quarta-feira, 7 de abril de 2021

Bella Wines lança o primeiro espumante com colágeno do Brasil!

 

Duas mulheres do mundo do vinho se unem num projeto pioneiro e ousado e lançam de forma inédita o primeiro espumante do Brasil com a proteína para rejuvenescimento


Se o espumante brasileiro já era considerado o ‘queridinho’ entre a maioria das mulheres, agora ele vai ganhar ainda mais atenção do público feminino. A nova marca Bella Wines, das sócias Regina Vanderlinde e Patrícia Possamai, estreia no mercado com o lançamento do primeiro espumante brasileiro com colágeno. É o Bella Collagen Sparkling Pink, um espumante que resulta do corte de quatro vinhos base elaborados com uvas cultivadas no Vale dos Vinhedos, sendo duas brancas, a Chardonnay e a Riesling Itálico, e as tintas Pinot Noir e Merlot. Além das uvas, peptídeos ativos de colágeno Verisol são inseridos no processo de elaboração da bebida.

Em cada garrafa de 750 ml, 2,5 g de colágeno, justamente a dose diária recomendada para as mulheres. Além do prazer que alguns goles do espumante oferece, benefícios comprovados pela medicina incentivam ainda mais o consumo moderado da bebida, entre eles a prevenção contra o aparecimento da celulite e o envelhecimento precoce da pele, reduzindo o volume de rugas; o tratamento contra a flacidez, favorecendo a elasticidade; a melhora no aspecto da pele com uma melhor hidratação; o fortalecimento de unhas e cabelos; a proteção contra os desgastes das articulações e também o tratamento da osteoporose. Isso porque o colágeno é uma proteína de rápida absorção, naturalmente encontrada no organismo, mas que precisa de reposição conforme a idade. Pesquisas apontam que com apenas quatro semanas de utilização deste tipo de colágeno é possível perceber propriedades antienvelhecimento. O mesmo não pode ser afirmado para o restante dos colágenos hidrolisados.

Doutora em Enologia pela Universidade de Bordeaux (França), Regina acumula uma experiência que ultrapassa o Atlântico. Como presidente da Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV), acompanha de perto tudo o que acontece no mundo em torno do setor, o que lhe dá uma visão ampliada do mercado, permitindo conciliar sua expertise com o amor pelo vinho. "A minha dedicação ao vinho nunca foi somente uma questão profissional, sempre foi uma grande paixão. A beleza do vinho me encanta e me inspira leveza, diversão e imaginação. A ideia de criar o Bella surgiu da vontade de juntar o prazer com a beleza e poder compartilhar este sentimento materializado na forma desta bebida", destaca. A enóloga e sommelière, Patrícia Possamai, acredita que todo enólogo sonha em elaborar um vinho para chamar de seu. “Sempre fiz vinho e testei técnicas para eu mesma beber. Hoje,  com o lançamento do Bella, acho que consegui transcender o conhecimento acadêmico para ajudar a levar felicidade – sim, vinho é felicidade – para o mercado”, celebra.

O espumante está disponível na VinhosWeb www.vinhosweb.com.br.

O ESPUMANTE



O Bella Collagen Sparkling Pink, que passa por um período médio de maturação de sete meses em tanques de aço inox, apresenta delicada coloração rosa salmão com reflexos dourados, realçados pelo perlage fino, longo e persistente. Seu aroma é fino com toques frutados que nuances de morango e framboesa, harmonizando com as notas de frutas tropicais. Em boca, destaca-se pela leveza e resfrescante acidez, revelando um agradável retrogosto frutado. O espumante, elaborado pelo método Charmat, tem 10,5% de graduação alcoólica, sendo indicado para consumo com temperatura entre 6°C a 8°C.

Versátil, o Bella Collagen Sparkling Pink harmoniza muito bem com carpaccio, lombo suíno ao molho agridoce, risoto de camarão, salada caprese, tomates recheados com salmão, sushi e sashimi, além de ser perfeito como aperitivo e para ser degustado na praia ou na beira da piscina.

AS SÓCIAS

REGINA VANDERLINDE

Formada em Farmácia Bioquímica – Tecnologia de Alimentos pela Universidade Federal de Santa Catarina, é Doutora em Enologia pela Universidade de Bordeaux (França). É proprietária da Vanderlinde Assessoria e Comércio de Vinhos – www.terroirdomundo.com.br  e sócia da Bella Wines. É presidente da Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV), a mais importante instituição mundial do vinho, com sede em Paris.

PATRÍCIA POSSAMAI

Enóloga formada pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul, é Diretora Técnica da VinhosWeb Comércio de Bebidas e Alimentos. Sommelière pela ICIF – Itália, onde também se tornou Chef Master em Enogastronomia Italiana. Hoje é Diretora de Produção da Pimentaria Dedo de Moça Indústria de Alimentos e sócia na Bella Wines.

*Fotos: Jeferson Soldi

 

 

 

quinta-feira, 1 de abril de 2021

Chocolate e vinho!

 

Que tal nesta Páscoa de celebração juntarmos estes dois institutos enogastronômicos?  



A harmonização de vinho e comida vai muito além dos salgados pois o doce entra e muito bem nesta alça de mira também! E na Páscoa o chocolate é o doce da vez na combinação com este fermentado de Baco. O desafio é quase sempre com a doçura e como equilibrá-la e o objetivo é conseguir um sabor intermediário entre o chocolate e o vinho.

O tipo de chocolate influencia diretamente na escolha de qual uva e rótulo este casamento depende pois conforme o teor de cacau do chocolate, alguns vinhos harmonizam melhor que outros. A regra geral é que o vinho deve ser igualmente doce ou mais doce que o chocolate – e nunca ácido – mas sempre há controvérsias a esta diretriz. O doce do chocolate por contraponto eleva a acidez do vinho e acaba ficando intragável. A bebida nessa harmonização faz o papel de limpar o paladar e secar a sensação de untuosidade, causada pelo leite e, no caso dos nacionais, gordura vegetal. Quanto menos cacau o chocolate tiver, mais gorduroso ele será. Quanto mais cacau apresentar, mais intenso será seu sabor. A harmonização dessa dupla pode ser feita por similaridade ou por contraste. Para chocolates com alto teor de açúcar, como os ao leite e branco, a similaridade está na doçura. O vinho deve ter ao menos o mesmo patamar de doçura que o chocolate, caso contrário, criará um sabor metalizado na boca. Já chocolates com maior concentração de cacau, os acima de 60% conseguem acompanhar vinho seco. Nesse caso, os taninos de ambos - cacau também tem tanino - irão se complementar. Essa categoria de chocolate também pode ser harmonizada por contraste: o açúcar do vinho doce contrapondo o amargor do cacau. Os resultados das duas harmonizações são completamente diferentes! A combinação com chocolates recheados deve ser feita a partir do ingrediente extra. Você irá selecionar um vinho que acompanha o sabor do recheio. Ou seja, um chocolate com laranja, vinho com notas de laranja; chocolate com nozes, uma opção com carvalho que traga nuances de castanhas.

Adiante algumas boas dicas para neste final de semana especial você se divertir e testar as harmonizações possíveis com os presentes do Coelhinho.

 

Chocolate branco:

Além da manteiga de cacau, o chocolate branco leva baunilha em sua composição, é doce, macio e untuoso. Pede por um vinho que se assemelhe na doçura e textura. O ideal são os vinhos brancos com doçura, para equilibrar o sabor do chocolate; acidez média/alta, para limpar a untuosidade; e com textura cremosa e amanteigada, igualando o peso do chocolate. Pode ser exemplares bem doces, como Moscatel, ou de castas aromáticas, como Riesling, Viognier e até Torrontés (com açúcar residual elevado) e o licoroso Pedro Ximenez. Caso não goste muito de vinhos doces, uma alternativa seria um espumante demi-sec.

 

Chocolate ao leite:

O chocolate ao leite harmoniza melhor com uma maior variedade de vinhos. As opções de vinhos para combinar com chocolate ao leite são os tintos leves, frutados e com baixo teor alcoólico, como Gamay, Merlot, Pinot Noir, Carmenère e Grenache. Brancos maduros e com um toque leve de carvalho, como Viognier, Chardonnay e Pinot Gris; ou espumante Moscatel. Vale lembrar que como a regra permite que o vinho seja mais doce que o chocolate, mas não vice-versa, os vinhos doces que casam com chocolate branco também harmonizam bem com chocolate ao leite e sobremesas feitas com o mesmo.

 

Chocolate meio amargo:

O toque mais amargo desta variedade combina com vinhos mais encorpados, de taninos volumosos e boca potente. O Cabernet Sauvignon, Malbec e Zinfandel são ótimas opções. Os vinhos Pinot Noir e Merlot também é compatível com chocolates meio amargo mais suaves (com até 50% de cacau).

 

Chocolate amargo:

O elevado teor de cacau sugere aqui uma harmonização por contraste, ou seja, para contrapor o amargor busca-se uma contramedida doce, ou seja, vinhos com alto teor de açúcar residual. Alguns clássicos na harmonização com chocolates são os Vinhos do Porto e Sauternes. Sendo Porto o tipo “Ruby” com suas notas de frutas vermelhas e boa presença de açúcares combina melhor. Sendo Sauternes e seu elevado teor de açúcar residual com notas de caramelo vão de carona com um bom chocolate.  Mas também um vinho tinto seco de casta tânica é uma possibilidade audaciosa, mas que pode ser bem vista com Syrah e até Tannat que são uvas que pedem por um acompanhamento de sabor intenso. Os taninos do vinho devem estar bem assimilados, para que não crie amargura já que esses chocolates também têm menos gordura e mais características do sabor e aroma do cacau. Por serem mais fortes e marcantes, harmonizam bem com vinhos tintos de características semelhantes.

 

Chocolates com recheios:

Chocolates recheados, com caramelo, pedaços de frutas, biscoitos, castanhas e vários outros ingredientes são bem comuns e essas características podem dificultar um pouco o processo de harmonização de vinhos deve-se prestar atenção ao sabor que predomina no doce, é ele que deve ser levado em consideração na hora da harmonização.

 

Uma feliz e abençoada Páscoa a todos os leitores!


Pensador:

“Você não pode comprar felicidade, mas pode comprar chocolate, que é quase a mesma coisa.” Anônimo