terça-feira, 27 de setembro de 2011

Sexo e cozinha


O assunto é intrigante e por várias vezes já fui questionado se o laboratório chamado cozinha desenvolve a libido, se estimula o prazer sexual e se tem o poder de resgatar o sex appeal. Ora, é evidente que tudo o que atiça a nossa mente e nos eleva a capacidade de criação ou o desenvolvimento desta criatividade, atua como um agente capaz de estimular o desejo, acender paixões. Quem nunca se excitou cortando mordendo um vigoroso morango ou ficou muito próximo de um orgasmo ao saborear um molho básico de tomate com manjericão colhido na hora? Aqueles que buscam na cozinha uma fonte de inspiração para as agruras do dia-a-dia acabam se envolvendo com ela de uma maneira, digamos, quase metafísica. As famosas orgias romanas envolviam uma liberação total dos comensais – com muito vinho, música, frutas, carnes, doces com homens e mulheres que se entregavam aos prazeres carnais e que subtraiam-se para um outro mundo somente conhecido por eles. Neste período de informação instantânea que vivemos, há casos em que este relacionamento sexo-cozinha se desenrola de diversas maneiras como um colega que trocou a mulher por um conjunto de panelas novinhas, aquelas de inox e fundo triplo, bem pesadas. A ex-mulher até gostou, pois a comida dele melhorou bastante depois da troca! Outro dia assitia a um capítulo do seriado-mais-que-reprisado Sex in the city, em que a protagonista Carrie Bradshaw escrevia em sua coluna sobre seu então relacionamento onde o namorado com ejaculação precoce já alcançava o clímax quando lhe serviam o prato à mesa de um restaurante! Precisou aprender as lides da cozinha e passou a cozinhar em casa, curando-se! A comida e a cozinha estão assim, intimamente ligadas a sexualidade de cada um. E muito cuidado com os legumes descascados na sua geladeira, praticamente nus, pois corre-se o risco de uma traição inconteste!

Nenhum comentário:

Postar um comentário