quinta-feira, 21 de setembro de 2017

A Bodega Cerro Chapeu


Oriunda da Família Carrau de Montevidéu, bodega localizada em Riveira inicia seu projeto de enoturismo



No final do mês de agosto estive conhecendo a Bodega Cerro Chapeu, em Riveira, na divisa do Brasil com o Uruguai. Para quem chega a Riveira vindo de Rosário, basta pegar o caminho para o aeroporto – que fica a cerca de 7km da cidade – e antes de chegar no mesmo placas indicarão o caminho para a vinícola, com mais 6km de estrada de chão. A propriedade está fincada no lugar mais alto da região, há cerca de 300m acima do nível do mar e é brindada com uma brisa eterna além de uma significativa ensolação.  

Vinicola envasa meio milhão de litros por safra
Vinhas com mais de 35 anos se espalham por 50 hectares cultivados

O varejo está instalado no casarão da família, uma construção imponente arraigada sob o estilo arquitetônico espanhol, que conta inclusive com uma bela fonte ao centro do gramado interno. Também é neste local que são preparados os almoços harmonizados e demais eventos, contando com boa estrutura para recepcionar os visitantes. Com vinhedos plantados nos dois países, a vinícola elabora hoje cerca de meio milhão de litros de vinhos por safra. O sistema de vinificação por gravidade é um show a parte, pois a instalação produtiva foi construída de acordo com um projeto muitíssimo inteligente, no qual o líquido resultante da prensagem vai direto aos tanques de inox pela gravidade atmosférica, com o mínimo de intervenção humana. 
Vinificação por gravidade tem o mínimo de interferência humana

Novos vinhedos do lado brasileiro em breve estarão produzindo

Margarita Carrau é uma das proprietárias 

As propriedades ficam frente-a-frente divididas apenas pelos marcos que definem o limite territorial de Brasil e Uruguai. No lado brasileiro novas parcelas de videiras estão sendo cultivadas para muito em breve começarem a dar frutos.  Também está sendo finalizado um complexo para o enoturismo, direcionado a eventos e visitações, com uma vista incrível do Cerro Chapéu e do Cerro Muñoz. 

Instalação no lado brasileiro demandará forte aporte no enoturismo e eventos

Natureza bucólica maravilha o visitante


Tannat é o grande cartão de visitas da vinícola


Margarita Carrau conduz pessoalmente os almoços harmonizados 

No comando da vinícola está Margarita, Gabriela e Francisco Carrau  ex-sócios da Bodegas Carrau de Montevidéu que após a divisão das propriedades com os demais irmãos sócios acabaram ficando com a extensão de Rivera e de Livramento no lado brasileiro que antes pertencia ao grupo, passando a chamar-se Bodega Cerro Chapeu. 

Natalia  Villanueva, Renzo e Margarita Carrau e este editor 

Os vinhedos de quase 50 hectares e muitas videiras com mais de 35 anos, produzem diversas castas, entre as quais Pinot Noir, Cabernet Sauvignon, Chardonnay, Sauvignon Blanc e claro Tannat, entre outras. São várias as linhas que formam o portfólio de vinhos da bodega, entre as quais a Castel Pujol, Varietal, Reserva e Gran Reserva. Tive oportunidade de participar de um almoço harmonizado relativo ao Festival Tannat y Cordero, no qual preparei como chef convidado pratos a base de carne de cordeiro que foram harmonizados com Tannats da casa conduzidos por Margarita, que além de proprietária é também sommelier. 

Pôr do sol forma um belo cartão postal 

Particularmente chamaram-me atenção os seguintes vinhos entre todos os degustados: Castel Pujol Chardonnay 2016, Castel Pujol Cabernet Franc Reserva 2013, Ysern Tannat – Tannat Gran Reserva 2014, 1752 Petit Manseng e Pinot Grigio 2011, Castel Pujol Trebianno 2015 e Carrau Sust Cuveé Rosé Brut Nature Vintage 2011

Barricas americanas e francesas são utilizadas no amadurecimento dos vinhos 

Vista interna do casarão que abriga o varejo da bodega

A visitação a Bodega Cerro Chapeu funciona com agendamento, basta acessar algum dos meios adiante e contatar: mcarrau@castelpujol.com e facebook/bodegacerrochapeu

Alexandre Kohmann oferece portfólio completo como Personal Chef


E a proposta do personal chef tem se espraiado e muito pelo Brasil afora e Santa Cruz do Sul também está nesta onda. 

O chef Alexandre Kohmann é um destes profissionais da nova geração de cozinheiros que leva a sua experiência e criatividade para recepções na residência ou empresa do contratante, preparando com sua estrutura almoços, jantares ou happy-hours de acordo com a solicitação demandada. Além disso o chef também prepara variados tipos de pães, geleias, molhos e patês – a geleia de pimenta é fantástica! – verticalizando o evento e suprindo-o em todas as pontas. 

Alexandre está concluindo sua formação em graduação em gastronomia na UNISC e participa de estágios e troca de experiências com variados e renomados chefs, o próximo será o multitalentoso Rodrigo Bellora, do Restaurante Vale Rústico do Vale dos Vinhedos. Provei o Creme Brullé do chef feito com açúcar demerara e recomendo! 

Contatos para orçamento e maiores informações pelo email: alexandrek77@gmail.com, Facebook: colher-de-pau-comidinhas-caseiras e fone: (51) 99651.1514.

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Ysern Tannat-Tannat Gran Reserva 2014 - O melhor de duas regiões!

Um dos grandes vinhos da Bodega Cerro Chapéu sem sombra de dúvidas é o Ysern Tannat-Tannat Gran Reserva 2014, elaborado com 50% de uvas Tannat provenientes de Las Violetas em Montevidéu e outros 50% de Cerro Chapeu em Riveira.  Tal linha é uma justa homenagem à Margarita Ysern, descendente de viticultores, que se casou com Jaime Carrau, em 1680.

Possui coloração rubi com nuances violetas, turvo e com lágrimas bem lentas. Traz um bouquet de aromas com muita fruta madura – ameixas, framboesas – também hibiscos, pimenta preta, tâmaras e especiarias.  Em boca mostra-se potente e vigoroso, com o aporte da madeira bem pronunciado, trazendo consigo as notas de tabaco, chocolate e defumado.  Possui um bom corpo e ampla persistência. Seus taninos são firmes e redondos.    

Envelhece 18 meses em barris de carvalho francês e americano.

Como um bom Tannat que é pede comida, e mais, pede carnes assadas.

Possui 13% de graduação alcoólica e o ideal é ser consumido na temperatura de 16 a 18oC. 

Você encontra os vinhos uruguaios na Wein Haus, loja especializada em vinhos, localizada na Rua João Pessoa 895, Santa Cruz do Sul, fone (51) 3711.3665 e site www.weinhaus.com.br

E lembre-se: se beber, NÃO DIRIJA!     


sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Comentaristas da 25a. Avaliação Nacional de Vinhos vêm de vários países

Há 25 anos, a Avaliação Nacional de Vinhos compartilha na taça a representatividade de cada safra. São quase mil pessoas entre público e comentaristas convidados. Este ano, o desafio de comentar cada uma das 16 amostras selecionadas entre os 30% mais representativos caberá a um grupo formado por personalidades ligadas ao mundo do vinho que vêm dos continentes asiático, americano e europeu. O grande encontro será dia 23 de setembro, a partir das 8h, no Parque de Eventos de Bento Gonçalves. 



Comentaristas confirmados: 

Junko Iwamoto (jornalista Master of Wine – Japão), Maria Regina Flores (enóloga e degustadora da 1ª Avaliação Nacional de Vinhos - Brasil), Márcia Monteiro (jornalista e roteirista da Globo – Brasil), Protásio Lemos da Luz (Médico Cardiologista - Brasil), Álvaro Cezar Galvão (Blogueiro - Brasil), Giuseppina Paola Parpinello (enóloga e pesquisadora da Universidade da  Bologna – Itália), Danio Braga (chef de cozinha e sommelier - Brasil), Flávio Zílio (enólogo do Ano 2016 - Brasil), Daniel Scola (jornalista da Rádio Gaúcha - Brasil), José Lez (vice-presidente da União Internacional dos Enólogos - Uruguai), Cecília Aldaz (sommelier e apresentadora de TV - Argentina), Paulo Brammer (somemlier do Eno Cultura - Brasil) e Ivane Fávero (vice-presidente para a América Latina da Associação Internacional de Enoturismo - Brasil).

*foto: Jeferson Soldi 


quinta-feira, 14 de setembro de 2017

O uivo do Sorro!


Boutique de carnes com ampla variedade de insumos para churrasco, cervejas especiais e literatura inaugura na cidade

 
Nova boutique de carnes traz proposta inédita para região

Santa Cruz do Sul acaba de receber uma nova boutique de carnes, a Sorro Carniceria, localizada no início da Marechal Deodoro no centro da cidade. Comandada por Matheus Muller, Paulo Sarvacinski e Melina Sartori a ideia da Sorro surgiu da alegria de viver, de conviver com a família e os amigos, degustar uma boa cerveja e para a inigualável sensação de assar e comer um bom churrasco elaborado com carnes nobres. Há alguns anos os sócios perceberam que não havia na cidade uma proposta diferente que reunisse num único lugar carnes, cervejas, livros sobre assados e condimentos para o preparo. Assim houve a inauguração da Best Beef Boutique – franquia com sede em Santa Maria e do grupo do Frigorífico Silva - uma marca e projeto prontos. E como uma família que se forma e cresce, se transformou na Sorro Carniceria, uma identidade própria com aumento da linha de produtos e novas marcas.
 
Queijos, geleias, pimentas, sucos, vinhos e complementos 

O nome “Sorro” refere-se ao animal mais conhecido como Graxaim do Campo, que como dito na música de Pedro Ortaça, é um animal latino, esperto e aguerrido. Sem dúvida um dos símbolos mais fortes da riqueza, cultura e origens da nossa terra. Tal simbolismo uniu-se a proposta dos sócios. Já o termo “Carniceria” é de origem espanhola e significa um “lugar onde vende carne crua para o consumo humano". A proposta da nova casa é primar por um churrasco digno dos clientes, oferecendo sempre carne de procedência e qualidade.
 
Livros especializados em assados e se preparo são opção

Na Sorro Carniceria se encontra os mais variados cortes bovinos, dos miúdos aos cortes mais tradicionais, cortes suínos e ovinos além de muitos complementos para o churrasco, como acessórios, queijos, frios, molhos, belisques e bebidas- cervejas e vinhos – além de cestas para presentes.

Consumidor encontra extensa linha de cervejas especiais   

 
Matheus Muller é um dos sócios a frente da nova casa

A Sorro Carniceira fica na Rua Marechal Deodoro 05, fone (51)3902-0630 e o horário de funcionamento é de terça a sexta das 10:30 às 13:00 e das 16:00 às 21:00, sábados das 09:00 às 13:00 e das 15:00 às 21:00, domingos e feriados das 09:00 às 13:00.


quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Atlântico - Vinho Regional Alentejano 2016: agradável como uma brisa no verão!

O vinho desta semana é o Atlântico - Vinho Regional Alentejano 2016, produzido pela Casa Agrícola Alexandre Relvas, da região do Alentejo em Portugal, um blend das castas Alicante Bouschet, Aragonês e Trincadeira. Como são os alentejanos, este também é gostoso e fácil de beber, carregando consigo as características daquela região. De coloração vermelho rubi e lágrimas médias. Possui palheta de aromas que mostra frutas negras maduras – cereja, ameixas, groselha, também notas de violetas, alcaçuz, especiarias e herbáceas. Na boca repete muito desta definições, mostra-se um vinho cômodo e agradável, com taninos macios e redondos, boa acidez sobre a fruta e ampla persistência.

Estagia rapidamente em barricas de carvalho francês – 10% durante seis meses.

Harmoniza com carne de panela, carnes magras grelhadas, legumes salteados em oliva, carne de porco assada, alguns preparos de bacalhau e queijos médios.

Possui 13,5% de graduação alcoólica e o ideal é ser consumido na temperatura de 16 a 18oC. 

Você encontra os vinhos portugueses na Wein Haus, loja especializada em vinhos, localizada na Rua João Pessoa 895, Santa Cruz do Sul, fone (51) 3711.3665 e site www.weinhaus.com.br

E lembre-se: se beber, NÃO DIRIJA!     


quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Vai uma cerveja aí?


Final de semana promete ser regado a cerveja em Santa Cruz do Sul! Dois eventos reunirão o que há de melhor quando o assunto é cerveja artesanal, música e comida



Santa Cruz do Sul sedia hoje e amanhã dois grandes eventos para os apreciadores de uma boa e bem feita cerveja artesanal! A ACERSC – Associação dos Cervejeiros e das Cervejarias de Santa Cruz do Sul – realizará o seu Festival da Cerveja no Parque da Oktoberfest com a presença de 15 cervejarias (80 estilos de cerveja), vários food trucks e ainda show com 8 bandas que se alternarão no palco – entre elas Rosa Tatooada, Maria do Relento e Tumulto Alemão. Também haverá palestras, workshops e equipamentos produtivos para aqueles que desejam adentrar na produção da sua própria cerveja. Já o Festival da Cerveja Gaúcha ocupará o Estádio dos Plátanos em sua quinta edição. Organizado há alguns anos é um dos pioneiros na divulgação e exposição das microcervejarias junto aos consumidores. Repleto de atrações trará 35 cervejarias, 6 bandas e DJs com destaque para Vera Loca e pontos de alimentação.  Dentro dos festivais as cervejas terão preços diferenciados dependendo da variedade, método de produção e litragem.

O sommelier de cervejas Maurício Beltramelli define com muita propriedade o termo cerveja artesanal dizendo que “tais cervejas são aquelas produzidas quase que de forma caseira”. Várias microcervejarias, mesmo utilizando equipamentos modernos e engarrafando suas produções, ainda assim são consideradas como cervejarias artesanais pelo cuidado que têm com sua produção, indo desde os ingredientes básicos da cerveja, passando pela receita de preparo e chegando até aos conservantes finais, que devem ser naturais e não químicos. Ao ouvir falar em cerveja artesanal, pense em cervejas mais bem cuidadas, com produções mais restritas (mas não necessariamente pequenas), o que leva a produtos com resultados finais muito interessantes e diversificados. O Rio Grande do Sul se destaca na produção de cervejas artesanais perante o Brasil e o mesmo acontece com Santa Cruz do Sul que é referência dentro e fora do estado neste antigo hobby que hoje é um negócio sério, de qualidade e muito promissor.          

Este será um final de semana pleno em que os apreciadores de cerveja poderão se esbaldar em meio as opções de marcas, tipos, comida e muita gente bonita circulando pelos dois grandes eventos. Em resumo, o público estará sendo brindado com dois festivais ímpares em termos de estrutura e formato no RS.

Programe-se:

Festival da Cerveja – Parque da Oktoberfest – sexta e sábado – das 16 às 02:00h – Ingressos a R$ 25,00 (sexta) e R$ 30,00 (sábado) com caneco incluso.

Festival da Cerveja Gaúcha – Estádio dos Plátanos – sexta e sábado – das 17 às 02:00h (sexta) e das 15 às 02:00h (sábado) - Ingressos a R$ 30,00 (sexta) e R$ 40,00 (sábado) ou R$ 60,00 (passaporte para os dois dias) sempre com direito a caneco oficial do Festival.



       

terça-feira, 5 de setembro de 2017

LA Jovem Rosé 2016 - dentro de uma garrafa pequena uma grande personalidade!

Em meio a tanta cerveja a dica de vinho desta semana é de um representante de Flores da Cunha, da Indicação de Procedência de Altos Montes na Serra Gaúcha, o LA Jovem Rosé 2016, produzido pelo corte de 30% Pinot Noir e 70% Shiraz. A vinícola Luiz Argenta é sem dúvida uma das mais belas do mundo, encravada no alto de uma colina com os vinhedos a seus pés esbanja personalidade arquitetônica e muito conteúdo dentro de suas garrafas! Vale muito a pena uma visita e um almoço harmonizado no seu restaurante. E a garrafa deste vinho também é uma obra prima, puro design, impossível e ser descartada após o consumo.  

Próprio para ser degustado nestes dias quentes em que estamos inseridos. Possui coloração cereja com nuances rosas muito brilhante. Seus aromas iniciais denotam algo químico, mas logo depois trazem morango fresco, cereja, goiaba, marmelo e água de rosas. A boca é seca, salivante, com fruta vermelha macerada – também goiaba - e leve adstringência pronunciando uma acidez marcante, mineral e fresco e com ampla persistência.

Faz boa companhia com canapés, camarão, salmão e mariscos, carne de cordeiro magra assada, bruschetas e culinária japonesa.

Possui 12% de graduação alcoólica e o ideal é ser consumido na temperatura entre 9 a 11oC. 

Você encontra os vinhos Luiz Argenta na Wein Haus, loja especializada em vinhos, localizada na Rua João Pessoa 895, Santa Cruz do Sul, fone (51) 3711.3665 e site www.weinhaus.com.br

E lembre-se: se beber, NÃO DIRIJA!     


quinta-feira, 31 de agosto de 2017

A torta de carne!



Para quem gosta de um preparo de carne diferente, taí a deliciosa dica!


O chamado Boeuf Bourguignon é um preparo que utiliza ingredientes fáceis de encontrar, com mecânica fácil e relativa rapidez na confecção sendo considerado um prato popular na França, principalmente na região da Borgonha. Certamente teve origem em algum período do passado onde imperava a escassez alimentar e portanto exigia das famílias o aproveitamento do máximo de ingredientes que tinham.   A condição é que leve carne bovina e vinho. E utilizamos esta receita tradicional cobrindo-a com massa folhada e levando-a ao forno no preparo que se apresenta da Torta de Carne!


Ingredientes:
(para 4 pessoas)

1kg de coxão mole bovino cortado em cubos de 2cm
50g de bacon picado
1 cebola picada
200g de cogumelos paris fatiados
2 colheres de sopa de farinha de trigo
2 colheres de sopa de azeite de oliva
1 dente de alho picadinho
1 colher de sopa de extrato de tomate
1 ovo batido
1 ramo de alecrim fresco
500ml de vinho tinto seco
2 colheres de óleo de girassol
Massa folhada
Sal e pimenta preta moída na hora

Preparo:

Salpique a farinha de trigo nos cubos e carne e logo em seguida leve estes cubos para uma frigideira aquecida com o óleo de girassol. Deixe fritar rapidamente, retire e reserve. Coloque uma colher de azeite de oliva nesta frigideira e refogue o bacon, a cebola, o alho e os cogumelos até murchar – cerca de 5 minutos. Junte o extrato de tomate e a carne, junte o ramo de alecrim e tempere com sal e pimenta preta. Junte o vinho e deixe ferver e reduzir por cerca de 20 minutos.  Aqueça o forno a 180oC por cerca de 15 minutos. Leve a carne e o molho a um refratário. Cubra com a massa folhada fechando bem as bordas. Pincele com o ovo batido e leve ao forno por cerca de 20 a 25 minutos até dourar. Sirva em seguida!

Você encontra este e outros cortes de carne premium das raças Angus e Hereford, dezenas de rótulos de cervejas especiais além de complementos, molhos, geleias e especiarias na Best Beef Boutique, na Rua Marechal Deodoro 05, fone 51.3902-0630, em Santa Cruz do Sul. Confira!

  

terça-feira, 29 de agosto de 2017

Don Guerino Torrontés Vintage 2017 - o primeiro Torrontés brasileiro!

Uma das uvas ícones da Argentina é a branca Torrontés.  Por lá é cultivada principalmente nas regiões de Cafayate, situado ao norte do país, e Salta. Estima-se que tenha sido introduzida em Mendoza pelas mãos dos jesuítas no século XIX. Além da Argentina também pode ser encontrada em regiões da Nova Zelândia e do Chile. E agora no Brasil! A gaúcha Vinícola Don Guerino, de Alto Feliz, lançou ineditamente no país a primeira safra desta casta, o Don Guerino Torrontés Vintage 2017.  

Este vinho impressionantemente carrega as melhores qualidades desta uva, trazendo muito perfume, frescura e acidez. Possui coloração amarelo palha com reflexos esverdeados, muito brilhante. Os aromas anunciam flores brancas como jasmim e rosas, frutas brancas e cítricas, mel e pequena palheta herbácea. Em boca é vibrante, fresco, frutado e com ótima acidez, um vinho com boa persistência e que pede uma nova taça. Um vinho surpreendente que vale a experiência!

Combina bem em carreira solo, como aperitivo junto a canapés, também com saladas, frutos do mar e mariscos assim como suporta bem alguns pratos indianos e tailandeses.

Possui 13% de graduação alcoólica e o ideal é ser consumido na temperatura entre 7 a 9oC. 

Você encontra os vinhos Don Guerino na Wein Haus, loja especializada em vinhos, localizada na Rua João Pessoa 895, Santa Cruz do Sul, fone (51) 3711.3665 e site www.weinhaus.com.br


E lembre-se: se beber, NÃO DIRIJA!      

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Avaliação Nacional de Vinhos: Inscrições para degustadores abrem amanhã


O evento mais concorrido do Brasil pelos apreciadores de vinhos se aproxima. É a 25ª Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2017. Depois de inscritas pelas vinícolas, coletadas e avaliadas às cegas por enólogos, as amostras serão apresentadas para um público de 850 apreciadores, que degustará na taça 16 vinhos classificados entre os 30% representativos da safra. Este grande momento será no dia 23 de setembro. A corrida para garantir a vaga inicia às 8h30min de amanhã pelo site da Associação Brasileira de Enologia (ABE) – entidade promotora – www.enologia.org.br.

A experiência, única no mundo, leva o participante a mergulhar no universo dos vinhos brasileiros. São mais de 8 horas de evento, entre abertura, degustação e comentários, homenagens, prova de espumantes e almoço. Um momento também de aprendizado e confraternização. Para o presidente da ABE, enólogo Edegar Scortegagna, é importante que o público fique atento ao período das inscrições, pois as vagas costumam esgotar nos primeiros dias. “A Avaliação Nacional de Vinhos é a maior degustação de vinhos de uma safra do mundo e, por isso, um evento muito disputado. A paixão e curiosidade pelo mundo do vinho une centenas de pessoas de todo o Brasil e do exterior”, ressalta.

A 25ª Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2017 superou os números das quatro últimas edições, alcançando 327 amostras de 59 empresas. Os vinhos foram avaliados às cegas por um grupo de mais de 118 enólogos brasileiros. As degustações seguiram normas internacionais sob coordenação técnica da Embrapa Uva e Vinho, que sediou em seu Laboratório de Análise Sensorial a prova dos vinhos. A Avaliação também conta com o apoio do IFRS – Campus Bento Gonçalves, IFSC – Campus Urupema e da Unipampa – Campus Dom Pedrito, responsáveis pelo serviço do vinho no grande evento.


O resultado é compartilhado com o grande público no dia 23 de setembro no maior momento do vinho brasileiro. 16 amostras, classificadas entre os 30% representativos da safra 2017, são degustadas às cegas por todos, que somente ao final do evento ficam sabendo as variedades e vinícolas. Cada amostra é comentada por um dos convidados especiais que integram o painel de comentaristas. Assim, o evento segue seu caráter lúdico e educativo, permitindo a cada participante fazer sua própria análise e comparar suas impressões com as de especialistas no assunto.


O investimento para associado é de R$ 250. Não associados pagam R$ 310. A partir deste ano, a Fundaparque, administradora do Parque de Eventos onde ocorre a Avalição, passará a cobrar R$ 10 para o estacionamento de carros e R$ 5 de motos. A cobrança será aplicada a todos os veículos que acessarem o parque, oferecendo cobertura de seguro, além de atuar com uma equipe responsável pela orientação e segurança do local.

*foto de Jeferson Soldi

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

O canelone com ricota e frango!



Que tal? Simples, fácil e muito saboroso!

O canelone é uma daquelas receitas italianas que aceita variados molhos e composições. Sua origem é obscura mas seu sabor e flexibilidade culinária estão presentes em cada uma das receitas disponíveis, com massas coloridas preparadas à base de beterraba, espinafre ou cenoura e recheios variados como o preparo a seguir do Canelone Recheado com Ricota e Frango.


Ingredientes:
(para 4 pessoas)

1 peito de frango grande desossado e sem pele
250g de ricota fresca
Meia xícara (chá) de leite
4 colheres (sopa) de azeite
Meia xícara (chá) de manjericão picado
Sal e pimenta do reino moída à gosto
Meia xícara (chá) de nozes picadas
12 folhas de lasanha cozidas
400g de queijo camembert picado grosso
500g de molho de tomate
50g de manteiga

Preparo:

Cozinhar o peito de frango temperando com sal e pimenta. Pode ser adicionado um tablete de caldo de galinha neste cozimento. Após desfiar o peito e reservar. Em um recipiente misturar a ricota com o leite, a manteiga, o azeite e o manjericão picado. Temperar com sal e juntar as nozes e o frango desfiado. Distribuir a mistura nas folhas de lasanha e enrolar formando os canelones. Arrumar os canelones em um refratário untado com manteiga e por cima dispor o molho de tomate já aquecido e o queijo camembert picado. Levar ao forno pré-aquecido a 200ºC por 15 minutos. Servir em pratos individuais. 
 
  


quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Primeiro Vinho&Arte inaugura evento inédito em Santa Cruz do Sul


A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais – APAE - de Santa Cruz do Sul em parceria com a Vinho e Arte, sob o comando da enóloga Maria Amélia Duarte Flores, realizará hoje, 25 de agosto, no Villa Martin, a 1ª edição do Vinho&Arte. Pioneiro na região, o evento tem como objetivo proporcionar um momento especial aos convidados, para que possam degustar vinhos das vinícolas e importadoras parceiras Don Laurindo, Routhier e Darricarrere, Campos de Cima Dunamis, Aracuri, Peterlongo, Importadora Wine Brands, Importadora Cantu e InfoWC acompanhados de uma deliciosa mesa de pães, pastas e frios produzida pela equipe do restaurante Hilda G. Haverá exposição dos artistas Lula Werner, Marcia Marostega e suas alunas além da música da dupla Lívia e Thiago. 


Os convites ao valor de R$ 95,00 estão disponíveis com a Diretoria Social e na APAE. Toda a renda obtida com o evento é destinada à manutenção das atividades da entidade, que atende atualmente 320 pessoas com deficiência intelectual e ou múltipla. Mais informações pelo fone (51) 3711 3098 ou e-mail comunicacao@apaescs.com.br.



terça-feira, 22 de agosto de 2017

Dal Pizzol Brut Rosé - um coringa!

Tenho para mim que o espumante Brut Rosé é o coringa na hora de escolher um espumante que agrade tanto homens quanto mulheres. Geralmente estas possuem um paladar que acomoda melhor o espumante mais adocicado, como o Moscatel e o Demi-Seco, enquanto o público masculino possui uma tendência para o espumante Brut. Por isso o espumante Brut Rosé consegue atender a ambos, pois seu paladar é agradável, seco e frutado além ter aromas inebriantes. 

Uma das dicas para este coringa é o espumante Dal Pizzol Brut Rosé, da vinícola homônima localizada em Faria Lemos, em Bento Gonçalves, elaborado pelo método Charmat (segunda fermentação em tanques) num corte de Pinot Noir e Chardonnay.

Possui linda coloração cereja com reflexos rosas, límpido e muito brilhante e perlage abundante e constante.  O aroma traz uma complexidade de frutas vermelhas, frutas brancas cítricas, notas florais. Em boca possui muito boa cremosidade, é refrescante e cômodo, boa acidez e muito intenso, o que pede até mesmo pratos com mais corpo do que os tradicionais para esta bebida. Possui final de boca saboroso.

Harmoniza com tudo oque você imaginar e com aquilo que o coração mandar!

Possui 11% de graduação alcoólica e o ideal é ser consumido na temperatura entre 4 a 8oC. 

Você encontra os vinhos Dal Pizzol na Wein Haus, loja especializada em vinhos, localizada na Rua João Pessoa 895, Santa Cruz do Sul, fone (51) 3711.3665 e site www.weinhaus.com.br

E lembre-se: se beber, NÃO DIRIJA!     


quarta-feira, 16 de agosto de 2017

La Puerta Bonarda Reserva 2015 - elaborado com a segunda variedade mais cultivada na Argentina!

A uva da variedade Bonarda é uma das mais plantadas na Argentina, praticamente na mesma escala da Malbec. Sempre foi muito usada na elaboração de vinhos baratos, depois começou a aparecer na composição de blends junto a outras castas e de alguns anos para cá em carreira solo, dando origem a muito bons vinhos repletos de frescor, fruta, suavidade e taninos agradáveis. Um dos exemplares desta uva que temos acesso é o La Puerta Bonarda Reserva 2015, da região de La Rioja, de coloração vermelho escuro e com reflexos violetas e com explosão de aromas frutados com muita aromas, ameixas e mirtilos maduros, quase me compota. Em boca traz uma precisão de acidez que acomoda muito bem a fruta e os traços de madeira, pedindo uma nova taça. Médio corpo, ampla persistência e suavidade tânica fecham a análise.

30% do vinho repousa por 6 meses em barricas de carvalho francês e americano.

Faz par com carne bovina e suína na grelha, massas com molhos condimentados e algumas carnes de caça.

Possui 14% de graduação alcoólica e o ideal é ser consumido na temperatura entre 15 a 18oC.  

Você encontra os vinhos La Puerta na Wein Haus, loja especializada em vinhos, localizada na Rua João Pessoa 895, Santa Cruz do Sul, fone (51) 3711.3665 e site www.weinhaus.com.br


E lembre-se: se beber, NÃO DIRIJA!      

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Cachaça é do Brasil e Tequila é do México – Governo assina acordo que protege a propriedade das bebidas


A cachaça e a tequila agora terão proteção plena de propriedade e qualidade na comercialização nos dois países


Ligadas diretamente às culturas do Brasil e do México, a cachaça e a tequila agora terão proteção plena de propriedade e qualidade na comercialização nos dois países. Acordo assinado pelo presidente Michel Temer reconhece as duas bebidas como indicações geográficas e produtos distintivos dos dois países. O acordo estabelece que toda bebida vendida no Brasil com o nome de tequila será de fabricação mexicana, assim como toda cachaça vendida no mercado mexicano deverá ter sido fabricada no Brasil.

Desde 2015, Brasil e México fazem tratativas sobre a proteção recíproca da cachaça e da tequila na relação bilateral. Com a assinatura do acordo, a qualidade e a procedência das bebidas nos dois países serão atestadas conforme procedimentos tradicionais e passarão a ser controlados e supervisionados pelas autoridades competentes de cada país.

As tratativas estavam em andamento há alguns anos, mas a partir de junho de 2014 o processo recebeu atenção do governo, a partir da renovação de um convênio firmado entre o IBRAC (Instituto Brasileiro da Cachaça) e o Conselho Regulador de Tequila (Crt).

Segundo o IBRAC, as exportações de cachaça não passam de 1% do volume produzido e isto deve estimular o setor a aumentar os investimentos no mercado mexicano. Além disso, o acordo também deve impedir o uso da denominação "cachaça" por produtores de outros países.
Em 2015, o México exportou mais de 180 milhões de litros para mais de 120 países, enquanto o Brasil exportou pouco mais de sete milhões de litros do destilado para 61 países. Deste total, apenas 0,54% do total exportado foi para o México, de acordo com o IBRAC. Para o presidente da Confraria Paulista da Cachaça, Alexandre Bertin, o governo está buscando alternativas para ajudar a área econômica e as exportações de Cachaça têm muito potencial. “É uma atitude acertada. Esse acordo ajudará os produtores a atingirem outros mercados e a gerar resultados positivos para a cadeia como um todo”.    

Mercado da Cachaça  

O faturamento do setor cachaceiro alcançou R$5,95 bilhões em 2013, quando foram produzidos 511,54 milhões de litros da bebida, de acordo com o Sistema de Controle da Produção de Bebidas da Receita Federal – SICOBE, responsável por controlar a produção das principais empresas formais do setor. De acordo com o Instituto Brasileiro da Cachaça – IBRAC, são 40 mil produtores e 4 mil marcas de cachaça no mercado nacional alocadas, principalmente, nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Pernambuco, Ceará, Minas Gerais e Paraíba. O IBRAC estima que a capacidade instalada no Brasil é de 1,2 bilhões de litros/ano. A Cachaça é a segunda bebida mais consumida no país, perdendo somente para a cerveja, que é uma bebida fermentada. Entre as bebidas destiladas, detém preferência absoluta entre os brasileiros.

Seu consumo é quase 5 vezes maior que o do whisky (348 milhões de litros) e da vodca (270 milhões de litros). O Brasil possui capacidade instalada de produção de 1,2 bilhão de litros anuais, sendo 70% cachaça industrial e 30% cachaça artesanal (alambique). Atualmente, são mais de 40 mil produtores (5 mil marcas), sendo que as micro-empresas representam 99% deste universo. Um case de sucesso do mercado da bebida é a Cachaça Seleta, que conquistou a liderança no mercado mundial de Cachaças artesanais pelo gosto forte e persistente. É armazenada em tonéis de Amburana e conta com processo de fermentação natural, sendo o fermento a base de fubá de milho.

“Com tantas opções de qualidade, os consumidores terão cada vez mais a possibilidade de melhores experiências sensoriais com a Cachaça, já que poderão comprar mais rótulos e descobrir a riqueza dos sabores”, declara Rafael Araujo, Co-Founder da Cachaçaria Nacional. A empresa é a maior loja de Cachaças Online do mundo e oferece mais de 1000 rótulos de Cachaças artesanais de alambiques das principais regiões produtoras do Brasil, além de acessórios para degustação, barris/dornas e linha gourmet. Outros dados importantes são sobre o aumento das exportações da bebida em 2016. Segundo informações divulgadas pelo IBRAC, as exportações de Cachaça cresceram 4,62% em valor e 7,87% em volume, totalizando US$ 13,93 milhões e 8,3 milhões de litros. Mais de 60 países já consomem o “ouro líquido brasileiro”, especialmente Alemanha, EUA e Paraguai.




quinta-feira, 10 de agosto de 2017

O carpaccio de cordeiro!


O Carpaccio é um dos antepastos mais famosos do mundo! Sua origem italiana traz toda uma história às finas lâminas de carne crua temperadas com poucos ingredientes repletos de sabor, entre os quais lâminas de queijo e azeite de oliva. Foi criado na década de 50 por Giuseppe Cipriani, dono do Harry’s Bar em Veneza. O Carpaccio original leva carne bovina, e o nome é uma homenagem a Vittore Carpaccio, famoso pintor renascentista que usava a cor vermelha em suas pinturas, lembrando a carne crua. Chegou ao Brasil na década de 70, trazido por Massimo Ferrari a seu restaurante em São Paulo. Hoje a receita é desta iguaria preparada com um carne muito nobre, acompanhe o Carpaccio de Cordeiro!  
  


Ingredientes:

1 lombo de cordeiro com cerca de 500g
Azeite de oliva à gosto
Sal e pimenta-do-reino a gosto

Para o molho:

3 colheres de sopa de mostarda tipo Dijon
3 colheres de sopa de azeite de oliva
1 colher de sopa de mel
2 colheres de sopa de água
2 colheres de sopa de alcaparras bem picadas
Queijo peccorino ralado a gosto
Sal e pimenta preta moída à gosto
Brotos de beterraba para decorar

Preparo:


Tempere o lombo com sal e pimenta-do-reino a gosto. Enrole o lombo em filme-plástico e coloque no congelador por 1 hora. Retire do congelador e fatie a carne em fatias bem finas – quase transparentes – com cerca de 2 mm.  Para o molho: coloque todos os ingredientes – exceto o queijo parmesão – num pote de vidro com tampa, feche e agite muito bem. Sirva as fatias e tempere com o molho, finalize com o queijo ralado e decore com os brotos de vegetais. 

Você encontra carne de cordeiro além de cortes bovinos das raças Angus e Hereford na Best Beef Boutique, na Rua Marechal Deodoro 05, fone 51.3902-0630, em Santa Cruz do Sul. Confira! 

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Los Cardos Red Wine Blend 2016 - um corte de excelente custo-benefício!

Dizem que um vinho blend – ou seja, aquele elaborado com a mistura de castas ou safras – mostra o espírito do enólogo lá na busca por oferecer algo diferente aos amantes de vinhos. O argentino Los Cardos Red Wine Blend 2016, linha de entrada da Bodega Dona Paula, é um destes vinhos absolutamente confortáveis de beber e com um belo custo-benefício. Leva partes de Malbec, Cabernet Sauvignon, Syrah e Tannat.  

Possui cor rubi com reflexos violáceos e pronuncia aromas com frutas frescas - cereja, framboesa e amoras - e toque herbáceo, terra molhada, mentol, citronela, toques florais e pimenta preta. Em boca é refrescante, corpo médio, com paladar levemente salgado, mineral, ótima acidez e com fruta destacada. Seus taninos são redondos e com personalidade.

Possui 13,5% de graduação alcoólica e o ideal é ser degustado na temperatura entre 16 e 18oC.

Combina com carnes grelhadas, massas com molho de queijo, legumes na brasa, queijos médios e embutidos.

Você encontra os vinhos Dona Paula na Wein Haus, loja especializada em vinhos, localizada na Rua João Pessoa 895, Santa Cruz do Sul, fone (51) 3711.3665 e site www.weinhaus.com.br


E lembre-se: se beber, NÃO DIRIJA!      

domingo, 6 de agosto de 2017

Jantar harmonizado Wein Haus

Na próxima quinta-feira, 10 de agosto, ocorrerá mais uma edição do Jantar Harmonizado da Confraria Weinhaus, no espaço gourmet da loja especializada em vinhos de Santa Cruz do Sul. Os vinhos degustados serão apresentados pelos sommeliers da Importadora Decanter servindo os rótulos Terranoble Pinot Noir, J Lohr Zinfandel, Luis Cañas Crianza, Celler L’Encastell Marge, Colomé Malbec e Luigi Bosca Gala 4. Será servido de entrada pães com patês e bruschettas, filé mignon grelhado ao molho funghi e legumes e petit gateau com sorvete de creme. Faça já sua reserva pelo fone 51.3711.3665.


quinta-feira, 3 de agosto de 2017

As coxas de frango com mel!



A carne de frango se transforma neste preparo com sabores quase exóticos!

Uma coisa é certa: a carne e frango ocupa hoje a posição de mais barata entre todas as opções no Brasil. E já faz um bom tempo que é assim. Com a presença mais intensa desta variedade à mesa, temos que ser criativos no preparo e não correr o risco de cairmos na mesmice. E a receita de hoje leva uma boa dose de temperos o que deixa a coxa de frango comum sabor inigualável. Acompanhe a receita das Coxas de Frango com Mel.


Ingredientes:
(para 4 pessoas)

12 coxas de frango
Meia xícara de mel
Meia xícara de molho de soja
Um quarto de xícara de suco de laranja
2 colheres de sopa de mostarda tipo Dijon
2 dentes de alho finamente picados
1 colher de sopa de gengibre ralado
Sementes de gergelim e cebolinha para enfeitar
Sal e pimenta preta moída a gosto

Preparo:

Em uma tigela pequena, misture todos os ingredientes para fazer a marinada: mel, molho de soja, suco de laranja, mostarda, alho e gengibre. Misture bem. Reserve um terço da marinada num pote e leve a geladeira. Coloque as coxas de frango num saco e despeje a marinada sobre elas. Leve a geladeira por cerca de 2 horas. Aqueça o forno a 200oC. Disponha as coxas numa assadeira e despeje a marinada sobre eles, tempere com sal e pimenta.  Asse por cerca e 30 minutos, vire as coxas e asse por mais 20 a 25 minutos.  Enquanto o frango está no forno, despeje a marinada que estava na geladeira em uma panela pequena, tempere se precisar e leve a ferver, deixe reduzir até engrossar, tipo – cerca de 7 a 10 minutos no fogo.  Retire o frango do forno, derrame sobre ele o molho, decore com sementes de gergelim e cebolinha e sirva.