbáceo mentolado mas também ameixa e hibiscos. Inicialmente fechado, mas com meia hora oxigenando mostra-se fresco e com toque mineral. Notas de pimenta preta, chocolate,  moída, Aromas de ameixa, pimenta vermelha e pimenta preta moída Notas de chocolate, geleia de fruta e compota também aparecem. Boca elegante, taninos polidos, fresca e frutada, além de picante. Herbáceo no retrogosto, corpo médio e amplo final.  

Este vinho envelhece cerca de 6 meses em barris de carvalho francês.

Harmoniza com costela de gado assada, paleta de cordeiro na brasa, pratos com molhos que levam pimenta e condimentados, queijos médios a duros.

Possui 13,5% de graduação alcoólica e o ideal é ser consumido na temperatura entre 16 a 18oC.

Você encontra os vinhos Errazuriz na Wein Haus, loja especializada em vinhos, localizada na Rua João Pessoa 895, Santa Cruz do Sul, fone (51) 3711.3665 e site www.weinhaus.com.br

E lembre-se: se beber, NÃO DIRIJA!     

quarta-feira, 8 de agosto de 2018

Aplicativo Primeira Mesa chega a Santa Cruz do Sul!



Com descontos de 50% o Primeira Mesa estreia em Santa Cruz com vários restaurantes, pizzarias e cervejarias conveniadas a plataforma!


Você já se deu conta de quantas vezes chega em um restaurante para ter um momento agradável e prazeroso e tem de enfrentar fila, aguardar mesa, espera para ser atendido pelo garçom e ainda paga um bom valor por isso? O aplicativo Primeira Mesa chegou para fazer com que você tenha uma experiência melhor, quase exclusiva, e ainda receba 50% de desconto. Para isso basta chegar mais cedo ao estabelecimento escolhido!

O Primeira Mesa é um aplicativo (leia-se APP na linguagem digital) que foi desenvolvido pelo casal de administradores brasileiros Léo Cuófano e Talyta Vecina  em cima de suas viagens e percepções pelo mundo. “Vimos que em alguns países, como os Estados Unidos e a Austrália, essa prática de dar descontos para clientes que chegam mais cedo aos restaurantes, chamada de early bird, onde as pessoas vão mais cedo ao estabelecimento sabendo que vão ter o desconto, o restaurante nem precisa anunciar. Aqui, resolvemos incentivar este hábito”.

O aplicativo que está disponível para smarthphones equipados com sistema Android e iOs, oportuniza aos consumidores registrados que reservem as primeiras mesas seja do café da manhã, almoço e jantar em restaurantes, geralmente até uma hora após a abertura. O turno, o horário, o número de reservas, os dias disponíveis variam conforme cada estabelecimento. Em Santa Cruz do Sul – cidade que passou a fazer parte do Primeira Mesa no mês passado – a maioria dos estabelecimentos possuem horário do jantar disponíveis entre as 19 e 20h. O APP dá 50% de desconto em horários de pouco movimento nestes restaurantes conveniados.



O desconto de 50% vale para todos os pratos do cardápio do restaurante, inclusive sobremesas, mas não inclui bebidas. E isso não significa que o usuário encontrará porções menores ou de menor qualidade dos ingredientes, os pratos são os mesmos servidos pelos valores normais.

Segundo o empresário Jorge Waechter, franqueado e responsável pelo aplicativo para Santa Cruz do Sul, usualmente no primeiro horário os restaurantes tem pouco movimento e o aplicativo estimula a ocupação: “se o restaurante abre as 19h para o público começa efetivamente a ter movimento a partir das 20 ou 20:30h. Mas desde as 19 seus custos estão ali de água, luz, pessoal, cozinha e tudo o mais. Por quê não estimular a ocupação com descontos neste espaço de tempo? É a isso que se propõe o aplicativo, que atende tanto o cliente incentivando-o a ir mais cedo ao restaurante e também ao proprietário que terá uma ocupação extra que ele normalmente não teria naquele horário” afirma Waechter. E disse ainda que “para o restaurante fazer parte da plataforma não há nenhum investimento ou gasto por parte do estabelecimento. A quantidade de mesas e os dias é o próprio restaurante que decide ao se conveniar”.  



O empresário santa-cruzense Marco Schuck, 40 anos, baixou o APP para o seu celular há cerca de 3 semanas e já usou o mesmo levando a família para jantar no Restaurante 360 Sushi Lounge, um dos estabelecimentos conveniados na cidade e afirma que o aplicativo entregou o que prometeu: na hora do fechamento da conta teve 50% de desconto em cima de todos os pratos consumidos. “Mesmo o restaurante sabendo que a conta da comida sairia pela metade do normal, o atendimento foi o mesmo, impecável e correto mesmo com o uso do desconto” atestou Marco.

Santa Cruz já conta com vários estabelecimentos conveniados, baixe o aplicativo e confira todas as opções disponíveis!

É muito fácil usar:


Que tal ir ao restaurante em um horário mais tranquilo e ainda ganhar 50% de desconto em todo o cardápio? Esta é a proposta do aplicativo. Inicialmente o usuário deve baixar o APP para o seu celular através da Apple Store ou da Google Play Store. Também pode ser usado o computador bastando baixar o mesmo pelo www.primeiramesa.com.br. Depois acessa a cidade onde o Primera Mesa atende, escolhe um dos restaurantes conveniados através de uma agenda muito prática de usar e paga apenas um voucher, que equivale à taxa paga pelo serviço de intermediário do site. O valor do cupom é de R$ 8,00 para duas pessoas; R$ 12,00 para quatro pessoas e R$ 18,00 para seis pessoas. Além disso o aplicativo possui um ranking de avaliações feitas pelos usuários que ajudam na escolha dos restaurantes onde os mais desejados aparecem nos primeiros lugares. O Primeira Mesa já opera em quase 50 cidades brasileiras com bom leque de opções gastronômicas – são mais de mil restaurantes cadastrados e quase 100 mil usuários no país - com parcerias que vão de lancherias a restaurantes premiados e que servem os mais diversos estilos de comida: hamburgueres, pizzas, culinária asiática, peruana, italiana, japonesa e fusion entre outras. O voucher é pago pelo aplicativo, para garantir a reserva. Na conta do restaurante, ao final da refeição, serão descontados os 50% de todos os pratos consumidos pelos clientes. Basta que os usuários do APP anunciem a reserva feita pelo aplicativo ao chegar ao local optado. Apenas deve-se observar que todos os comensais devem chegar ao local escolhido dentro da tolerância estipulada de no máximo 30 minutos após o horário agendado. O desconto de 50% não é válido para bebidas consumidas.