quarta-feira, 22 de outubro de 2014

A morcilha preta



Na lista das iguarias mais apetitosas provavelmente a morcilha preta não esteja relacionada, mas quando doce, ocupa as primeiras posições



A morcilha pode ter muitos nomes – morcilla; morcela; chouriço entre outros – mas o que não possui variação é o modo de preparo e a base dos ingredientes que somados dão forma a esta iguaria cuja origem remonta à Grécia antiga (segundo Platão a morcilha foi inventada pelo grego Aftónitas em 428 a.C.) descarregada no Brasil pelas naus dos primeiros colonizadores portugueses e espanhóis. É um alimento bastante comum encontrado desde a Ásia até a América Central. Trata-se de uma linguiça feita com o sangue coagulado, os miúdos, a pele, e partes de carnes rejeitadas pelos principais cortes do porco somada a temperos, ervas, embutidas dentro das tripas tratadas do animal abatido. 

Esta aparente rusticidade medieval sensibiliza-se quando ao preparo soma-se passas, frutas cristalizadas, nozes e até chocolate – ingredientes muito utilizados na morcilha preparada pelos irmãos uruguaios e argentinos que – bem diferente da variante gaúcha, salgada, que leva arroz e tempero verde - quando levados à brasa transforma a iguaria num manancial de aromas e sabores. 

Na Argentina e no Uruguai, é corriqueiro usar-se de ingredientes doces e acomodar a morcilha junto aos assados na parrilla tendo o cuidado de não deixar muito próximo da brasa, pois ela deve apenas aquecer – a morcilha já é pré-cozida - e ficar com a pele crocante podendo ser encontrada na versão comum – gomo de cerca de 10 a 15 cm e menor, tipo "bombom", esta servida como aperitivo antes do churrasco. Páprica, pimentão doce, anis, erva-doce, gengibre, pinhão, amendoim e outros ingredientes e  especiarias podem ser usados na elaboração desta variação doce.    

A morcilha possui um elevado valor calórico e sua origem pobre avaliza o potencial energético que ela possui com muito conteúdo de proteína e gordura. A junção de matérias-primas de origem animal e vegetal, mais o açúcar dos ingredientes doces, o ferro do sangue produz uma proteína de alta qualidade com aminoácidos essenciais para o corpo humano.

Para preparar a morcilha preta doce, seguem algumas preciosas dicas:



- na frigideira: cortar os gomos em fatias de cerca de 3 cm. Passar farinha e fritar em pequenas quantidades em óleo bem quente. 
- no forno de micro-ondas: dispor as fatias em um prato com papel toalha embaixo e em cima e deixar por três minutos, a maior parte da gordura é absorvida pelo papel.
- no forno convencional: enrolar os gomos em papel alumínio e levar ao forno pré-aquecido a 180oC por cerca de 15 minutos.
- na churrasqueira: acomodar em uma grelha e deixar a média altura, não diretamente sobre o fogo, por cerca de 30 minutos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário