sexta-feira, 20 de junho de 2014

Cachaça Weber Haus entre as Melhores do Brasil


Foi finalizado na semana passada, o Concours Mondial Spirits Selection 2014, um dos mais importantes concursos internacionais de destilados, que aconteceu no Costão do Santinho, em Florianópolis, pela primeira vez em um país da América Latina. Em degustações às cegas, 215 destilados de todo o mundo foram premiados: 11 medalhas “dupla de ouro”, 100 de “ouro” e 104 de “prata”. Além das duas melhores cachaças e o melhor destilado do concurso.
O Brasil teve o maior número de medalha. Ao todo foram 59: 2 dupla de ouro (Grand Gold Medal) que ficaram para a Cachaça Germana Umburana 2013, de Minas Gerais, e Porto Morretes Cachaça Ouro 2010, do Paraná; 31 de ouro (Gold Medal); e 26 amostras premiadas com prata (Silver medal).
As amostras de cachaça que recebem ouro são degustadas novamente para eleger a melhor entre todas. As vencedoras do concurso de 2014 como melhores cachaças do Brasil foram Cachaça Famosinha de Minas 2013, Engenho Buriti de Minas Ltda e Cachaça Weber Haus Envelhecida em Amburana Destilado, Rio Grande Sul, H. Weber e cia.
Do concurso também sai o melhor destilado entre todas as amostras de destilados recebidas e o whisky escocês, Octomore 5 years Scottish Barley, Bruiladdich distillery (Rémy Cointreau) foi o vencedor.
“O Brasil se saiu muito bem e é realmente um campeão. Estas medalhas colocarão os respectivos produtos em evidência no Brasil e no mundo”, afirma Baudouin Havaux, presidente do Concours Mondial de Bruxelles, organizador do evento. “Conseguimos mostrar para o mundo a qualidade dos nossos produtos e a cachaça mostrou todo seu potencial”, completa Zoraida Lobato, diretora da Market Press Evento, promotora do concurso no Brasil.
Enio Queijada, gerente de agronegócios do Sebrae Nacional, ressaltou a importância do evento para os produtores brasileiros, que vai além da medalha. “Há somente ganhadores, uma vez que todos receberão subsídios em informação, que possibilitarão a melhora do processo produtivo e, consequentemente, da qualidade do produto”, afirma. “O concurso é bom para elevar o nível de qualidade e melhorar as condições dos mercados por parte dos pequenos produtores e alambiques apoiados pelo Sebrae”, completa.
O evento tem parceria da APEX- Brasil, IBRAC e SEBRAE.
A cachaça
O destilado mais consumido no Brasil, a cachaça, ganhou destaque durante todo o evento. Foi o destilado com o maior número de amostra nesta edição e com recorde de em todas as edições: mais de 200 tipos de cachaça. “O júri composto por especialistas de várias nacionalidades teve uma experiência única, pode perceber as diferenças das cachaças e entender a dimensão dessa bebida”, conta Havaux.
O workshop realizado pelo superintendente geral da Fundação Nacional da Qualidade, Jairo Martins, deu um panorama do destilado mais consumido no Brasil. “Cada país tem um destilado de que se orgulha. Temos o privilégio da cachaça e precisamos desenvolver isso em cada brasileiro. A cachaça representa no mundo a nossa cultura e forma de ser”, afirma.
Não foram só os estrangeiros que saíram do Brasil conhecendo um pouco mais da cachaça. “O Spirits Selection é um intercâmbio. Uma oportunidade para o brasileiro conhecer destilados distintos que não estão acostumados. 90% das amostras de bebidas que participaram do evento não são importadas para o Brasil”, afirma Havaux. 
O júri
Com juri formado por profissionais de diferentes partes do mundo – como Alemanha, Canadá, Chile, China, Espanha, França, Itália, México, Peru e Taiwan, por exemplo - que não se conheciam, foi uma verdadeira troca cultural e de experiência. “Tínhamos certa expectativa de como seria esta engrenagem e ficamos realmente muito felizes com o resultado”, conta o presidente do concurso. “Em uma degustação às cegas, chegaram em comum acordo sobre critérios técnicos de bebidas, muitas que nem estão acostumados. Isso significa que as medalhas são realmente merecidas”, completa.
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário