quinta-feira, 29 de maio de 2014

O Risoto de Radicchio, Copa e Grana Padano

 
 

Da Roma antiga para os dias atuais, o radicchio realça uma boa receita!

 
O radicchio rosso di treviso – ou simplesmente radicchio - é parente da chicória, possui certidão de nascimento italiana lá pelas bandas de Treviso, no norte da Itália. Já era consumido a centenas de anos atrás, nas mesas da Roma antiga. Porém é facilmente encontrado nas feiras rurais confundido por muitos como chicória roxa. Possui um marcante sabor, levemente amargo e paladar crocante além de ser uma bela folha de cor roxa e talo branco, com textura semelhante a alface americana. Pode ser usada em vários preparos, de salada até risotos e massas.  Pode ser consumido cru, cozido ou grelhado – com sal grosso e um fio de oliva fica delicioso na grelha. E este ingrediente é a estrela da receita de hoje, o Risoto de Radicchio, Copa e Grana Padano.
 

 
Ingredientes:

(para 4 pessoas)

 
8 folhas de radicchio

2 xícaras de arroz arbóreo

150g de copa cortada em cubos de 1cm

200ml de vinho branco seco

200g de abobrinha cortada em cubos de 1cm

1 dente de alho picadinho

Meia cebola picadinha

100g de queijo parmesão grana padano ralado na hora

Duas colheres de manteiga sem sal

Azeite de oliva extra virgem

Sal e pimenta do reino moída na hora

1 litro de caldo de frango

 

Preparo:

 
Enrolar as folhas de radicchio e cortar em tiras finas. Em uma panela, aquecer uma colher de azeite de oliva e refogar a cebola, o alho e a copa. Em seguida juntar o arroz e cerca de um minuto depois regar com o vinho, cozinhando até evaporar parte do líquido. Juntar a abobrinha e o radicchio. Aos poucos, ir adicionando o caldo de galinha, concha por concha, mantendo encharcado o preparo, que leva cerca de 20 a 25 minutos para que o arroz fique “al dente”. Temperar com pimenta preta e sal. Desligar o fogo e juntar a manteiga restante e o queijo grana padano, misturando bem, tampar a panela e deixar descansar o risoto por aproximadamente três minutos. Servir decorado com uma folha inteira do radicchio e ramo de tomilho!
 

 

 

terça-feira, 27 de maio de 2014

O Patê de Pimentão

Patês são uma diversão, tanto na hora de prepará-los quanto na hora de saboreá-los. Podem nascer de uma infinidade de ingredientes, sendo que um muito saboroso é o elaborado a partir do pimentão vermelho, saboroso e fácil. Acompanhe:  
 


Ingredientes:

200 g de pimentão vermelho
200 g de tomate
1 colher (sopa) de óleo
1 colher (sopa) de azeite
2 dentes de alho, com casca
1 colher (chá) de sal
1 colher (chá) de suco de limão
pimenta do reino, a gosto
folhas de manjericão, a gosto

 
Preparo:


Ligue o forno em temperatura média (180 graus). Lave os pimentões e os tomates sob água corrente. Corte os pimentões ao meio e despreze as sementes. Corte os tomates ao meio. Coloque os tomates e os pimentões numa assadeira e regue com o óleo. Leve a assadeira ao forno e deixe assar por 30 minutos. Acrescente os dentes de alho, com casca, na assadeira e deixe assar por mais 30 minutos. Retire a assadeira do forno e deixe descansar por 10 minutos. Retire a pele dos tomates, pimentões e dos dentes de alho. Despreze as cascas e coloque os legumes num liquidificador. Acrescente todos os ingredientes restantes e bata por 1 minuto ou até obter uma pasta homogênea. Retire a pasta do liquidificador e coloque num recipiente. Cubra com filme plástico e leve à geladeira por no mínimo 4 horas. Retire da geladeira e sirva a seguir.

Bio Brazil Fair 2014


FEIRA DE NEGÓCIOS ACONTECE ENTRE OS DIAS 4 E 7 DE JUNHO DE 2014, NA BIENAL DO IBIRAPUERA, EM SÃO PAULO. 

 
Conhecidos pela produção livre de agrotóxicos e insumos químicos, e pela preocupação com a questão socioambiental, os alimentos orgânicos englobam não somente frutas, verduras e legumes in natura, mas também um número cada vez maior de produtos processados, como carne, leite, personal care, vestuário, cosméticos, produtos de limpeza e outros.

Promovida pela Francal Feiras em parceria com a NürnbergMesse Brasil, a Bio Brazil Fair | BIOFACH America Latina – Feira Internacional de Produtos Orgânicos e Agroecologia chega à décima edição com o que há de melhor em produtos orgânicos, e representa um mercado em franca expansão. Dados do IPD – Instituto de Promoção do Desenvolvimento mostram que a expectativa de faturamento do setor está na casa dos R$ 2 bilhões em 2014, o que confirma a média anual de crescimento entre 30% e 40%.

De 4 a 7 de junho, a Bienal do Ibirapuera recebe a visita de profissionais ligados a lojas especializadas, supermercados, farmácias clínicas, hospitais, spas, resorts, restaurantes, agrônomos e outros, além do público consumidor.

Cerca de 120 expositores ficam reunidos em uma área de 7 mil m² para apresentar alimentos orgânicos in natura e congelados, frutas e verduras, mel e derivados, carnes, sucos e bebidas, leite e laticínios, pães, bolos e massas, cosméticos (aromas e essências, cremes, xampus e sabonetes), moda (joias, confecção, tecidos e acessórios) e suporte à produção (insumos, fertilizantes, equipamentos, certificadoras, consultorias).

A expectativa dos organizadores para esta edição é superar os 22 mil visitantes nacionais e internacionais da edição de 2013, entre profissionais do setor e público em geral.

Fórum

Uma das principais atrações da Bio Brazil Fair | BIOFACH America Latina, o Fórum Internacional de Agricultura Orgânica e Sustentável aborda temas importantes e apresenta as novas tendências do setor. O nível qualificado das palestras é garantido pela presença de renomados profissionais e autoridades do mundo orgânico, inclusive internacionais. Neste ano, os convidados participam do painel Mercado Mundial - Organic 3.0: Tendência e análise do potencial do futuro de orgânicos (com tradução simultânea).

Outros destaques do fórum deste ano são os painéis Quais avanços podemos esperar para o setor orgânico com a implementação do Plano Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica – PLANAPO?, ministrado por Rogério Dias, coordenador de Agroecologia do MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), e Cosméticos Orgânicos: Saiba o que dizem os especialistas sobre esse proeminente mercado, um dos segmentos que vêm apresentando maior aumento no consumo dentro do mercado de orgânicos.

Evento simultâneo

Simultaneamente à Bio Brazil Fair | BIOFACH América Latina acontece a Naturaltech – Feira Internacional de Alimentação Saudável, Produtos Naturais e Saúde, único evento brasileiro de negócios voltado ao segmento de produtos naturais.

Serviço

 
BIOBRAZIL FAIR | BIOFACH AMERICA LATINA 2014 – 10ª FEIRA INTERNACIONAL DE PRODUTOS ORGÂNICOS E AGROECOLOGIA

Data: 4 a 7 de junho

Horário: das 11h às 19h

Local: Pavilhão da Bienal do Ibirapuera

Promoção/Organização: Francal Feiras

Colaboração: NürnbergMesse

Patrocínio: SEBRAE, Itaipu Binacional, Cultivando Água Boa

Apoio: IPD Orgânicos, IBQP – Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade, Ministério do Desenvolvimento Agrário e Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

Informações pelo telefone: (11) 2226-3100

Site: www.biobrazilfair.com.br

Twitter: @biobrazilfair

Facebook: BioBrazilFair

Google+: Bio Brazil Fair

FEIRA ABERTA AO PÚBLICO, COM ENTRADA GRATUITA.

quinta-feira, 22 de maio de 2014

A vez da noz pecã!


 
Cachoeira do Sul abriga o maior pomar de noz pecã da América do Sul.

 

Numa bela tarde deste outono a cena traz a memória o cenário de um filme de época: distribuídos pelas sombras de milhares de nogueiras, trabalhadores empenham-se em catar frutos espalhados pelo chão, misturados a folhas e ciscos. A temperatura amena, o sol aquecedor formam o contexto do período da colheita da noz pecã, no interior de Cachoeira do Sul, o maior produtor do Brasil da saborosa amêndoa.       

A produção de noz pecã teve uma aceleração ímpar nos últimos anos principalmente no sul do Brasil. O cultivo se espalhou por esta extensa área geográfica sendo que em Cachoeira do Sul está localizado o maior pomar de noz pecã da América do Sul – a produtora e beneficiadora Pecanita Agroindustrial Ltda - com mais de 750 hectares plantados que produzem anualmente 500 toneladas de nozes, colhidas de seus 45 mil pés. A Pecanita ocupa quase mil hectares às margens da BR 153 na altura do km 402. Na safra que vai de abril a junho, cerca de duzentas e cinquenta pessoas trabalham como catadores, recolhendo o que a mecanização da safra deixou para trás.

45 mil pés permeiam a extensa propriedade 
 
O cultivo da noz pecã teve seu auge na década de 1970, quando um programa federal de incentivos fiscais para reflorestamento levou ao plantio centenas de hectares no Brasil. Depois disso o cultivo de nogueiras caiu no esquecimento com a ascensão da soja e do milho. As matrizes da Pecanita foram importadas dos Estados Unidos – maior produtor mundial de nozes - na década de 60 e a produção iniciou em 1968.
 

video

 
A empresa tem toda a sua colheita vendida para atacadistas sendo o Grupo Pão de Açúcar e a Cia Zaffari Bourbon os maiores clientes. “Se estivéssemos produzindo 1000 toneladas teríamos demanda para tudo” afirma Carlos Fernandes, o administrador da propriedade. “Além do que colhemos ainda compramos dos pequenos produtores cerca de 150 toneladas por ano” complementa. A Pecanita é a única empresa que faz o beneficiamento da pecã no local do cultivo e colheita das nozes com produção em grande escala no Brasil. Sua capacidade de pomar é estimada para mais de 100 anos de produção. O maior volume plantado é das espécies americanas Barton, Shawnee e Cape Fear.

Varredora entrando em ação para aglutinar os frutos  
 
Os pés "francos" (sem enxerto de mudas de árvores de melhor desempenho) levam oito anos para começar a produzir em pequenas quantidades. Os “enxertados” – advindos de matrizes de alta qualidade - ao contrário, começam a frutificar em três ou quatro anos. Há plantas que chegam a 200 quilos ou até 400 quilos de produção, como as nogueiras de 45 anos presentes na propriedade. Um hectare acomoda, com espaçamento adequado, até 100 árvores.

Administrador Carlos Fernandes
 
Investimentos:

Cada hectare comporta até 100 nogueiras, o que custa cerca de R$ 6,5 mil. Dentro do programa de expansão no cultivo de noz-pecã no Rio Grande do Sul, a Emater dá auxílio técnico aos produtores. A produção média varia de uma a três toneladas por hectare. O valor médio pago pelo quilo do produto varia de R$ 5,00 a R$ 6,00, de acordo com a qualidade da noz. O mercado é considerado bom e com garantia de fornecimento ao longo dos anos, pois somente no Brasil, os produtos importados representam quase 95% do consumo. A produção de nozes atualmente é uma ótima alternativa de aumento de renda para os pequenos e médios agricultores, principalmente porque, nos primeiros anos, seu cultivo pode ser manejado em sistema de coo plantio com culturas anuais - a nogueira pode ser facilmente cultivada com outras culturas como milho, pastagens e laranjas - e com criação de animais. Do produtor até o consumidor final (o produto passa pelo beneficiador, atacadista, indústria, varejo, distribuidor, entre outros) o preço pula de R$ 5 (a fruta com casca na colheita) para R$ 60,00, pois aqui o adquirente paga somente pela amêndoa extraída.     

Equipamento sacode as nogueiras derrubando seus frutos

Propriedades medicinais da noz pecã:

O fruto da nogueira pecã é uma drupa, um fruto carnoso com apenas uma semente, consistindo de uma noz. A noz possui uma casca lenhosa e uma amêndoa muito gostosa, com sabor doce e amanteigado. Caracterizam-se por serem alimentos ricos em minerais e vitaminas. A noz pecã possui uma série de propriedades medicinais como: antioxidante, ação redutora do colesterol, provoca a sensação de saciedade, é nutriente, hipoglicemiante, tem ação emagrecedora, estimulante, desintoxicante, cicatrizante, depurativa e diurética.

Catadores recolhem o resquício da colheita que a mecanização deixou 
  
Pecanita também realiza o beneficiamento das nozes em sua sede 

 
A noz é a "semente" dentro do fruto dentro da nogueira
 
 
A extensa área de quase mil hectares
 
 
Belas paisagens
 
 
Mudas advém das matrizes de origem americana 

  
Pecanita está localizada na BR 153 km 402

  
Linha de produtos vendidos à vácuo

 


quarta-feira, 21 de maio de 2014

Picanha Recheada com Queijo Provolone


A picanha é a rainha das carnes, sempre cortejada e tratada com todo o tato pelo churrasqueiro! Aqui uma receita da Picanha Recheada com Queijo Provolone, acompanhe:
 
  

Ingredientes:
(para 4 pessoas)

 
1 peça de picanha

200g de queijo provolone ralado

200g de queijo mozzarella ralado

Uma colher de chá de orégano

Uma folha de louro

Um dente de alho picado

Sal e pimenta do reino moída na hora à gosto

 

Preparo:

 

Faça um corte no centro da picanha até a outra ponta, deixando 2 cm de cada lado. Tempere a picanha com sal temperado a gosto por dentro e por fora. Recheie bem a picanha com os queijos, a folha de louro e o orégano. Costure – e bem - a picanha em toda a extensão do corte e leve a brasa para assar normalmente na churrasqueira. Corte em fatias e sirva acompanhada de legumes e farofa.

 
Você encontra corte nobre de gado Angus e Hereford na Best Beef Boutique, na Rua Marechal Deodoro 05, fone 51.3902-0630, em Santa Cruz do Sul. Confira!

terça-feira, 20 de maio de 2014

Dal Pizzol 40 anos


 
A Vinícola gaúcha celebra data comemorativa com lançamento de vinho exclusivo
 
Diretor sr Antônio Dal Pizzol apresenta o novo vinho

Conheci a Dal Pizzol há alguns anos atrás, num almoço oportunizado em sua bela sede vitivinícola, no interior de Bento Gonçalves. Lá pude absorver um pouco da brisa desta paixão pela qual a família Dal Pizzol lida com o vinho. O "seu" Antônio, uma figura simpática do qual alguns minutos de bate-papo significam vários anos de estudos teóricos sobre o vinho, ou seja, um aprendizado ímpar. O Dirceu Scottá, enólogo, outro extremo conhecedor dos melhores processos que envolvem o rotular de um vinho, além de um generoso repassador de técnicas e princípios produtivos. Por tudo isso, a Dal Pizzol tem absoluta legitimidade em lançar um ícone comemorativo a esta data tão significativa, seus 40 anos!     
“O Dal Pizzol 40 anos, no cálice, é um vinho robusto, bem estruturado e gostoso como produto agroalimentar de consumo. Além do cálice, expressa e significa uma herança e tradição familiar bem fundamentada, mas também um patrimônio cultural da humanidade que honra e dignifica o vinho brasileiro”. Assim, o diretor Rinaldo Dal Pizzol, tenta explicar o que é e o que representa o vinho dos 40 anos que a vinícola acaba de lançar.
É com este conceito que a Dal Pizzol compartilha com todos seus clientes e quem aprecia, além de um bom vinho, uma oportunidade única de degustar um produto que representa a cultura e a sabedoria, acumuladas por gerações de vinhateiros. No nariz e na boca, um misto de sensações que somente um grande vinho proporciona. Além do cálice, o acúmulo de uma história familiar dedicado a cultura do vinho durante 13 gerações, sete na Itália e seis no Brasil.

Quatro décadas, quatro variedades. Este gran assemblage é resultado do equilíbrio entre vinhos da safra 2012: 40% Merlot, 30% Cabernet Sauvignon, 15% Tannat e 15% Nebiolo. Fruto de uma colheita particular com cuidados rigorosos e da sensibilidade e técnica em todo o processo de elaboração, o Dal Pizzol 40 Anos é um exemplar histórico desta combinação entre natureza e cultura. “Assim, nos é permitido acreditar que este vinho aconteceu para comemorar a passagem dos 40 anos de trabalho, dedicação e perseverança de um grupo de pessoas em torno de um objetivo herdado de gerações abençoadas. Mas, pode também ter sido resultado consciente ou inconsciente de uma cultura que vem acompanhando o homem desde os primórdios da história da humanidade e que, modernamente, se expressa no conceito de que o vinho não é só um produto agroalimentar, mas um produto cultural”, destaca Dal Pizzol.

Para o enólogo da vinícola, Dirceu Scottá, elaborar e conceber a composição deste vinho é algo gratificante e ao mesmo tempo um compromisso de altíssima importância. “Traduzir em um vinho quatro décadas de histórias, aprendizado, cultura, humildade e conhecimento não é tarefa fácil. Mas como todo vinho é também um filho, tentei criá-lo e encaminhá-lo para que tenha uma vida longa, repleta de sucesso e realizações. Este é o vinho Dal Pizzol 40 anos”, declara o enólogo da vinícola, Dirceu Scottá.

 
Características do Vinho:

Variedades: Assemblage  de  40%  Merlot,  30%  Cabernet  Sauvignon,  15% Nebbiolo e 15% Tannat.

Localização dos Vinhedos: Serra Gaúcha e Campanha.

Safra: 2012

Lote limitado: 3.520 garrafas.

Região Elaboradora: Serra Gaúcha.

Amadurecimento/Afinamento: Este vinho amadureceu por um período de 18 meses em tanques de inox e 15% do volume do corte em barrica de carvalho francês. Foi engarrafado e permanece em média 6 meses descansando, antes de ser liberado para comercialização.

Características Organolépticas do Vinho: Coloração vermelho escuro intenso, com tons violáceos, aroma pronunciado de frutas vermelhas maduras, amoras e mirtilos, couro envelhecido e especiarias. De paladar persistente, generoso, amplo,  com  bom  volume  de  boca,  encorpado  e  harmônico.  Apresenta excelente estrutura tânica, o qual se recomenda airar ou decantar. Vinho com potencial de guarda.
 
Recomendações Enogastronômicas:Acompanha carnes vermelhas, cordeiro, caças, pratos com molhos bem condimentados e exóticos, queijos tipo Grana Padano, Parmesão, Pecorino, Manchego, Provolone e Roquefort.Temperatura de serviço:Bom para servir na temperatura de 17 a 22 °C.

Características Analíticas: Álcool: 13,5 % vol

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Pulenta Estate Malbec 2010


O vinho argentino Pulenta Estate Malbec 2010 de Mendoza é elaborado com uvas 100% Malbec pela bodega dos irmãos Hugo e Eduardo Pulenta, focados em produções pequenas e muita qualidade. Foram produzidos apenas 50 mil garrafas deste vinho o que – para um produtor de Mendoza – é uma quantidade pequeníssima.

De cor rubi violáceo profundo e lágrimas lentas e gordas apresentou aromas de frutas negras maduras, framboesa, amora, baunilha, café, especiarias e noz moscada.
Em boca apresentou taninos finos e redondos, bom corpo e equilíbrio. Trouxe toques de chocolate, café, fruta negra, tostado, leve mas agradável amargor no retrogosto. Um vinho elegante!

Passou 12 meses em barricas de carvalho francês de primeiro uso.

Possui 14,5% de graduação alcoólica e o ideal é ser consumido entre 16 e 18oC.

Harmoniza bem com carnes vermelhas assadas, caças, pastas com molhos encorpados, estrogonofes, cogumelos, charcutaria e queijos curados.

Levou 92 pontos de Robert Parker e 89 da Wine Enthusiast.

Você encontra os vinhos Pulenta na Wein Haus, loja especializada em vinhos, localizada na Rua João Pessoa 895, em Santa Cruz do Sul, fone 51.3711.3665 e site www.weinhaus.com.br. 

E lembre-se: se beber, NÃO DIRIJA!

 

sexta-feira, 16 de maio de 2014

O Anuário Vinhos do Brasil 2014


Chegou ao mercado a nova edição do Anuário Vinhos do Brasil, em versão bilíngue (português e inglês), com todos os números do mercado e um ranking de mais de 850 vinhos brasileiros.
Uma parceria da Baco Multimídia com o Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), o Anuário Vinhos do Brasil chega à sua terceira edição. O lançamento aconteceu na ExpoVinis, em São Paulo, realizada de 22 a 24 de abril passado. Na ocasião, também foram entregues os certificados aos campeões da Grande Prova Vinhos do Brasil, que neste ano contou com número recorde de amostras (856), elegendo os melhores em 20 categorias.
A publicação atualiza a apresentação do vinho brasileiro e das regiões produtoras. Em formato de revista premium, o Anuário Vinhos do Brasil é um raio-X dos mercados interno e externo vinícola, além de abordar as perspectivas para a produção vitivinícola brasileira, mostrando as inovações do setor e as ações institucionais para dar continuidade à retomada de mercado registrada em 2013, quando se registrou uma expansão de quase 10% nas vendas de vinhos nacionais.
O conteúdo, também na versão em inglês, é uma ferramenta importante de divulgação do projeto Wines of Brasil, realizado pelo Ibravin em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), que promove o vinho brasileiro pelo mundo.

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Tortinha de Cordeiro com Nozes


 

Simplicidade e sabor, eis uma combinação perfeita para a receita de hoje!

 
Gosto da palavra irreverência quando falo de cozinha! O trabalho na confecção de um novo prato deve ser pautado na técnica mas, antes de tudo, na criatividade, no desenrolar inédito da junção de ingredientes diversos com um fim único que é a apresentação final. Brincar com os sabores e texturas é permitido, dar-lhes unicidade, obrigação. A receita a seguir mexe com isso, com o bom humor e a experimentação que somente a cozinha tem a condição de proporcionar, confira esta Tortinha de Cordeiro com Nozes

 


Ingredientes:

(para 8 pessoas)

 
Cordeiro:
 

2 kg de pernil de cordeiro já desossado

150 g de bacon picado

350 ml de vinho branco seco

2 pimentões vermelhos médios picados

2 cebolas picadas

1 abobrinha italiana picada

1 cenoura grande picada

1 maço de temperinho verde picado

1 alho poró cortado em fatias

5 tomates picados

2 folhas de louro

1 colher de chá de alecrim desidratado

Duas colheres de sopa de molho shoyu

Sal e pimenta do reino moída à gosto

Pitadas de noz moscada

 

Purê de batatas:

 
2 kg de batatas brancas descascadas e fatiadas

300ml de leite

150ml de leite de coco

150ml de requeijão cremoso

50g de manteiga

Pitadas de noz moscada, pimenta do reino e sal

150g de queijo gorgonzola cortado em pedaços

100g de queijo parmesão ralado

200g de queijo parmesão ralado para a cobertura

200g de nozes picadas para a cobertura

 
Preparo:
 
  
 
Corte o pernil em pedaços de cerca de 5 cm. Leve o bacon para fritar em uma panela grande.
 
Em seguida, divide a quantidade de carne em duas porções e sele cada uma por cerca de 5 minutos. Retire do fogo e reserve.
 
 
Na mesma panela coloque os pimentões, a cebola, a cenoura, o alho poró e refogue bem. Junte a abobrinha e o tomate, o louro e o shoyu.
 
 
Deixe refogar bem, com a tampa fechada. Assim que isso for feito, junte a carne neste preparo, o vinho branco, a salsinha, o alecrim, a noz moscada e a pimenta.
 
 
Mexa bem, cubra com a tampa e deixe cozinhar em fogo médio por cerca de uma hora. Corrija o tempero colocando sal. Deixe cozinhar por mais 45 minutos.
 
 
Quando a carne estiver bem macia, se espedaçando com o toque do garfo, desligue e retire um a um os pedaços da panela, desfiando a carne com dois garfos. Devolva a carne desfiada para a panela, misture bem e reserve.
 

Enquanto prepara a carne, cozinhe as batatas até amaciarem e depois as escorra. Coloque num recipiente e misture todos os ingredientes, amassando com um garfo grande ou processando com as pás da batedeira. O purê deve ficar cremoso.
 

Untar um refratário com azeite de oliva e dispor a camada da carne. Sobre esta colocar o purê, formando uma torta. Sobre o purê salpicar o queijo ralado e as nozes picadas. Levar ao forno por 30 minutos, metade do tempo com papel laminado. Servir.     
       

 
Você encontra cortes de cordeiro na Best Beef Boutique, na Rua Marechal Deodoro 05, fone 51.3902-0630, em Santa Cruz do Sul. Confira!
 
 
 

 

 

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Tannat Vinhas Velhas 2012


Os vinhos da casta Tannat iniciaram há alguns anos o povoamento no Rio Grande do Sul em alguns vinhedos na Serra, na Serra do Sudeste e Campanha. Nesta, estão os primeiros colonizadores, a Tannat proveniente do vinhedo fino mais antigo do Brasil conduzido em espaldeira, localizado no município de Santana do Livramento, datado de 1976, que dá origem ao Tannat Vinhas Velhas 2012, da Vinícola Almadém, pertencente ao Miolo Wine Group.
O vinho estagia em barricas novas de carvalho francês por 12 meses domesticando desta forma o potente e agradável vinho. Mesmo sendo um vinho com apenas dois anos, está pronto para beber!

Apresenta cor rubi profundo com matizes violáceas, com ótimo brilho e limpidez, acompanhado de lágrimas grandes e preguiçosas.

Ao nariz, traz aromas bem pronunciados de frutas negras e vermelhas maduras em compota –framboesa, amora, cassis e cereja – também chocolate, amanteigado, tabaco, algo defumado e ainda um toque floral de violetas e jasmim.

Em boca, um vinho que lembra muito seus primos uruguaios, complexo, intenso e potente, com taninos finos e redondos, equilibrado, com açúcares residuais presentes mas quietos e uma persistência média com ótimo retrogosto de frutas negras.

Possui 14% de graduação alcoólica e o ideal é degusta-lo na temperatura entre 16 e 18°C.

Foi degustado acompanhando um assado de cordeiro e entrecôte grelhados, mas também assume companhia perfeita com carnes de caça, carnes de panela, queijos maduros e pastas condimentadas. Por fim, um delicioso vinho!

Você encontra o vinho Tannat Vinhas Velhas na Wein Haus, loja especializada em vinhos, localizada na Rua João Pessoa 895, em Santa Cruz do Sul, fone 51.3711.3665 e site www.weinhaus.com.br

E lembre-se: se beber, NÃO DIRIJA!         

 

terça-feira, 13 de maio de 2014

Vinho em lata chega ao Brasil


Direto da Itália, especificamente da Emilia-Romagna, o vinho Cinque, vendido em lata, já está a venda no site, no varejo e em algumas casas noturnas

 
Praticidade, elegância, estilo e sabor impecável são os diferenciais do Vino Cinque, o primeiro espumante italiano em lata comercializado no Brasil que já está a venda no site com desconto de 15% no primeiro mês mediante a utilização do código CINQUESING15. Cinque é um vinho com selo IGT - Indicazione Geografica Típica. Isso significa que é produzido em uma única região da Itália - a Emilia-Romagna - sob condições muito específicas. Isso garante a procedência do vinho e que nele sejam utilizados apenas as uvas e processos rigidamente controlados. É versátil, refrescante e saboroso, adequado a qualquer situação.

Para sua produção, os enólogos italianos conduziram longas degustações, buscando o equilíbrio ideal, e assim conferiram ao Cinque uma intensa refrescância - que se transformou na alma do produto. É o resultado de um corte delicado de nobres uvas viníferas europeias - tais como Trebbiano, Malvasia e toques de outras uvas viniferas aromaticas "lavorato in bianco" - colhidas nas belas vinícolas da região localizada entre Parma e Bologna.
Cinque é feito para ser tomado jovem, o que permite que sua leveza seja realçada. Seu paladar é frutado, no qual se sobressaem, em especial, os toques cítricos. Apresenta delicadas borbulhas (perlage), marca registrada dos frizzanti. Percebe-se também seu sabor levemente adocicado, resultado natural de seu processo de vinificação. Tem baixo teor alcoólico, que permite que seja degustado com paixão e liberdade.

Por ser descomplicado e prático, cabe em qualquer situação - casa, praia, parque, piscina, montanha. Acompanha muito bem pratos leves, tais como saladas, grelhados e frutos do mar. Vai bem também com massas caseiras e até com uma pizza. É para se tomar muito gelado por isso vem com um termômetro na latinha que, quando estiver azul, indica que está no ponto certo. 

Vinho em lata?

Segundo dizem, a lata de alumínio é a embalagem de vinho que mais cresce no mundo. Conta-se que esse novo formato é prático, moderno e adequado para qualquer ocasião - tudo isso sem perder os atributos essenciais para preservar um bom vinho, como o isolamento com o ambiente externo e a vedação à entrada de luz.

É fácil de gelar: um termômetro na lateral fica azul quando a temperatura estiver "no ponto". É também fácil de transportar: é muito mais resistente e prática de carregar do que uma garrafa de vidro. É de fácil consumo: é só abrir e tomar, sem necessidade de acessórios. E é na medida certa: o conteúdo equivale a duas taças de champagne (flûte).

Produzida em Recklinghausen, Alemanha, a lata de Cinque traz diversas inovações. Internamente, foi tratada com uma dupla camada de um verniz especial para a proteção do vinho, que impede qualquer interação do líquido com o metal. Por fora, recebeu a delicada pintura "soft touch", que conferiu um toque sofisticado e único à embalagem. Por fim, seu formato slim de 200ml é exclusivo para o mundo do vinho.

A lata de Cinque reflete também uma especial preocupação com a sustentabilidade. A reciclagem do alumínio é muito mais rápida e fácil do que a reciclagem do vidro, além de poder ser feita infinitamente sem perda de qualidade. No Brasil, por exemplo, 96% das latas de alumínio vão para reciclagem, enquanto apenas 47% do vidro segue esse fim. Além disso, o transporte do vinho em latas emite 50% menos CO2 do que o transporte do vinho em garrafas de vidro equivalentes, visto que é muito mais leve e compacta. Isso faz de Cinque um produto de consumo ecologicamente consciente.

 
A Emilia-Romagna:
 

A Emilia-Romagna é uma região no centro-norte da Itália, com um longo histórico de produção de clássicos vinhos, em especial o Frizzante. Além de ser a casa de Cinque, lá surgiram grandes ícones italianos reconhecidos em todo o mundo. Na gastronomia, os famosos queijos Parmigiano Reggiano e Grana Padano, o Prosciutto Parma, os Cappelletti e o Aceto Balsamico di Modena. Ficam lá também as fábricas da Scuderia Ferrari, Lamborghini, Maserati e Ducati. Nas artes, dali surgiram os grandes Federico Fellini e Giuseppe Verdi. Além de abrigar a primeira universidade do mundo: a Università di Bologna.
Na Emilia-Romanga nasce Cinque. Reuniu toda a tradição gastronômica e cultural dessa região, a herança de cinco famílias produtoras de vinho artesal cujas menções históricas remontam a 1905, e misturou-as a uma concepção moderna de vinho em uma embalagem inovadora. É expressão moderna da alma italiana.
Pela rigorosa lei italiana de pureza do vinho, Cinque somente pode ser produzido a partir de uvas cultivadas na região que compreende as províncias de Ferrara, Modena, Parma, Piacenza, Reggio Emilia e na margem esquerda do rio Sillaro, em Bologna.